Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 31-07-2021 às 18:53

Juíza de Direito Amini Haddad Campos é indicada pela “Virada Feminina” para vaga aberta no STF

O presidente Jair Bolsonaro poderá marcar sua carreira com um ato muito positivo, nomear uma mulher para o Supremo Tribunal Federal, na vaga aberta com a aposentadoria do ministro Marco Aurélio Mello.

Amini Haddad Campos | Creditos: Divulgação

O Movimento Nacional “Virada Feminina”  indicou, nesta semana, a Juíza de Direito Amini Haddad Campos, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, ao Supremo Tribunal Federal, na vaga aberta com a aposentadoria do ministro Marco Aurélio Mello, a nomeação do novo nome pode ocorrer ainda neste mês. Amini é a única representante feminina na disputa.
Já tem uma movimentação de organizações  que defendem os direitos e o empoderamento feminino na articulação. A Associação de Mulheres de Negócios e Profisdionais-BPW Cuiabá, que integra os Conselhos Estadual e Municipal dos Direitos da Mulher,  encaminhou assim que soube, uma solicitação em nível nacional, para a presidehte e coordenação do Comitê do Direito da Mulher da ONG Feminina, a BPW Brasil, sendo que a organização tem assento no Conselho Nacional dos Direitos da Mulher-CNDM para que reforce o apoio local. Amini Haddad Campos já recebeu o maior mérito da BPW Cuiabá, entregue anualmente para apenas uma mulher e, é muito parceira de suas ações. 
 

No ofício assinado por Marta Lívia Suplicy, Presidente Nacional da LIBRA - Liga das Mulheres Eleitoras do Brasil  e entregue ao presidente da República, Jair Bolsonaro,  foram elencados que a meritocracia, a honradez e a probidade, que o chefe de Estado defende para o cargo, encontra-se no  “manto virtuoso e currículo destacado” da magistrada mato-grossense.

Destacou-se que Amini Haddad Campos vem cumprir todas as qualidades imprescindíveis, exigidas ao cargo, além de ser um nome independente (sem vínculo ou parentesco político) e comprometido, desde 1999, com o combate à violência contra a Mulher. “De igual modo, a referida Magistrada desenvolve trabalhos de valorização da educação, de resgate de valores nas escolas, de proteção à infância e juventude, bem como de combate ao tráfico e dependência química (Programa Justiça em Estações Terapêuticas e Preventivas”.

No documento a ação voluntária e perspectiva cidadã, da juíza apresentada, também foram realçados e falou-se do “direcionado à Defesa dos Direitos Humanos de Meninas e Mulheres, bem como à equânime participação e voz destas, em todas as esferas de Poder e de gestão, como instrumental à consagração da Democracia e do Estado de Direito na República Federativa do Brasil, sob fiel observância da equidade entre homens e mulheres” .

Fala da Juíza 

Quando me disseram "vamos indicar o seu nome, pela sua história, preparo, ação comunitária e currículo", fiquei imaginando se era real...

Minha vida sempre foi pautada em trabalho, portanto, independentemente do resultado continuarei fazendo o que sempre fiz: atuar com dedicação, zelo e amor. Onde quer que eu esteja.

Sei que é difícil às mulheres romperem com a evidência simbólica dessa comum ausência do feminino.

Mas, é imprescindível que as mulheres, pelo mérito de suas histórias e dedicação, possam ocupar esses espaços. 

Assim, as meninas irão crescer com a ideia "eu também posso". "Esse espaço também é legítimo para mim... para o feminino." (Há estudos sérios inclusive promovidos pela Universidade de Harvard, nesse sentido).

Há pesquisas atuais que falam sobre esses efeitos simbólicos na vida, na realidade das escolhas (permissão ou não).

Infelizmente, as propagandas comumente informam o espaço doméstico ao feminino (material de limpeza, produtos de casa, cuidados com os filhos), com imagens de mulheres atreladas a esse modelo. 

As mulheres têm muito a contribuir para o social, humano, justiça, gestão, etc.

A minha presença, ainda que seja somente para servir de uma apresentação feita, vem cumprir esse papel simbólico de dar legitimidade às mulheres.

Competência não falta ao universo feminino.

Caso alcance, pela graça de Deus essa vitória, farei o meu melhor, sempre.

Destaques do currículo

Amini Haddad Campos-  Juíza de Direito-TJ/MT. Professora Efetiva da FD-UFMT. Coordenadora do Núcleo de Estudos Científicos sobre as Vulnerabilidades - NEVU/FD-UFMT. Doutora em Processo Civil (Efetividade do Direito), pela PUC-SP. Doutora em Direitos Humanos e Gênero pela Universidade Católica de Santa Fe.  Mestre em Direito Constitucional pela PUC-RJ. Em Pós-doutoramento pela Universidad Salamanca-ES.   Detém estágio e  extensão no International Judicial Training Program in Judicial Administration -  University of Georgia, Athens-USA. Escritora e Poetisa, com publicações nacional e internacionalmente. Membro da Academia Mato-Grossense de Letras (cadeira 39), da Academia de Magistrados, da Academia Internacional de Cultura e da International Association of Women Judges-IAWJ. É a atual Vice-presidente da Academia Mato-Grossense de Direito.

Sobre a Virada Feminina

Trata-se de um movimento de ação voluntária e perspectiva cidadã, direcionado à Defesa dos Direitos Humanos de Meninas e Mulheres, bem como à equânime participação e voz destas, em todas as esferas de Poder e de gestão, como instrumental à consagração da Democracia e do Estado de Direito na República Federativa do Brasil, sob fiel observância da equidade entre homens e mulheres.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.

Marta . 02-07-2021 11:49hs

Na torcida por Amini

Marli Walker . 02-07-2021 11:52hs

Notícia maravilhosa! Na torcida pelo reconhecimento do trabalho imenso que a juíza vem desenvolvendo pela causa feminina. Faço votos que a vaga seja ocupada por esta mulher excepcional.

Marli Walker . 02-07-2021 11:54hs

Faço votos que o trabalho excepcional da juíza seja reconhecido e tenhamos mais uma mulher de imenso valor no Supremo!

Ubiratã Nascentes Alves . 02-07-2021 12:50hs

EXCELENTE NOME P/ OCUPAR UMA CADEIRA DESTA ENVERGADURA NA CORTE SUPREMA, ROBUSTOS CONHECIMENTOS JURÍDICOS E INQUESTIONÁVEL POSTURA ÉTICA, QUE CERTAMENTE ENREQUICERÁ AS DECISÕES E OXIGENARÁ OS SEUS QUADROS.

Andrea . 02-07-2021 14:26hs

Muito orgulho para nós mulheres! A BPW Cuiabá está na torcida !