logomarca
Cuiabá, 22 de Julho de 2024.

Variedade Segunda-feira, 29 de Abril de 2024, 11:57 - A | A

Segunda-feira, 29 de Abril de 2024, 11h:57 - A | A

Amazônia

Em 2023, trabalho socioambiental da FAS beneficiou mais de 80 mil pessoas na Amazônia

Divulgação

Divulgação (4) (1).jpeg

 

"A FAS me ensinou sobre comunicação; trouxe apoio à minha família e comunidade. Isso mudou minha trajetória, minha vida", conta Tainara Cruz, 19 anos, indígena Kambeba. Moradora da comunidade Três Unidos, às margens do Rio Negro, ela foi uma das participantes do projeto Repórteres da Floresta e hoje é uma comunicadora que divulga e representa as culturas originárias de seu povo nas redes sociais, além de eventos no Brasil e outros países.

Assim como a Tainara, centenas de adolescentes ribeirinhos no estado do Amazonas já passaram pela iniciativa realizada pela FAS: somente em 2023, 130 jovens foram formados em 15 oficinas de audiovisual e educomunicação.

Essa é uma das histórias que fazem parte do Relatório de Atividades 2023 da Fundação Amazônia Sustentável. Divulgada nesta segunda-feira (22/04), a publicação apresenta as principais ações da organização socioambiental, durante o último ano, na região amazônica.

Os programas e projetos da FAS, que se estendem pelas frentes de educação e cidadania, saúde, empreendedorismo, entre outras, têm como foco a conservação da floresta em pé e a valorização dos povos amazônidas.

“O Relatório de Atividades 2023 apresenta um retrato do fazer sensível e sistêmico da FAS, que se traduz em resultados concretos para a Amazônia, da educação à conservação ambiental”, resume o superintendente-geral da FAS, Virgilio Viana.

Acesse o relatório, disponível no site da organização, e confira um resumo dos destaques da Fundação Amazônia Sustentável em 2023.

Divulgação

Divulgação (2) (1).jpeg

 

Educação e cidadania

No ano passado, a FAS desenvolveu 47 ações educativas, que envolveram 8.647 pessoas na Amazônia, incluindo estudantes, docentes e moradores de municípios, bairros periféricos e comunidades ribeirinhas e indígenas. As atividades são realizadas em parceria com as secretarias municipais e estaduais de educação e estimulam o desenvolvimento de um olhar crítico e participativo, que valoriza as realidades e saberes regionais.

Saúde

A FAS é presente no cuidado e bem-estar das pessoas que vivem na floresta, especialmente em áreas remotas, nas quais o acesso a serviços de saúde é precário. Apenas em 2023, no estado Amazonas, 633 consultas médicas, em enfermagem e psicologia, e 621 orientações a profissionais de saúde foram realizadas através do sistema de telessaúde.

A iniciativa é desenvolvida pela FAS em parceria com secretarias de saúde e proporciona atendimento remoto com 67 pontos de conectividade instalados em Unidades de Conservação. A fundação também oferece cursos de capacitação a agentes de saúde que trabalham em comunidades ribeirinhas na Amazônia.

“Através da telemedicina, consegui me consultar com um psicólogo e ele me orientou muito. Eu agradeço à telemedicina por isso e agora com essa inovação que vai ter muito mais atendimento aqui com outros profissionais também, e [agradeço] à Fundação que implantou o sistema aqui na Comunidade do Tumbira”, afirma Augusta Vieira, moradora da comunidade ribeirinha Tumbira, localizada na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro.

Empoderamento

Contribuir com o empoderamento dos povos da Amazônia é um dos objetivos principais da FAS, que desenvolve iniciativas de incentivo e fortalecimento das culturas originárias por meio do esporte e empreendedorismo. Em 10 anos do projeto “Arquearia Indígena”, completados em 2023, dezenas de jovens atletas indígenas foram formados e, no total, já ganharam 53 medalhas em competições nacionais e internacionais.

“Eu conheci o esporte Tiro com Arco através do projeto Arquearia Indígena. É uma porta que se abre para a gente e ajuda muito na caminhada para quem quer estudar e se dedicar ao esporte. O projeto possibilitou que eu tivesse bolsa para minha faculdade, que eu conhecesse outros lugares, outras pessoas”, relata Graziela dos Santos, indígena do povo Karapanã e atleta formada pelo projeto.

