logomarca
Cuiabá, 19 de Julho de 2024.

Saúde Quinta-feira, 11 de Janeiro de 2024, 11:48 - A | A

Quinta-feira, 11 de Janeiro de 2024, 11h:48 - A | A

TDAH

ATOMOXETINA: Saiba mais sobre o novo medicamento inovador para TDAH

A nova medicação oferece menor risco de o paciente ter irritabilidade, interferência no apetite e desregulação emocional, em comparação com outros medicamentos para TDAH.

 

Divulgação

jpgn

Anvisa aprova inovador medicamento não estimulante para TDAH no Brasil: Atomoxetina oferece esperança sem dependência. Campanha "TDAH Levado a Sério" da APSEN alerta sobre sintomas e diagnóstico precoce.

 

A  Anvisa aprovou o primeiro medicamento não estimulante para tratar o TDAH no Brasil. A Atomoxetina, utilizada nos EUA desde 2002, agora está disponível para pacientes brasileiros pela APSEN Farmacêutica. Estudos clínicos destacam sua eficácia no tratamento do TDAH com comorbidades, sem causar dependência, oferecendo uma opção de dose única diária. O psiquiatra Daniel Segenreich destaca a importância do diagnóstico e tratamento médico, enfatizando que o TDAH, um distúrbio neurobiológico, pode persistir ao longo da vida. Sintomas como desatenção, inquietude e impulsividade podem ser controlados com diagnóstico e tratamento adequados. Ele também ressalta a campanha "TDAH Levado a Sério" da APSEN, que visa conscientizar sobre sintomas e diagnóstico precoce do TDAH.

Sobre o TDAH

O Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um distúrbio neurobiológico de causas genéticas que se manifesta, geralmente, na infância e pode perdurar ao longo da vida. Os sintomas característicos incluem desatenção, inquietude e impulsividade.

Indivíduos com TDAH frequentemente apresentam dificuldade em manter o foco, organizar tarefas e seguir instruções, sendo comum a distração constante. A hiperatividade se manifesta através de inquietação, fala excessiva e uma necessidade constante de se mover. Já a impulsividade resulta em ações precipitadas, dificuldade em aguardar turnos e tomada de decisões impulsivas.

Embora o TDAH seja reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o diagnóstico nem sempre ocorre de maneira imediata no contexto brasileiro. O tratamento precoce é essencial para alcançar resultados mais eficazes, como destaca o psiquiatra Daniel Segenreich.

No cenário atual, os medicamentos disponíveis para tratar o TDAH no Brasil têm, até o momento, características estimulantes, às vezes sendo utilizados fora do contexto correto do diagnóstico. A campanha "TDAH Levado a Sério" da APSEN tem como objetivo alertar pacientes e cuidadores sobre os sintomas e promover o diagnóstico precoce, contribuindo para um tratamento mais adequado e uma compreensão mais abrangente do transtorno.




Comente esta notícia