Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 02-12-2020 às 15:02

Introdução ao sex shop: como começar a usar produtos eróticos?

Estudos e pesquisas apontam que o isolamento social em decorrência da pandemia de Covid-19 fez aumentar a procura por artigos de sex shop, como vibrador e lubrificante,  em mercados on-line.

Para quem tem vergonha de consumir produtos da sex shop, ainda é preciso ter muita pesquisa e conversa | Creditos: Pixabay e divulgação

Geraldo Pacheco, administrador da Segredo Erótico, loja especializada no ramo, foi um dos que sentiu o impacto nos seus números: "Tivemos um pico de vendas no início de junho. A data coincide com o Dia dos Namorados, mas nós tivemos um aumento de 24% em comparação a 2019, mesmo sendo o nosso primeiro ano com a loja física fechada", afirma o dono da sex shop.

O incremento nas vendas pode refletir tanto o consumo dos clientes já adeptos desse tipo de produto, quanto o interesse de um público mais geral. "Nesse momento, as pessoas aproveitaram para investir no autoconhecimento sexual, ligado à descoberta do corpo", aponta a sexóloga Elisangela Pereira.

No entanto, homens e mulheres ainda têm dificuldades em buscar novos caminhos para desenvolverem sua sexualidade, principalmente quando se fala de sex shop. O Diário de Psicologia do Consumidor, na Universidade de Indiana, observou em um estudo com mais de 600 mulheres norte-americanas que comprar produtos eróticos é um tabu para muitas delas.

"Ainda há vergonha, mas porque ela está julgando a si mesma, não necessariamente pelo julgamento alheio", diz Kelly Herd, professora e coautora da pesquisa.

Antes de correrem para o primeiro e-commerce e comprarem o plug anal mais sofisticado, muitas pessoas precisam se preparar psicologicamente e buscar um diálogo mais aberto e saudável quando se trata de sexo.

Diálogo com primeiro passo

Ter uma conversa sincera com o companheiro ou a companheira é essencial para quem pretende experimentar produtos eróticos. "Muitas vezes, ambos sentem a mesma vontade, mas tem receio de trazer o assunto à tona", diz Geraldo Pacheco.

É importante o casal falar sobre os seus desejos e discutir junto como inovar na relação sexual. Caso seja difícil iniciar a conversa, uma dica é comentar, naturalmente, sobre algo que leu ou ouviu, para saber o que o outro acha, como recebe.

Segundo Pacheco, apesar de não ser comum, há os que têm medo de serem preteridos pelos parceiros ao inserirem produtos na rotina sexual. "Em todos esses anos no mercado, nunca ouvimos nenhum relato de que alguém foi trocado por um brinquedo erótico. Os cosméticos e acessórios são aliados do casal e nunca um 'concorrente'", lembra.

Para quem está solteiro e ainda tem vergonha de consumir produtos da sex shop, ainda é preciso ter muita pesquisa e conversa. Procurar por textos e vídeos da temática, além de comentar com amigos próximos, que tenham experiência com o mercado, é uma maneira estratégica de se sentir mais confortável nesse novo universo.

Percebendo o medo e desconforto que muitos clientes de primeira viagem sentiam, a Segredo Erótico montou um canal o Youtube para falar de diversos produtos, de maneira leve e natural. Em um dos vídeos, Tamiris Vila Nova, que toca a empresa junto com Geraldo, comenta sobre o poderoso Satisfyer Pro 2 - vibrador que estimula o clítoris e promete orgasmos em minutos.

Produtos ideais para iniciantes

No que se refere à gama de produtos, existem os mais "extravagantes", que podem assustar quem não está inserido no mundo da sex shop. Por isso, Pacheco cita três estilos que tendem a dialogar melhor com os casais iniciantes.

O primeiro são os géis para sexo oral. "Costumam ser uma porta de entrada para a maioria das pessoas. São muito populares e adicionam apenas sabor à relação", afirma. As substâncias usadas nesse produto devem ser bem pensadas, uma vez que servem tanto para lubrificar a área, quanto para serem comestíveis - por isso a necessidade de contar sempre com marcas de confiança.

Os géis para sexo oral vêm em vários sabores

Outro mencionado como porta de entrada pelo empresário é o anel vibratório. Podendo ser utilizado diretamente no pênis, retardando a ejaculação, ou nos dedos como forma de estimular o parceiro ou parceira, o anel é versátil. Existem opções diversas no mercado, como de pressão, com consolo embutido ou vibratório.

Os anéis vibratórios estimulam tanto o pênis quanto a vagina

Por fim, Pacheco aponta que jogos sexuais com dados são ótimas formas de introduzir o assunto na rotina do casal. "São sutis, bem humorados e existem opções para todos os tipos de pessoas, indo de brincadeiras mais lights até as mais picantes", indica o empresário.

Existem também muitas opções para quem está solteiro, mas quer se iniciar no universo de sexshops. Os sugadores de clitóris são uma boa alternativa, já que podem vir em tamanhos e preços menores - caso a pessoa não esteja disposta a gastar tanto na experimentação.

A maioria dos produtos do estilo disponíveis no mercado funciona como sugador e/ou vibrador. A estimulação na parte interna e externa da vagina promete orgasmos em poucos minutos, sendo uma ferramenta ideal para começar a montar o estoque de brinquedos eróticos.

Sugador de clitóris promete orgasmos em tempo recorde

Já para quem tem pênis, anéis vibratórios e géis lubrificantes são uma combinação estratégica para ajudar na masturbação.

Sem lugar para vergonha

Muitas pessoas ainda têm medo de encomendar algo de uma sex shop e, quando o pacote chegar, terem sua compra revelada para todos. Família, porteiro e quem mais entrar em contato com a caixa.

Essa, porém, não precisa ser uma preocupação. Por saberem do tabu que ainda há em torno de seus produtos, sex shops trabalham com a discrição como palavra de ordem. Por isso, em suas embalagens, não há nenhum sinal de que se trate de um produto erótico.

"Quando a pessoa recebe em casa, é uma caixa parda como qualquer outra. Sem abrir, é impossível saber o que há dentro", afirma Geraldo.

, quem pretende fazer a sua primeira compra pode efetuar o seu pedido tranquilamente sabendo que não terá sua intimidade exposta, o que é essencial para aqueles que ainda sentem vergonha da temática.

Confira o infográfico com os principais pontos da matéria.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.