logomarca
Cuiabá, 18 de Julho de 2024.

Variedade Quarta-feira, 03 de Abril de 2024, 17:40 - A | A

Quarta-feira, 03 de Abril de 2024, 17h:40 - A | A

alto QI

Entidade global cria fundação para apoiar projetos educacionais e garantir direitos dos superdotados no Brasil

Divulgação

unnamed - 2024-04-03T173921.559.jpg

 

Associação Mensa Brasil, afiliada da Mensa Internacional, principal organização de alto QI do mundo, anuncia seu novo braço institucional para fortalecer o debate público e promover iniciativas nas áreas de educação, assistência social, cultura e pesquisa
 
Lançamento está marcado para o dia 6 de abril em São Paulo (SP), com a presença de membros e personalidades ligadas à associação

A Associação Mensa Brasil, entidade que reúne pessoas com altas capacidades intelectuais no País e representante oficial da Mensa Internacional, principal organização de alto QI do mundo, acaba de lançar uma fundação em defesa dos direitos e garantias dos superdotados no País.
 
A proposta da Fundação Mensa Brasil é ampliar o debate público sobre o papel e os potenciais de desenvolvimento do País a partir de mais iniciativas destinadas aos indivíduos com superdotação/altas habilidades. A entidade pretende promover ainda os “superinteligentes” em prol da sociedade com o desenvolvimento de atividades educacionais, de assistência social, de defesa e garantia de direitos, culturais e de fomento a pesquisas.
 
A Fundação Mensa Brasil é a nova entidade no guarda-chuva da Mensa Brasil, que também reúne a Associação Mensa Brasil, fundada há 22 anos. A Fundação estará voltada para o público externo, notadamente na defesa de direitos dos superdotados e na promoção deste público junto à sociedade, enquanto a Associação é voltada para o público interno, como é estabelecido em seu estatuto social.
 
“A Fundação Mensa Brasil surge com foco em desenvolver iniciativas em prol do público de superdotados e de altas habilidades no Brasil, com o intuito de abrir oportunidades tanto de parceria com governos quanto com a iniciativa privada, ampliando o debate público sobre esta temática importantíssima para a sociedade brasileira”, explica Cadu Fonseca, presidente da Mensa Brasil.
 
A criação da fundação será oficializada em Assembleia, que acontece no dia 6 de abril deste ano, em evento em São Paulo, capital, com a presença de membros da entidade. São esperadas algumas personalidades públicas que são membros da Mensa Brasil, como Eduardo L’Hotellier, fundador do GetNinjas, o musicista Roger, fundador da banda Ultraje a Rigor, e o piloto de automobilismo Lucas Di Grassi, além da própria diretoria executiva da associação.
 
Na ocasião do evento, também será indicado o corpo diretivo inicial da Fundação Mensa Brasil, formado por voluntários da própria Associação Mensa Brasil, bem como o grupo de Conselheiros Curadores. Em outra parte do encontro, a Associação apresentará ainda os planos de trabalho para o exercício 2024 e demais projetos para conduzir ao longo do ano.
 
Segundo o presidente da Associação Mensa Brasil, o tema das altas capacidades cognitivas é de suma importância para o desenvolvimento do País. “Identificar pessoas com inteligência alta é ferramenta fundamental para ajudar o Brasil a desenvolver políticas públicas de superdotação e altas habilidades, que hoje não alcançam a população a ser atendida. Se até 11% da população é superdotada e menos de 27 mil têm atendimento na educação escolar, por exemplo, significa que o Brasil falha em identificá-los”, explica Fonseca.
 
“Trazer esse problema para o debate público é imprescindível para alcançarmos o pleno atendimento dos direitos de indivíduos com alto potencial. A Mensa tem papel fundamental neste trabalho, no sentido de contribuir com processos de identificação e proporcionar ambientes que auxiliem no desenvolvimento de potenciais de indivíduos superdotados”, observa o presidente da entidade.
 
A Mensa Brasil recomenda aos governos brasileiros a adoção de sistema nacional estruturado de avaliação da inteligência de crianças matriculadas nos ensinos infantil e fundamental, tanto nas instituições de ensino públicas quanto nas privadas. Esta medida já é aplicada em diversos países, com resultados importantes e positivos.
 
Na visão da entidade, tal modelo serviria de base para a ampla identificação dos chamados superinteligentes, ainda nos primeiros anos de escolarização, contribuindo para um melhor direcionamento, desenvolvimento e aproveitamento dos potenciais intelectuais no Brasil, contribuindo para a evolução destes indivíduos e beneficiando a sociedade brasileira. 
 
Atualmente, a entidade possui 3500 brasileiros superinteligentes identificados em território nacional. Segundo mapeamento, o estado de São Paulo lidera o ranking, com 1544 superinteligentes. Em seguida estão Rio de Janeiro, com 373 pessoas, Minas Gerais, com 284, Paraná, com 264, e Distrito Federal, com 211.
 
Sobre a Associação Mensa Brasil
 
Fundada em 2002, a Associação Mensa Brasil é a afiliada brasileira oficial da Mensa Internacional, a maior, mais antiga e mais prestigiada organização de alto quociente de inteligência (QI) do mundo. Ela congrega pessoas com altas capacidades intelectuais, tendo como único requisito de ingresso possuir QI acima de 98% da população em geral, comprovado por teste referendado de inteligência. A entidade coordena, representa e mobiliza seus associados, com foco em três objetivos principais: (i) identificar e promover a inteligência humana em benefício da humanidade; (ii) estimular pesquisas sobre a natureza, características e usos da inteligência; e (iii) prover um ambiente intelectual e socialmente estimulante para seus associados.
 
Sobre a Mensa Internacional
 
Fundada em 1946, no Reino Unido, a Mensa Internacional é a maior, mais antiga e mais prestigiada organização de alto QI do mundo. Foi criada com o objetivo de promover a inteligência como ferramenta estratégica para o desenvolvimento e a evolução da humanidade. A palavra Mensa significa “mesa”, em Latim, em referência à natureza de mesa-redonda da organização, representando a união de iguais, impendente de características como etnia, cor, credo, nacionalidade, idade, visão política, histórico educacional ou socioeconômico.




Comente esta notícia