logomarca
Cuiabá, 20 de Maio de 2024.

Pet Quarta-feira, 15 de Maio de 2024, 16:52 - A | A

Quarta-feira, 15 de Maio de 2024, 16h:52 - A | A

Pet com obesidade

Especialista fala sobre cuidados para evitar a obesidade em pets

É importante que o sobrepeso seja identificado o quanto antes iniciando o tratamento indicado pelo veterinário

Divulgação

IMG_1308.jpeg

 


A alimentação é a principal fonte de energia dos animais para gastarem ao longo do dia, mas, às vezes, por diversos motivos, acontece de os amigos de quatro patas comerem excessivamente. Dentre essas causas, a mais comum é quando oferecemos a eles alimentos impróprios ou não acontecem as práticas de exercícios, como explica a médica veterinária e coordenadora do curso de Medicina Veterinária do UNINASSAU - Centro Universitário Maurício de Nassau Recife, campus Graças, Priscila Leite.

 "Negar um petisco aqui ou ali aos pets é, muitas das vezes, quase que irresistível, porém é uma tarefa que precisa ser feita. Eles têm facilidade em conquistar nosso coração para conseguir comida, ainda assim, não podemos negligenciar a saúde dos nossos amigos de quatro patas", diz a coordenadora. 

 Por isso, é importante identificar quando seu animal está com sobrepeso ou já apresenta sinais de obesidade. Nos cães, por exemplo, o cansaço ao andar ou correr, a dificuldade para se locomover e em respirar são alguns dos indícios. Segundo a veterinária, existe uma medição técnica para saber se o animal apresenta obesidade canina.

"Há um método onde se avalia características corporais chamado Escore de Condição Corporal (ECC) e se baseia na palpação da camada de gordura corporal do cão, com escalas de 1 a 9. De 1 a 3 o cachorro está magro. De 4 a 6 é considerado peso adequado. Já de 7 a 10 está obeso e precisa ainda mais de cuidados", afirma Priscila.

Para evitar o peso elevado, a especialista aponta que é necessário ter uma alimentação equilibrada, com frutas, legumes, vegetais e outros tipos de proteínas que sejam adequadas ao animal. Caso a obesidade seja identificada, algumas medidas devem ser tomadas.

"Regrar a alimentação dos nossos amigos é sempre importante independentemente da fase da vida deles e não deixar a comida sempre disponíveis a eles. Para impedir complicações que podem vir desde problemas nas articulações até a menor expectativa de vida, procure o acompanhamento de um veterinário com o objetivo de oferecer hábitos mais saudáveis ao seu pet", orienta a veterinária.




Comente esta notícia