logomarca
Cuiabá, 22 de Julho de 2024.

Mulher em Destaque Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2024, 15:32 - A | A

Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2024, 15h:32 - A | A

empreendedorismo

“Parentas que Fazem”: mulheres indígenas recebem treinamento para gestão de negócios e uso das redes sociais

Divulgação

Divulgação-2 (2).jpeg

 

Com o objetivo de capacitar mulheres indígenas e impulsionar o empreendedorismo e geração de renda em suas aldeias e comunidades, a chamada “Parentas que Fazem” realizou mais um workshop de formação em gestão empreendedora. O treinamento ocorreu na sede da Fundação Amazônia Sustentável (FAS), em Manaus, na última semana, e envolveu 15 mulheres indígenas das cinco organizações selecionadas pelo edital, que vão receber um aporte de R$ 250 mil, cada.

O “Parentas que Fazem” é uma iniciativa da FAS com apoio do Google.org, instituição filantrópica do Google, e parceria com a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab) e Makira-E’ta – Rede de Mulheres Indígenas do Amazonas. Além do aporte financeiro, cada projeto selecionado recebe serviços de iniciação empreendedora, assessoria técnica e formação em gestão.

O workshop abordou temas como ferramentas de gerenciamento estratégico, sistema de gestão online, planos de ação, controladoria e uso das mídias digitais. Segundo a supervisora da Agenda Indígena da FAS, Rosa dos Anjos, os treinamentos foram desenvolvidos conforme o escopo do projeto, que prevê a oferta de técnicas de empreendedorismo nos campos de gestão de negócios, marketing e mídias digitais.

“A avaliação do projeto tem sido muito positiva. A FAS tem trabalhado para uma execução inclusiva e participativa das mulheres indígenas, fortalecendo-as institucionalmente, identificando as potencialidades e pontos que precisam de atenção. Haverá ainda formação em empreendedorismo para outras cinco organizações que não foram contempladas com o recurso, conforme está previsto na chamada. Essa formação deve ocorrer em municípios estratégicos para possibilitar a adesão de organizações locais”, explica a supervisora.

Participante do workshop, Sandy Yusuro, 19 anos, administradora financeira da Associação das Mulheres Indígenas Sateré Mawé (AMISM) - iniciativa sediada em Manaus que trabalha com a produção e comercialização de artesanatos, roupas e produtos medicinais - afirma que o workshop contribuiu para ampliar a visão de negócios da associação.

“O workshop foi fundamental, pois nos ajudou a adquirir mais conhecimento e também compartilhar o que sabemos. A formação nos mostrou como podemos ampliar nosso trabalho e crescer cada vez mais. Destaco o treinamento sobre o sistema de valoração dos produtos e a importância de trabalhar com planilhas e contar as horas de trabalho, e o tempo que leva para produzir um produto. O workshop vai ajudar o nosso negócio em todas as formas, desde a produção até a venda”, declarou a jovem indígena.

Para saber mais sobre a chamada “Parentas que Fazem”, acesse https://fas-amazonia.org/parentas-que-fazem

 

Sobre a FAS

A Fundação Amazônia Sustentável (FAS) é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos que atua pelo desenvolvimento sustentável da Amazônia. Sua missão é contribuir para a conservação do bioma, para a melhoria da qualidade de vida das populações da Amazônia e valorização da floresta em pé e de sua biodiversidade. Com 16 anos de atuação, a instituição tem números de destaque, como o aumento de 202% na renda média de milhares famílias beneficiadas e a queda de 40% no desmatamento em áreas atendidas.

 

Sobre a Coiab

A Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab) é uma organização indígena com 34 anos de atuação na defesa dos direitos indígenas à terra, saúde, educação, cultura e sustentabilidade, considerando a diversidades de povos, e visando sua autonomia por meio de articulação política e fortalecimento das organizações indígenas.

É a maior organização indígena regional do Brasil em número de povos incluídos e área de abrangência. Atua em nove estados da Amazônia Brasileira (Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins) e está articulada com uma rede composta por associações locais, federações regionais, organizações de mulheres, professores, estudantes indígenas, e subdividida em 64 regiões de base.

 

Sobre a Makira E’ta

A Makira E’ta – Rede de Mulheres Indígena do Estado do Amazonas é uma Organização da Sociedade Civil (OSC) independente, privada, de interesse público, sem vínculos político-partidários, com fins não econômicos, fundada no dia 29 de julho de 2017.

Tem como missão a promoção e o desenvolvimento social, político e econômico, com prioridade à mulher indígena. A Makira E’ta acredita em uma sociedade com igualdade de oportunidades a todas as pessoas e neste o protagonismo da mulher indígena, principalmente nas comunidades que não são alcançadas pelas políticas públicas estaduais e municipais.




Comente esta notícia