Empreendedorismo e Renda

A FAS acredita e estimula novas formas de economia na Amazônia, que conciliam geração de renda para as populações locais com a conservação da floresta. É o caso do turismo de base comunitária, protagonizado por associações e famílias em Unidades de Conservação na Amazônia. A fundação oferece assessoria técnica, acesso a linhas de crédito e investimentos em formação e estruturas de hospitalidade em comunidades ribeirinhas. Em 2023, os negócios nessa modalidade turística apoiados pela FAS tiveram um faturamento de R$ 5.453.473 milhões.

Entre os destaques de empreendedorismo e renda em 2023, também está o fortalecimento do manejo sustentável de pirarucu e tambaqui, com as feiras do pescado (faturamento superior a R$ 400 mil a associações locais de pescadores) e o Piraruclub, clube de comercialização por assinatura de pirarucu de manejo sustentável do Amazonas (faturamento superior a R$ 150 mil no primeiro ano de atividade), e o apoio à cadeia produtiva de artesanato (faturamento superior a R$ 270 mil).

 

Infraestrutura comunitária

Para que ações de conservação ambiental e qualidade de vida se tornem realidade em áreas mais distantes da região, é preciso de investimento em infraestruturas sustentáveis e adequadas às realidades de comunidades e aldeias indígenas na Amazônia. Estruturas como o Solar Community Hub.

O sistema, formado por contêineres com conectividade de internet e movidos à energia solar, agrega serviços gratuitos de educação, saúde e monitoramento socioambiental para mais 1,6 mil pessoas na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Amapá. Construído há cerca de dois anos na Comunidade Boa Esperança (AM), o sistema oferece cursos de formação profissionalizante e, em 2023, envolveu 140 jovens e adultos da reserva em mais de 770 horas de capacitação.

Conservação Ambiental

Em 2023, o Programa Guardiões da Floresta expandiu suas atividades para 28 Unidades de Conservação no Amazonas, chegando a 591 comunidades e localidades e a mais 11 mil famílias no estado. A política pública é uma iniciativa do governo estadual, através da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SEMA-AM) com implementação da FAS. Além do pagamento por serviços ambientais prestados, os moradores das Unidades de Conservação recebem capacitações e investimentos em fortalecimento comunitário e cadeias da bioeconomia amazônica.

Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação

Com 16 anos de experiência em programas e projetos de conservação e desenvolvimento sustentável na Amazônia, a FAS segue ampliando sua atuação e contribuindo com soluções em pesquisa, desenvolvimento e inovação no Brasil e em países pan-amazônicos. A fundação integra um movimento para o estabelecimento de uma área de proteção ambiental em El Mismi, no Peru, onde está a nascente do Rio Amazonas. A região atualmente sofre os impactos da crise climática com o derretimento das geleiras. Em outubro de 2023, foi apresentada ao governo peruana a proposta de criação da área.

Gestão e Transparência

A Fundação Amazônia Sustentável é uma das principais organizações socioambientais fundadas, presentes e ativas na Amazônia. Em 2023, a fundação realizou atividades em 749 comunidades, aldeias e bairros da região e beneficiou 21.787 famílias. Em áreas protegidas com atuação da FAS, foram registrados 14.510.000 de hectares conservados de floresta amazônica.

Em nível internacional, a FAS foi a única representante brasileira entre as finalistas do Prêmio Zayed de Sustentabilidade 2023 na categoria “Ação Climática”. “Tantos fazimentos e reconhecimentos só se concretizam em realidade com a colaboração inestimável da nossa rede de parcerias e nossa equipe. A eles, toda nossa gratidão”, afirma Virgilio Viana.

Sobre a FAS

A Fundação Amazônia Sustentável (FAS) é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos que atua pelo desenvolvimento sustentável da Amazônia. Sua missão é contribuir para a conservação do bioma, para a melhoria da qualidade de vida das populações da Amazônia e valorização da floresta em pé e de sua biodiversidade. Com 16 anos de atuação, a instituição tem números de destaque, como o aumento de 202% na renda média de milhares famílias beneficiadas e a queda de 39% no desmatamento em áreas atendidas. 




Comente esta notícia