logomarca
Cuiabá, 21 de Junho de 2024.

Variedade Segunda-feira, 18 de Setembro de 2023, 16:08 - A | A

Segunda-feira, 18 de Setembro de 2023, 16h:08 - A | A

ginecomastia

Ex-BBB Eliezer removeu 350 ml de gordura em cada mama numa cirurgia de ginecomastia; entenda

Divulgação

unnamed (63).jpg

 

Eliezer passou por um procedimento cirúrgico para tratar a ginecomastia, uma condição que afeta o crescimento excessivo das mamas masculinas. Ele compartilhou o resultado da operação, que impressionou até mesmo sua companheira Viih Tube, logo após a cirurgia realizada na quarta-feira (30).

Falando sobre a quantidade de tecido removido, Eliezer fez uma observação bem-humorada: "As mulheres, geralmente, colocam 350 ml de silicone, eu tinha 350 ml de gordura em cada peito. "

A ginecomastia é causada por um desequilíbrio hormonal e resulta no aumento ou inchaço das mamas masculinas. Eliezer recentemente revelou que sofria desse quadro, e embora ele tenha encarado a situação de forma descontraída, era algo que o incomodava.

"Por mais que eu sempre tenha levado isso muito 'de boa' com pessoas que 'me zoam', principalmente quando estava no BBB, é uma coisa que me incomoda muito e que piorou durante a gestação da Lua", conta.

 

Divulgação

unnamed (62).jpg

 

 

O cirurgião plástico da Clínica Libria, Dr. Hugo Sabath, explica que essa condição que afeta homens de todas as idades, resultando no crescimento excessivo do tecido mamário. Embora não acarrete riscos significativos para a saúde física, seus impactos psicológicos e emocionais podem ser profundos. A aparência de seios aumentados pode gerar constrangimento, desconforto social e ansiedade, afetando a autoimagem e a confiança masculina.

 

Riscos e causas: além da aparência

 

Embora a ginecomastia em si não represente riscos graves, é importante identificar suas causas pré-existentes. Desequilíbrios hormonais, uso de certos medicamentos e doenças crônicas podem desempenhar um papel na ocorrência da condição. Em casos raros, a ginecomastia pode ser um sintoma de tumores benignos ou malignos nos tecidos mamários. Portanto, é fundamental buscar avaliação médica para descartar a possibilidade de câncer de mama.

 

Tratamentos

 

“Existem várias opções de tratamento para a ginecomastia, dependendo da causa e da gravidade da condição. É importante ressaltar que cada caso é único, e o acompanhamento de um médico especializado é essencial para orientar o tratamento adequado”, informa o médico da Clínica Libria. Aqui estão algumas opções comuns:

 

1. Monitoramento e mudanças no estilo de vida: Em casos leves, especialmente durante a puberdade, o médico pode recomendar o monitoramento regular, pois a ginecomastia pode diminuir espontaneamente com o tempo. Além disso, mudanças no estilo de vida, como dieta saudável e exercícios físicos regulares, podem ajudar a reduzir a ginecomastia relacionada ao excesso de peso.

 

2. Medicamentos: Em situações específicas, como desequilíbrios hormonais, o médico pode prescrever medicamentos para regular os níveis hormonais. Inibidores de aromatase, por exemplo, podem bloquear a produção excessiva de estrogênio e reduzir o crescimento do tecido mamário.

 

3. Cirurgia: Em casos persistentes ou graves, a cirurgia é uma opção eficaz. Existem dois tipos comuns de procedimentos cirúrgicos para tratar a ginecomastia:

 

  a. Mastectomia Subcutânea: Nesse procedimento, o tecido mamário em excesso é removido por meio de uma incisão ao redor da auréola. Essa é a abordagem mais comum para tratar a ginecomastia.

 

  b. Lipoaspiração: Indicada quando a ginecomastia é predominantemente causada por acúmulo de gordura, a lipoaspiração remove o excesso de gordura dos seios masculinos por meio de uma cânula fina, restaurando uma aparência mais masculina.

 

“Além disso, é essencial lembrar que a ginecomastia não está sozinha. Muitos homens em todo o mundo, enfrentam essa condição e encontraram maneiras de superá-la. Com o apoio adequado, compreensão e tratamento adequado, é possível restaurar a confiança masculina e alcançar a aparência estética desejada”. Finaliza o cirurgião da Clínica Libria.




Comente esta notícia