Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 15-06-2021 às 22:34

Rapidinha é bom e muita gente gosta! Brasileiros de rede social relatam suas preferências

Pesquisa feita pela maior rede social de sexo liberal da América Latina, o Sexlog, demonstra que a preferência pela rapidinha não é unanimidade, mas que na hora H, ela pode ser a solução

Segundo cerca de 94 % dos usuários do Sexlog, maior rede social de sexo liberal da América Latina, a rapidinhapode ser a aliada, sim. | Creditos: Pixabay

Em tempos de WhatsApp acelerando o áudio e dias intermináveis, o Sexlog descobriu que parar um pouco a rotina para ter prazer pode ser uma boa. 

Segundo cerca de 94 % dos usuários do Sexlog, maior rede social de sexo liberal da América Latina, a rapidinhapode ser a aliada, sim. De acordo com o levantamento recente feito com os cadastrados na plataforma, 47.3% das pessoas são adeptas da famosa rapidinhae adoram a prática, enquanto outros 46,6% dizem que também são adeptos, mas preferem as relações sexuais mais longas. 

 

A pesquisa reuniu cerca de 35 mil respondentes, dentre perfis de homens, mulheres e casais. Os que mais são adeptos à rapidinha são os homens, em que  52,1 % deles disseram que adoram a prática implementada à rotina. Os casais são os que menos preferem as rapidinhas, já que entre eles,  65,2% dos entrevistados alegam que se sentem mais satisfeitos quando a transa dura mais tempo. 

 

Um dado interessante demonstrado na pesquisa é o que revela que dentre das mulheres, quando perguntadas se pudessem escolher um único tipo de sexo para o resto da vida, 54,1% das entrevistadas disseram que prefeririam só dar rapidinhas, mas gozar todas às vezes, contra 45.9% que preferem só fazer sexo longo, mas não necessariamente gozar todas às vezes.

 

“Nossa intenção com a pesquisa é entender de que forma as pessoas lidam com o sexo, rapidinho ou não, no dia a dia. Analisar se mudanças de rotina impostas pela quarentena, por exemplo, mudaram também a duração do que as pessoas consideram ideal no sexo. A descoberta é que tá tudo meio a meio, agora resta saber se nos relacionamentos já consolidados o gosto pela rapidinha dá match ou só tem metade do casal feliz com o seu desempenho entre quatro paredes.”, declara a diretora de marketing do Sexlog, Mayumi Sato . 

 

O levantamento ainda mostrou que quase 85% dos usuários consideram que a rapidinha é um sexo de menos de 10 minutos de duração. Dentro desse montante, 45% acreditam que a prática é de um sexo de poucos segundos indo até 5 minutos de duração.

 

Na contramão da pesquisa, cerca de 67% das pessoas disseram que demoram mais de 10 minutos para gozar. Ou seja, nem sempre terminam o sexo com um orgasmo.

 

É rapidinha, mas dá tempo de dar errado...

 

Durante a pesquisa, os entrevistados responderam quais foram os momentos mais inusitados que já viveram durante uma rapidinha. Os relatos são, para dizer o mínimo, surpreendentes.

 

- “Uma rapidinha na escada de um prédio. Quando a mulher gozou, ela ficou com as pernas fracas e caiu”

 

- “Transei com a minha ex dentro do banheiro de um apartamento que estávamos visitando para alugar. Derrubamos a pia e fomos embora”

 

- “Caí quando me encostei em uma parede falsa de uma casa de swing”.

 

- “Estava numa rapidinha na hora do almoço e o chefe ligou urgentemente. Tive que atendê-lo, meio ofegante. Ele perguntou o que era. Eu disse que a companheira machucou e estava correndo com ela pro hospital. Resultado: a rapidinhavirou tarde no motel”. 

 

- “Estávamos no meio da rapidinha quando um entregador chegou apertando a campainha, tentando ver se tinha alguém dentro da casa. Nós estávamos na sala, colocando a roupa rápido para atender. Até hoje não sabemos se ele viu algo pela janela ou não”.

- “Durante a rapidinha, o rapaz não se estimulava. Eu fazia tudo o que era possível, e ele nada. Coloquei a roupa e disse que ia comprar um estimulante. E, até hoje, não voltei mais”.

 

- “Foi em uma estrada. A intenção era fazer uma rapidinha, mas resolvemos descer do carro. Os dois pelados, a porta do carro fechou, só notei que a chave tinha ficado para dentro do carro depois de tudo acabar. Ficamos nós dois pelados, no meio da estrada, do lado de fora do carro. Tive que quebrar o vidro do carro com uma pedra, mas no final tudo foi muito bom”.

 

Sobre o Sexlog

O Sexlog.com é a maior rede social de sexo e swing do Brasil, com mais de 14 milhões de usuários cadastrados. São milhares de fotos e vídeos reais publicados por dia, todos com conteúdo amador. Trocas de mensagens, convites para encontros e divulgação de eventos também fazem parte da rede, que visa proporcionar prazer para pessoas solteiras e casadas que buscam novidades na cama.

Informações para Imprensa:

Agência Bowie

imprensa@agenciabowie.com.br

Manuella Tavares - manuella@agenciabowie.com.br / (11) 99292-2457

Rafael Cicconi - rafaelc@agenciabowie.com.br / (13) 99751-6000

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.