logomarca
Cuiabá, 20 de Julho de 2024.

Variedade Segunda-feira, 15 de Janeiro de 2024, 22:01 - A | A

Segunda-feira, 15 de Janeiro de 2024, 22h:01 - A | A

Objetivos

5 dicas para organizar suas contas em 2024 e começar o ano no "camarote"

Momento é propício para estabelecer objetivos, mas é importante fazer isso com clareza e informação para garantir equilíbrio no orçamento

Divulgação

IMG_2119.jpeg

 


Na chegada do novo ano, é comum estipular metas pessoais e listar desejos para o ciclo que se inicia. Com um olhar renovado, planejamos os primeiros meses com cuidado para traçar caminhos inteligentes e atingir os objetivos. A organização financeira costuma estar no topo da lista de muita gente, uma vez que ela impacta praticamente todos os outros aspectos da vida.

Existe um motivo para que as finanças sejam prioridade no país: no ano passado, a inadimplência atingiu seu maior índice desde 2013, de acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). A boa notícia é que as famílias brasileiras fecharam o ano de 2023 menos endividadas que no ano anterior, registrando a primeira queda anual em quatro anos.

 

“Visivelmente, está mais difícil para os brasileiros cumprirem com os compromissos assumidos no passado. É importante olhar para as finanças domésticas com a devida atenção, estar ciente das dívidas e evitar tomar decisões precipitadas. Estar sempre bem informado sobre as opções disponíveis no mercado também facilita a criação de um plano para sair do vermelho”, explica Sacha Aprile, CFA & Diretor de Operações da Crediblue, fintech especializada em home equity que oferece soluções digitais para a oferta de crédito.

 

Para começar 2024 no azul e garantir um ano mais tranquilo, o executivo elenca suas cinco principais dicas para uma organização financeira eficiente:

 

Faça um diagnóstico financeiro

Antes de traçar qualquer plano futuro, o ideal é entender a situação das suas finanças. Analise extratos bancários, faturas de cartão de crédito e despesas fixas. Após identificar onde é possível economizar, avalie se há dívidas acumuladas que precisam ser priorizadas. Esse diagnóstico fornecerá uma base sólida para suas futuras decisões financeiras.

 

Organize um orçamento mensal

Elabore um orçamento detalhado que leve em consideração todas as suas receitas e despesas mensais. Organize os gastos em categorias, priorizando as essenciais, como moradia, alimentação e saúde. A partir disso, identifique áreas em que seja possível cortar gastos desnecessários ou menos importantes. Um orçamento bem estruturado é uma ferramenta fundamental para manter o controle financeiro e evitar surpresas desagradáveis.

 

Estabeleça metas realistas

Definir metas financeiras claras e alcançáveis para o ano é um bom começo. Pode ser frustrante tentar solucionar tudo de uma vez, se essa não for uma opção factível. As metas podem incluir a criação de uma reserva de emergência, a quitação de uma dívida mais antiga ou investimentos. Estabelecer objetivos realistas aumenta a motivação e o acompanhamento do progresso ao longo do ano.

 

Invista em educação financeira

Conhecimento é um dos melhores investimentos de longo prazo, pois constrói a base que sustentará toda decisão futura. Mantenha-se informado sobre temas como planejamento financeiro, investimentos e economia. Existem diversas fontes de informação, como notícias, livros, cursos online e consultorias especializadas. Entender o caminho promove mais controle e autonomia, além de mais clareza para tomar decisões sobre finanças.

 

Procure alternativas

Empréstimos com garantias têm sido uma alternativa inteligente para aqueles que desejam ou precisam obter crédito. O home equity, por exemplo, é uma modalidade de crédito em que o tomador oferece um imóvel como garantia, o que permite melhores taxas de aprovação e mais agilidade. Sacha defende que juros mais baixos, prazos de pagamento mais generosos e personalização do atendimento são os maiores diferenciais desse tipo de negócio. 

 

E, para escapar das amarras do sistema bancário tradicional, uma alternativa viável é buscar agentes financeiros e fintechs. “Queremos dar a segurança de que a organização financeira é possível. Com o home equity, são grandes as chances de fechar contrato, o primeiro passo para um futuro sem dívidas”, explica.

 

Sobre a Crediblue

A Crediblue é uma fintech especializada em produtos digitais de crédito. A empresa, integrante do ecossistema de capitais Blueway Capital, é especialista em home equity e desenvolvimento de novas soluções para empresas. Por meio de análises personalizadas, disponibiliza empréstimo de forma ágil, com funding próprio e linhas de crédito BNDES para MPME. Tudo isso em uma plataforma própria para originação, estruturação e distribuição de operações, redução de burocracia e tempo.




Comente esta notícia