Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 02-12-2020 às 02:41

Cama não é tudo igual! Arquiteta Patricia Penna explica como escolher o melhor estilo para o projeto do dormitório

Além de ser fundamental para saúde e bem-estar, a peça tem papel muito importante na decoração do ambiente

Dormitório projetado para um rapaz, com cama ampla | Creditos: Sérgio Israel

 

A referência oriental é o destaque desta cama executada no dormitório assinado pelo escritório Patricia Penna Arquitetura & Design | Foto Leandro Moraes

A cama pode ser considerada o elemento mais importante do quarto. Ela é imprescindível para nosso descanso, e sua qualidade reflete diretamente em nossa saúde e bem-estar. Dessa forma, uma boa cama faz toda diferença. Mas, ao abordar uma peça tão significativa, não podemos deixar de lado a sua relevância na composição do décor. “Por, normalmente, ocupar um espaço maior que as demais peças, é fundamental que a cama esteja em harmonia com os demais elementos do quarto, como materiais e acabamentos aplicados, explica a arquiteta Patricia Penna, à frente do escritório Patricia Penna Arquitetura & Design, que em seus projetos aposta em modelos que se destacam pelos estilos e características que marcam a decoração. Acompanhe as dicas da profissional:

Vista de alguns ângulos, a cama de base recuada tem uma marcenaria de aparência leve, que parece flutuar | Foto Leandro Moraes

Existem dois aspectos importantes a serem considerados na escolha da cama: o prático e o estéticoO primeiro está diretamente ligado ao bem-estar, e deve figurar no topo das prioridades. “O aspecto prático considera questões como a ergonomia geral; altura final, comprimento x largura, além dos materiais e a segurança do design. Costumo dizer que o trabalho vai muito além de simplesmente escolher a densidade do colchão, que já é importante”, explica arquiteta.

segundo aspecto diz respeito ao estilo, que deve ‘conversar’ com a proposta do ambiente. “Sob esta ótica, a cama deixa de ser um elemento de função técnica e passa a ter importância e funções plásticas, podendo ser a ‘menina dos olhos’, de um quarto”, observa Patricia.

Espaçosa, a cama do dormitório projetado para um jovem rapaz conta com base recuada e colchão apoiado, tipo futon Foto: Sérgio Israel

É essencial que a cama represente intimamente o gosto pessoal de quem a utilizará, regra que vale para todas as decisões do projeto, segundo a arquiteta. Todavia, com a cama isso deve ser levado ainda mais em consideração. “Já tivemos clientes que queriam manter a cama anterior ou nos indicaram um modelo específico que gostariam de ter, no novo dormitório. Nestes casos, os demais itens virão em consonância com o móvel. O cliente precisa sentir-se bem, afinal esse é o lugar de repouso dele”, afirma.

Com cabeceira e “peseira” estofados em seda, esta cama de estilo Luiz XV, da Christie Moveis, tem acabamento em folha de prata | Foto: Marco Tiê

Após o estilo de cama definido, as dimensões precisam ser avaliadas. Segundo Patricia, quartos menores pedem camas proporcionais às suas dimensões. “É preciso que haja uma circulação de, no mínimo, 60cm, entre a cama e qualquer outra peça, ou parede, confrontante”, detalha. De acordo com a profissional, uma dica valiosa para dormitórios compactos é evitar camas com a chamada quina ‘viva’, que podem causar acidentes em circulações mais restritas.

  

Cama com base recuada e mesas laterais anexas, suspensas. A cama desse dormitório é mais baixa e inspirada no estilo oriental. A cabeceira com tapeçaria em linho foi aplicada no nicho formado pela marcenaria | Foto Leandro Moraes

Patricia acredita que, quando o assunto é cama, não existem tendências a serem seguidas. O que deve prevalecer é o estilo pessoal de cada um, mas afirma que os modelos de cama box com saias lisas e cabeceira, em tecido nunca sairão de moda. “O clássico e simples sempre seguirão alta, o que não significa que esta seja uma regra a ser seguida à risca”, finaliza.

Sobre Patrícia Penna

No mercado há mais de 20 anos, a arquiteta Patrícia Penna é destaque de mostra de decorações no Brasil e no exterior. Com a equipe multidisciplinar que faz parte do escritório Patrícia Penna Arquitetura & Design, assina projetos de arquitetura e design de interiores nas áreas residenciais, corporativos e institucionais.

Seu principal objetivo é atender às expectativas de cada cliente, traduzindo seus anseios e concretizando-os. Transitando por estilos variados, trabalha com grande apuro e cuidado ao lado da equipe para atingir um resultado marcado pelo ecletismo e, sobretudo, pela identificação particular de cada cliente com o seu próprio projeto.

Rua Armando D’Oliveira Cobra, 50 – São José dos Campos

(12) 3209-9785

www.patriciapenna.arq.br

@patricia_penna_arquitetura

 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.