logomarca
Cuiabá, 19 de Julho de 2024.

Moda e Beleza Sexta-feira, 05 de Julho de 2024, 14:31 - A | A

Sexta-feira, 05 de Julho de 2024, 14h:31 - A | A

Trend

Trend do limão no cabelo: entenda os riscos da receita caseira de clareamento dos fios

Dermatologista explica os possíveis danos para a pele e cabelos

Enquanto o inverno dá as caras no Brasil, o verão chegou no Hemisfério Norte, e as redes sociais repercutem o que as “gringas” estão fazendo para realçar a beleza durante a estação. A “trend” da vez pode ser encontrada com as tags #lemonhighlights e #lemonchallenge, e consiste em aplicar suco de um limão inteiro nos cabelos e deixá-los ao sol a fim de clarear os fios, que ganham um tom de loiro.

 

A Dra. Paula Colpas¹, dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e consultora da TheraSkin® explica porque os fios clareiam com a aplicação do limão ao sol: “O limão contém compostos fotossensibilizantes, que, em contato com o sol, aumentam a sensibilidade do cabelo à radiação UV, decompondo os grânulos de melanina dos cabelos e clareando os fios”, conta.

 

Porém, a médica alerta para a saúde dos cabelos em relação à esta prática: “Apesar de clarear, o limão sensibiliza os fios, desprotegendo-os contra o sol, alterando o brilho, causando ressecamento, aumento do risco de quebra e perda de elasticidade. Isso porque a acidez da fruta estraçalha as cutículas capilares”. Paula ainda aconselha: “por isso, é sempre importante hidratar os fios regularmente”.

 

Além disso, ao aplicar o limão nos cabelos e se expor ao sol, o suco pode cair na pele e causar queimaduras e manchas indesejadas. Em alguns vídeos, pessoas aplicam o limão diretamente nos cabelos com as mãos em pleno sol da praia. “Limão e sol definitivamente não combinam, pois juntos, na pele, geram uma reação química chamada fitofotodermatite, surgindo manchas, vermelhidão, ardência e coceira”, explica a especialista. "Recomendo evitar essa prática, pois o limão pode causar danos significativos tanto aos cabelos quanto à pele, e os resultados podem ser prejudiciais a longo prazo”.

 

A médica ainda explica que, quando o suco de limão entra em contato com a pele e é exposto ao sol, pode desencadear uma reação intensa. As áreas afetadas podem ficar muito sensíveis e manchadas, e as queimaduras podem demorar semanas, ou até meses, para cicatrizarem completamente.

 

Para evitar esses problemas, a recomendação da dermatologista é clara: nunca aplique limão diretamente na pele, especialmente antes de se expor ao sol. “Se houver contato acidental, lave imediatamente a área com bastante água e sabão neutro, e evite a exposição solar. Caso ocorra alguma reação adversa, procure um dermatologista o mais rápido possível para orientação e tratamento adequados”, acrescenta.

 

Portanto, é importante adotar uma abordagem cuidadosa e informada ao considerar o uso de produtos naturais ou caseiros. A saúde da pele deve ser sempre preservada, evitando práticas que possam causar danos significativos e duradouros. “Optar por produtos testados e aprovados por especialistas é sempre a escolha mais segura e eficaz”, finaliza.

 

Para quem caiu na trend do limão e acabou sofrendo com queimaduras na pele, a TheraSkin® sugere o uso de Amilia® Talco Líquido, um multirreparador, produzido especialmente para peles sensíveis e delicadas. Sua ação gera sensação de alívio de desconfortos, irritações e coceiras, reduzindo vermelhidão, hidratando e suavizando a pele. É dermatologicamente testado e pode ser utilizado por toda a família. 

 

Já para o tratamento e prevenção das manchas causadas pela exposição solar, Klassis® Emulgel é o recomendado. O dermoclareador contém os ativos Arbutin, Ácido Kójico, Ácido Láctico e Ácido Glicólico, que oferece multibenefícios, como clareamento da pele, hidratação, uniformidade, auxílio para o rejuvenescimento e ajuda na produção de colágeno. Desenvolvido para peles mistas e oleosas, o produto conta com uma densidade suave, não obstrui os poros, não provoca acne e controla a oleosidade.

 

¹Dra. Paula Tavares Colpas (CRM/SP: 129556 - RQE: 34206), médica dermatologista e membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

 

Sobre a TheraSkin®: Única farmacêutica brasileira especialista em pele, há 25 anos desenvolvendo e produzindo produtos dermatológicos e a primeira do país a utilizar a inteligência artificial para suporte da equipe de pesquisa no desenvolvimento de dermocosméticos. Comprometida em educar e conscientizar as pessoas a cuidarem da saúde da pele com responsabilidade, a indústria é alinhada à comunidade médica do começo ao fim de sua cadeia. Possui fábrica em São Bernardo do Campo, com laboratório de Pesquisa e Desenvolvimento próprio. Para conhecer toda a linha de dermocosméticos TheraSkin®, acesse: http://loja.theraskin.com.br.




Comente esta notícia