Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 22-10-2021 às 20:28

Projeto “Artemisa II: Arte Urbana Por um Outubro Além do Rosa”

Inspiradas em histórias de pacientes com câncer de mama, obras de Mari Pavanelli ocupam sete cidades brasileiras

Um dos painéis do projeto | Creditos: Divulgação

O projeto conta com dois murais de 24m de altura, exposição multimídia na estação Sé do metrô (SP), além de outdoors em pontos de ônibus nas cidades de Porto Alegre, Rio de Janeiro, Manaus, Fortaleza Salvador e Brasília.

Dia 1º de outubro foi inaugurado em sete cidades brasileiras o projeto “Artemisa II: Arte Urbana Por um Outubro Além do Rosa”. Composto por uma combinação de ações de intervenção urbana, Artemisa busca chamar atenção da população para a importância dos exames de detecção precoce do câncer de mama, tumor mais comum entre mulheres brasileiras, além da divulgação de informações de qualidade, em especial, sobre o câncer de mama metastático.

Neste terceiro ano de realização, “Artemisa II: Arte Urbana Por um Outubro Além do Rosa” conta com uma mostra multimídia na Estação Sé do Metrô de São Paulo, composta por seis totens de LED próximos à entrada do Poupatempo. Os vídeos mostram um pouco de cada paciente que, ao final, se transformam em arte pelas mãos da artista Mari Pavanelli. “Conheci estas mulheres, ouvi seus relatos e procurei transcrever, pela minha arte, como elas se sentem. Fiquei sensibilizada e me sinto abençoada por ter essa oportunidade”, revela a artista.

O projeto conta ainda com uma dupla de empenas, cada uma com 24m de altura por 8,5m de largura, na lateral de um prédio na Rua Domingos de Morais, 907, no bairro da Vila Mariana, em São Paulo. Neles, Mari Pavanelli vai dedicar sete dias de trabalho (de 01 a 08 de outubro), para produzir duas obras inspiradas em histórias reais de mulheres que enfrentam a luta contra o câncer de mama.

Por fim,  Artemisa II ocupa ainda as ruas de outras seis cidades brasileiras. Porto Alegre, Salvador e  Brasília  exibirão outdoors com obras de Mari Pavanelli e alertas para o mês da conscientização sobre o câncer de mama.  Já Rio de Janeiro, Manaus e Fortaleza, por meio de parceria com a JCDecaux, maior empresa de mídia out-of-home do Brasil e do mundo, 150 mobiliários urbanos também estarão ilustrados com obras de Mari Pavanelli e alertas para o mês da conscientização sobre o câncer de mama. 

Este é o terceiro ano de realização do projeto Artemisa II, idealizado pelo produtor cultural Igor Cayres em homenagem à mãe, Beth Cayres, famosa produtora cultural que faleceu em 2019, apenas quatro meses após receber o diagnóstico. “Minha mãe continuou trabalhando e demonstrando sua força e é inspiração para mim e um compromisso que assumi com a causa - levar por meio da cultura a beleza e a transformação das pacientes para sensibilizar a sociedade”, explica.

HISTÓRIAS REAIS

Receber o diagnóstico de câncer de mama metastático com apenas 29 anos foi um baque na vida da carioca Anna Carolina Fernandes. Principalmente por, na época, ter sido sentenciada com apenas mais seis meses de vida. Hoje, oito anos depois, Anna descobriu que a doença não é uma sentença de morte, mas uma sequência de cuidados. “Tenho muito respeito pela doença, mas entendi que posso ser mais forte que ela”. 

Relatos como o de Anna e de outras cinco pacientes, são a inspiração para o projeto “Artemisa II: Arte Urbana Por um Outubro Além do Rosa”, realizado por meio da Lei de Incentivo à Cultura como parte integrante das ações do Coletivo Pink, uma iniciativa da Pfizer, em parceria com associações de pacientes, que há quatro anos une arte e saúde em campanha que informa e emociona. 

 

 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.