logomarca
Cuiabá, 20 de Maio de 2024.

Saúde Terça-feira, 14 de Maio de 2024, 10:17 - A | A

Terça-feira, 14 de Maio de 2024, 10h:17 - A | A

menopausa

Menopausa sem Medo: Como Prevenir o Aumento da Gordura Abdominal com Métodos Comprovados

Divulgação

232d7f13571d97ec026c890463098e92.jpeg

 

A menopausa é uma fase natural na vida das mulheres, marcada pelo fim dos ciclos menstruais. É comumente acompanhada por mudanças significativas no corpo, incluindo um aumento na gordura abdominal, que pode afetar a saúde cardiovascular e metabólica. Entender essas mudanças e como gerenciá-las é crucial para manter uma boa qualidade de vida durante e após a transição menopausal.

O médico Dr. Francisco Saracuza, explica que durante a menopausa, os níveis de estrogênio diminuem significativamente, afetando o metabolismo e a distribuição de gordura no corpo. Estudos indicam que a baixa de estrogênio favorece o acúmulo de gordura na região abdominal em vez de nas coxas e quadris, como é mais comum antes da menopausa. Isso não apenas altera a aparência física, mas também aumenta o risco de desenvolver doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2.

 

Impacto do estilo de vida

A prática regular de exercícios físicos é uma das intervenções mais eficazes para combater o ganho de gordura abdominal. Recomenda-se uma combinação de exercícios aeróbicos, como caminhada rápida, natação ou ciclismo, e treinamento de força. Pesquisas demonstram que a atividade física regular pode ajudar a mitigar o declínio metabólico associado à menopausa e melhorar a composição corporal geral.

Além do exercício, uma dieta balanceada rica em fibras, proteínas magras e gorduras saudáveis pode ajudar a regular o apetite e melhorar o metabolismo. A redução na ingestão de carboidratos refinados e açúcares é particularmente importante, pois estes contribuem para o aumento da gordura visceral e resistência à insulina.

 

Gestão do estresse e sono

O estresse e a falta de sono são fatores que podem exacerbar o ganho de peso durante a menopausa. O estresse crônico leva à produção excessiva de cortisol, um hormônio que promove o acúmulo de gordura abdominal. Práticas de redução de estresse são recomendadas para manter os níveis de cortisol equilibrados. ‌

A qualidade do sono também é crucial. Um sono inadequado pode desencadear alterações hormonais que aumentam o apetite e promovem o ganho de peso. Portanto, garantir 7-8 horas de sono por noite é essencial para a saúde metabólica.
  ‎   ‌

Tratamento hormonal e acompanhamento médico

A terapia de reposição hormonal (TRH) é uma opção de tratamento comum para aliviar os sintomas da menopausa, incluindo ondas de calor, suores noturnos, alterações de humor e, em alguns casos, o manejo do ganho de peso. A TRH funciona repondo hormônios que estão em baixa produção, como o estrogênio, testosterona e progesterona.

O estrogênio tem um papel direto na distribuição de gordura no corpo das mulheres. Durante os anos reprodutivos, ele incentiva o armazenamento de gordura nas coxas e quadris. Quando os níveis de estrogênio caem durante a menopausa, a tendência é que a gordura se redistribua para a região abdominal. A TRH pode ajudar a manter os níveis de estrogênio, potencialmente prevenindo essa redistribuição da gordura e os riscos associados de condições metabólicas.

Antes de iniciar a TRH, é fundamental que as mulheres discutam com seus médicos todos os potenciais benefícios e riscos. A decisão de usar a TRH deve ser individualizada, levando em conta fatores como a gravidade dos sintomas menopausais, a saúde geral da mulher, histórico médico familiar e preferências pessoais.

“A menopausa é uma etapa significativa na vida das mulheres, que traz desafios únicos, especialmente em relação ao aumento da gordura abdominal. Com as estratégias corretas, é possível não apenas prevenir o ganho de gordura indesejado, mas também melhorar a saúde geral e o bem-estar durante a menopausa e nos anos seguintes.”. Conclui o Dr. Francisco Saracuza.
 ‎   ‌

1a690d574a9d842980e45a53e1e591a4.jpeg

 

Dr. Francisco Saracuza - CRM 192628

Médico

Especialista em Medicina Integrativa
  ‎   ‌




Comente esta notícia