logomarca
Cuiabá, 19 de Julho de 2024.

Arte e Cultura Terça-feira, 30 de Janeiro de 2024, 17:15 - A | A

Terça-feira, 30 de Janeiro de 2024, 17h:15 - A | A

viagem

Teresa Perez indica 4 destinos para uma imersão na natureza do Brasil

Divulgação

unnamed (30).jpg

 

A Teresa Perez, especialista em viagens com significado e roteiros personalizados, preparou uma seleção de destinos destacando quatro lugares extraordinários para uma imersão inigualável na riqueza natural do Brasil. Não apenas por sua beleza estonteante, mas também pela variedade de experiências que oferecem, refletindo o compromisso da Teresa Perez em proporcionar viagens que transcendem o convencional, levando os viajantes a destinos que capturam a essência única do país.

Os detalhes completos dos destinos, itinerários recomendados e opções de hospedagem podem ser encontrados abaixo:

 

Pantanal

“Uma onça e dois filhotes acabam de ser avistados por perto", conta o guia, já acelerando o veículo para o ponto indicado no GPS. Em poucos minutos, começa o show de arrepiar: o êxtase de avistar, a 5 metros do carro, no ambiente selvagem, uma família do maior felino das Américas.

Inspirados nas experiências bem-sucedidas da África, passeios no Pantanal proporcionam a emoção de ver ao vivo alguns dos animais mais icônicos da fauna brasileira. A onça-pintada talvez seja o mais famoso e esperado entre todos eles, mas uma viagem ao imenso Pantanal tem muito a oferecer quando o assunto é a contemplação da natureza.

No ano passado, a revista Time, listou o lugar como um dos melhores destinos do mundo para visitar em 2023, além de ter se consagrado também por implementar safáris fotográficos com a mesma excelência que se encontra na África.

O Brasil também possui o big five. Enquanto na África eles são conhecidos como elefante, rinoceronte, leão, leopardo e búfalo, as estrelas de nosso bioma são a onça-pintada, o cervo-do-pantanal (maior mamífero terrestre do Brasil), a capivara, o tamanduá-bandeira e a anta.

“O turismo está ajudando a salvar a onça-pintada e outros animais do Pantanal”, conta o guia Mario Nelson Cleto, um jovem descendente de uma família local que, no passado recente, matava onças para que elas não atacassem seu gado. Foi só depois que o ecoturismo se consolidou na região, em harmonia com a pecuária, que muitos moradores tradicionais entenderam o valor de manter os bichos vivos e a natureza preservada para garantir a sustentabilidade da economia.

Os turistas podem viver a experiência de ser cientistas por um dia acompanhando os apaixonados biólogos-guias que monitoram o comportamento da maior das 344 espécies de aves locais. Os técnicos costumam praticar rapel em árvores de 15 metros para proteger os ninhos dos filhotes contra a ameaça de predadores. É emocionante vê-los ao vivo.

Entre uma saída de safári e outra, outra grande experiência do Pantanal é mergulhar na cultura rural fascinante e na natureza pantaneira: cavalgar pelas estradas da fazenda ou remar nos alagados de águas escuras, se encantar com o brilho dos olhos dos jacarés nas focagens noturnas ou com a amplitude das asas dos tuiuiús em voo, provar o churrasco pantaneiro e curtir o som das modas de viola locais. E, depois de se deslumbrar com o céu super estrelado, dormir cedo para estar com energia de sobra, na manhã seguinte, para curtir de novo os surpreendentes safáris do Brasil.

Melhor época: julho a outubro e de dezembro a março

Onde ficar: Caiman é pioneira em ecoturismo e conservação no Pantanal, a fazenda existe há 35 anos e oferece os safáris mais exclusivos e bem estruturados da região. A pousada principal tem 18 quartos com varanda, área com piscina, restaurante, redário, sauna e loja de artesanato local. É possível se hospedar também em uma villa privativa.

Divulgação

unnamed (31).jpg

Foto: Chapada dos Veadeiros

Chapada dos Veadeiros

A Chapada dos Veadeiros, no nordeste de Goiás, é uma das formações rochosas mais antigas do mundo – uma respeitosa senhora de 1,8 bilhão de anos –, e tem uma das tirolesas mais longas do país (daquelas que a gente vê a natureza passar, literalmente, sob os pés, ao longo de quase 1 quilômetro). São João d’Aliança, cidade considerada o portal da Chapada dos Veadeiros, abriga outro gigante do destino: localizada na Serra Geral do Paranã, a Cachoeira do Label, do alto de seus 187 metros, é uma das mais altas do Brasil.

A “capital” Alto Paraíso de Goiás é o endereço das pousadas charmosas, enquanto o vilarejo de São Jorge é a "Chapada pé na areia". Mas é no parque nacional que ficam alguns dos cenários mais impressionantes desse Brasil interior, daqueles que atraem aventureiros, esotéricos e (dizem) até seres de outros planetas.

