Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 21-10-2020 às 17:55

Dia da Saúde Mental: Transtornos psicológicos afetam a segurança no trânsito

Atualmente, condutores comuns fazem uma única avaliação psicológica, ao tirar a Carteira Nacional de Habilitação. A boa saúde mental é fundamental para os motoristas dirigirem com calma | Creditos:  Jill Wellington por Pixabay

Uma pesquisa feita pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) para o Dia da Saúde Mental, celebrado em 10 de outubro, revelou que a pandemia provocou um impacto negativo na saúde mental de mais da metade dos entrevistados. O estudo apontou que a epidemia global "agravou doenças mentais existentes, gerou novas doenças e limitou ainda mais o acesso aos serviços de saúde mental". O diretor da Associação Mineira de Medicina do Tráfego (AMMETRA) e coordenador da Mobilização Nacional de Médicos e Psicólogos Especialistas em Trânsito, Alysson Coimbra, explica que essas alterações afetam a segurança viária de forma direta. “O trânsito está mais violento. Os motoristas estão mais agressivos ao dirigir e os casos de brigas têm sido constantes”, aponta.

De acordo com o diretor da AMMETRA, esse cenário reforça a urgência em cuidar melhor da saúde mental dos motoristas. Atualmente, condutores comuns fazem uma única avaliação psicológica, ao tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), perto dos 18 anos. “Nessa idade, as pessoas ainda estão em formação e mudam muito ao longo da vida. Todos passamos por constantes transformações em curtos espaços de tempo, não podemos atestar a capacidade psicológica de uma pessoa somente no momento da habilitação”, completa Coimbra.

O médico Alysson Coimbra

Uma pesquisa recente feita pela Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) confirma em números a avaliação dos especialistas em trânsito. De acordo com o estudo, cerca de 283,5 mil acidentes de trânsito registrados em rodovias brasileiras nos últimos anos foram provocados direta ou indiretamente por questões relacionadas à saúde dos motoristas. E 76% destes acidentes foram provocados por falta de atenção ao dirigir, consequência de situações como fadiga, estresse, cansaço, deficit de atenção ou comprometimento do raciocínio. Essa condição foi responsável por 62% (9.047) das mortes e 74% (182.288) dos ferimentos no período. “Por isso a avaliação da saúde mental é importante, principalmente no que se refere aos aspectos cognitivos, atenção concentrada, atenção dividida e atenção alternada. É muito importante nessa avaliação a percepção dos traços de personalidade do condutor, como impulsividade, agressividade e ansiedade, fatores que, somados, interferem diretamente na capacidade de dirigir de forma segura”, avalia o especialista.

Estas ocorrências causaram a morte de 14.551 pessoas e deixaram outras 247.475 feridas. “Esses acidentes e mortes poderiam ser evitados se todos condutores realizassem exames médicos e psicológicos na renovação da CNH em menores espaços de tempo”, reforça Coimbra.

Diante deste cenário, entidades médicas defendem a aprovação do PL 98/2015 como uma alternativa para salvar vidas no trânsito. O projeto determina a realização de avaliação psicológica em todos os motoristas no ato da renovação da CNH e atualmente está parado no Senado. “Esse PL é uma solução para ajudar a detectar de forma precoce cenários de instabilidade psicológica nos motoristas e, assim, reduzir o número de acidentes e mortes”, afirma Coimbra.

Na foto o coordenador da Mobilização Nacional de Médicos e Psicólogos Especialistas em Trânsito, Alysson Coimbra

 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.