logomarca
Cuiabá, 20 de Julho de 2024.

Variedade Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2024, 10:09 - A | A

Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2024, 10h:09 - A | A

investimento

Veja como o intercâmbio é visto no mercado de trabalho

O principal objetivo dos estudantes ao investir em um intercâmbio é desenvolver a carreira, segundo a pesquisa Selo Belta 2023.

Divulgação

close-up-people-holding-map.jpg

 

Durante muitos anos, para se destacar no mercado de trabalho, ter uma faculdade renomada no currículo poderia garantir uma boa oportunidade de emprego. Entretanto, com o passar do tempo, outros requisitos foram incorporados às contratações, exigindo novas habilidades dos profissionais.

A fim de desenvolver a carreira, muitas pessoas optam por uma experiência internacional, sendo esse o principal objetivo dos estudantes ao investir em um intercâmbio, segundo a pesquisa Selo Belta 2023. Essa vivência oferece a oportunidade de desenvolver habilidades e competências valiosas, além de ampliar a visão de mundo, adquirir uma bagagem cultural diversificada, desenvolver proficiência em diferentes idiomas e uma desenvolver a resiliência, pontos bem vistos pelas empresas.

“O intercâmbio é visto de forma extremamente positiva no mercado de trabalho atual. A procura por uma formação de qualidade, aliado a maiores facilidades no acesso financeiro mais a consolidação do mercado pós-pandemia, são alguns dos aspectos que faz da experiência internacional ser cada vez mais popular, não apenas entre os jovens”, aborda Alexandre Argenta, presidente da Belta - Associação Brasileira de Agências de Intercâmbio.

Uma tendência interessante que a pesquisa Selo Belta 2023 revela, é o aumento da participação de profissionais com idades entre 30 e 49 anos no intercâmbio. Em 2019, a faixa etária de 30 a 39 anos ocupava a 5ª posição no ranking, mas em 2022 subiu para a 4ª posição. Já a faixa etária de 40 a 49 anos, que antes ocupava a 7ª posição, agora está em 5ª. Isso evidencia que mais pessoas estão enxergando o intercâmbio como uma oportunidade de impulsionar suas carreiras, mesmo estando consolidada profissionalmente no mercado brasileiro.

Entre os fatores para tal fenômeno, encontra-se a redução de custos da viagem. Em 5 anos, houve uma queda de quase 17% no valor médio da experiência, possibilitando o acesso a diversas faixas etárias. Dessa forma, o intercâmbio deixa de ser uma experiência dispendiosa, tornando-se mais acessível como um plano eficaz para o desenvolvimento profissional e pessoal, capaz de agregar valor ao currículo e abrir portas para novas oportunidades. Com a experiência, o estudante pode adquirir habilidades que vão além do conhecimento acadêmico, tornando-se profissionais mais completos e preparados para os desafios do mercado de trabalho globalizado.

 

Quer aperfeiçoar seu currículo e realizar um intercâmbio? Veja as agências certificadas Belta, aqui!
 

Sobre a Belta
Criada há 30 anos, a Belta – Associação Brasileiras de Agências de Intercâmbio — visa promover a educação internacional no país. Como única associação das Agências de Intercâmbio do Brasil que oferece programas para todo o mundo e sem fins lucrativos, tem como foco certificar com o Selo Belta agências confiáveis no setor, por meio de um processo cuidadoso de análise financeira, técnica e idoneidade das agências. Atualmente, as agências especializadas Selo Belta representam 70% do mercado de educação internacional no Brasil, tendo cerca de 500 pontos de venda em todo o Brasil, 49 associadas colaboradoras que são associações internacionais de instituições de ensino de idiomas, universidades e redes de escolas internacionais, assim como prestadores de serviços afins ao segmento. A qualidade dessas empresas é atestada pelo Selo Belta, oferecendo credibilidade no Brasil e no exterior. A Belta tem prêmios acumulados ao longo desses anos, entre eles, o prêmio internacional STM Awards, considerado o Oscar do segmento de intercâmbio. Foi a primeira associação de agências de intercâmbio que, após receber 5 vezes essa premiação, alcançou o hall da fama. Conheça mais, aqui!




Comente esta notícia