Antiga rota de garimpos de cristais, Veadeiros é feita para caminhar (e por onde se ande, não faltarão cachoeiras, cânions e chapadões de formações únicas), como a Trilha Carrossel, uma caminhada de 4,5 quilômetros com mirantes de madeira sobre o cânion ao longo do Rio Preto, o mesmo que alimenta os obrigatórios Saltos I e II. Outro destaque do parque é o Jardim de Maytrea, uma sequência de veredas de buritis que podem ser vistas da estrada ou do Morro da Baleia, cuja trilha sobre um chapadão garante um dos mais belos e panorâmicos finais de tarde do destino.

Aliás, recentemente, a chapada goiana viu nascer mais uma área preservada: o Parque Estadual Águas do Paraíso, uma área de cinco mil hectares conjugados ao Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Essa região das Cataratas do Rio dos

Couros é uma espécie de resumo de tudo o que se pode encontrar no destino: trilhas, cânions, rios e cachoeiras. Entre os clássicos, não deixe de incluir no roteiro Almécegas I e II, uma sequência de cachoeiras que deságuam na boca de um cânion, formando piscinas naturais de fácil acesso. Dali, os mais intrépidos partem para a bela tirolesa Voo do Gavião, um sobrevoo de pouco menos de um minuto e meio sobre cenários belíssimos. A cerca de 90 quilômetros, Cavalcante é a versão histórica de Veadeiros, em uma região que une cachoeiras e a história dessa antiga comunidade quilombola de negros da África Ocidental – Kalunga –, cujo destaque é a Santa Bárbara, queda d'água de 28 metros em um poço de águas, exageradamente, azuis.

Melhor época: abril a setembro.

Onde ficar: Pousada Maya é integrada perfeitamente à natureza que a emoldura, foi projetada de acordo com a filosofia Feng Shui, refletindo bem-estar e evidenciando a sensação de paz em suas acomodações. O cardápio de atividades é amplo: a pousada realiza diversos passeios e trilhas para explorar o que há de mais bonito na região, incluindo visitas aos vales e belas cachoeiras.

 

Lençóis Maranhenses

Dá até vontade de parar na primeira piscina que surge como miragem às margens do Rio Preguiças e passar o resto da viagem por ali mesmo. Mas no maior campo de dunas do país, onde o Brasil assume sua versão 4x4, a experiência vai além de banhos preguiçosos em águas cristalinas de lagoas interdunares.

Formação única no mundo e com 90 mil hectares de dunas e piscinas naturais, de um total de 155 mil, o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses é conhecido por seus circuitos turísticos pelo que há de mais famoso por ali: águas cristalinas rodeadas por areias claras e finas.

As comunidades tradicionais, que historicamente habitam esse território muito antes da criação do parque, costumam recepcionar os visitantes com uma gastronomia cheia de personalidade após os passeios pelos campos, dunas e lagoas.

As portas de entrada do Parque são as cidades de Barreirinhas, Atins e Santo Amaro. Das três, Santo Amaro é a mais próxima e por onde se chega com mais facilidade às dunas mais altas e às lagoas menos movimentadas da região, como a do Murici, da Betânia e da Gaivota.

Entre as principais experiências que podem ser vividas por lá, os passeios de 4x4, os piqueniques às margens das lagoas azuis e os passeios a cavalo estão entre os mais significativos. Se você gosta de aventura, a região também é excelente para prática de esportes como kitesurf e windsurf.

Melhor época: maio a outubro

Divulgação

jpgn

Foto: OIÁ

Onde ficar: OIÁ - Casa Lençóis instalada em Santo Amaro, a hospedaria ocupa a área da antiga fazenda Boca da Ilha, hoje totalmente renovada, circundada por vegetação nativa praticamente intocada e por lagoas que se formam com as chuvas no primeiro semestre do ano.

O projeto de decoração, assinado pelo escritório de Marina Linhares, é composto por itens representativos de grandes nomes do design brasileiro e objetos que povoam as casas do Brasil, sobretudo no Nordeste, formando ambientes que procurar mostrar um pouco da cultura e da beleza do simples e, ao mesmo tempo, sofisticada do nosso país.

A casa principal conta com um suíte de 26 metros quadrados, cozinha e uma área de convivência formada por uma sala e um agradável terraço. Já o menu é assinado pelo chef Cedric Nieuviarts e busca conectar o visitante ao que é mais autêntico na região. Cedric busca contar uma história diferente a cada dia, surpreendendo os hóspedes com simplicidade e sofisticação.

 

Cataratas do Iguaçú

O majestoso conjunto de cataratas que conta com mais de duas centenas de quedas d’água é uma das maiores belezas naturais de nosso país e tem atraído cada vez mais visitantes, de diferentes partes do mundo. Para acessar o Parque você pode optar tanto pelo lado brasileiro, entrando pela cidade de Foz do Iguaçú, quanto pelo lado argentino, pela cidade de Puerto Iguazú.

Ambos os lados te apresentarão uma visão deslumbrante. O lado brasileiro coloca os visitantes frente a frente com as quedas d’água, com uma visão panorâmica e a possibilidade de contemplar a magnitude e o volume de água que as cachoeiras derramam a cada segundo. Já o lado argentino te colocará logo acima de uma das mais altas quedas, possibilitando uma visão lindíssima e diferente de qualquer outra experiência de cachoeira que você já tenha visto.

Para deixar sua viagem ainda mais sofisticada, a melhor opção de hospedagem é o único hotel que está localizado logo ao lado do Parque, o Hotel das Cataratas, no Belmond Hotel. Ele é o único hotel situado no lado brasileiro dentro do Parque Nacional do Iguaçu, o que já confere status de exclusividade incomparável.

Preservando seu charme original de um edifício erguido nos anos 1950, o Hotel das Cataratas proporciona aos hóspedes acesso preferencial às quedas d’água antes do horário de abertura do parque, além de experiências com atmosfera de exclusividade, como desfrutar de um coquetel ao som das cataratas, apreciar o pôr do sol do ponto mais alto do Parque Nacional ou mesmo conectar-se à natureza com um piquenique a dois no jardim do hotel.

Melhor época: abril e maio.

Onde ficar: Hotel das Cataratas, no Belmond Hotel - A tranquilidade e a privacidade são garantidas àqueles que escolhem o Hotel das Cataratas, a Belmond Hotel para se hospedar. As vistas são encantadoras e o som da água se faz presente a todo o momento durante a estada. As florestas tropicais da região proporcionam os ingredientes utilizados nos tratamentos do Cataratas Spa, um dos principais atrativos do hotel. A mesma seleção cuidadosa de produtos é feita nos restaurantes Ipê Grill e Itaipu, que têm inspiração nas culinárias local e internacional.

Foto: Chapada Diamantina

unnamed (32).jpg

 

CHAPADA DIAMANTINA

É tanta chapada para ver que Diamantina, região serrana no centro da Bahia, é daqueles destinos que não cabem em uma mesma viagem. Só no Parque Nacional da Chapada Diamantina são mais de 30 cachoeiras (das potentes às mais discretas), 16 sítios históricos e mais de 280 quilômetros de trilhas.

Mas muito além do Morro do Pai Inácio e da Lagoa Azul, só para citar alguns dos cenários mais populares do destino, existe uma chapada sem pressa que vai se mostrando aos poucos, em trilhas que costumam começar em áreas urbanas de pequenas cidades de passado garimpeiro. Considerada uma das mais bonitas do Brasil e o roteiro turístico mais antigo da chapada baiana, a travessia do Vale do Pati é um trekking de 70 quilômetros, geralmente, percorrido em cinco dias. A caminhada acontece entre os municípios de Andaraí e Mucugê, na região central do parque nacional, e vai de trechos mais leves, em terreno plano, a áreas de subidas exigentes.

Ao longo do dia, ícones naturais passam diante dos olhos, como o Vale do Capão, conhecido pela Fumaça, uma das maiores cachoeiras do Brasil. Ideal para viagens durante todo o ano, a região tem Lençóis (Chapada Norte) e Vitória da Conquista (Chapada Sul) como principais acessos.

Onde ficar: Hotel Canto das Águas, Chapada Diamantina - Decorado com obras de artistas locais, o Hotel Canto das Águas tem 43 acomodações divididas entre quartos e suítes – algumas delas contam com piscina e varanda particulares. O hotel também se destaca com sua localização privilegiada: está instalado à beira do Rio Lençóis e próximo do centro histórico da cidade de mesmo nome. Na lista de atrativos, piscina, terapias corporais, sala de leitura, entre outros.

 

Sobre Teresa Perez

Com 32 anos de história, a Teresa Perez é especialista em criar e reinventar roteiros personalizados e uma das marcas do TP Group, que também contempla TP Corporate,TP Air, New Age, Embark Beyond e Oiá Casa Lençóis. Sua atuação pioneira inclui um trabalho consistente de consultoria em viagens em destinos nas Américas, Europa, Ásia, África e Oceania. Com um time de consultores apaixonados por viagens, a agência

identifica os interesses, desejos e necessidades de cada cliente, com análise de roteiros, destinos, culturas e logísticas. Teresa Perez, fundadora, e Tomas Perez, presidente da agência, são membros do Conselho do mundialmente renomado Grupo Four Seasons, no qual discutem tendências e qualidade dos serviços, dentre outros assuntos do setor. A operadora também faz parte dos conselhos da Belmond, Rosewood e Shangri-lá, além de integrar clubes de benefícios das redes de hotéis Mandarin Oriental, Ritz-Carlton, Starwood, Four Seasons e Rocco Forte, que garantem vantagens exclusivas aos seus clientes. A empresa também vem sendo sucessivamente reconhecida através de prêmios concedidos anualmente no Virtuoso Travel Week, tendo recebido oito troféus nos últimos 7 anos – os 5 mais recentes como Top Production Latin America. Recentemente, a Teresa Perez também foi premiada como a agência com melhor resultado no mercado da América Latina e, em 2015, ganhou o exclusivo título Ruby of Siam – concedido pela Virtuoso a um pequeno grupo de agentes de viagens internacionais que representam a excelência em serviços de alto padrão.




Comente esta notícia