Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 21-09-2020 às 08:02

Como evoluir a maturidade da sua empresa

Para que seja evoluído o patamar de maturidade do negócio, se faz necessário seguir alguns passos importantes; conheça-os no artigo abaixo

O fator primordial para uma empresa que quer evoluir a maturidade é que ela tenha os seus riscos monitorados e planos de ação preventivos para evitar que esses riscos se materializem. | Creditos: Canva

Aliar uma boa gestão de processo e pessoas faz com que o negócio tenha um desempenho mais competitivo no mercado. Tal contexto está diretamente relacionado à maturidade empresarial – conceito que aborda a clareza de informações, cultura e estrutura, voltado para o sucesso do negócio.

Realizar o diagnóstico da realidade de cada empresa, passa por mensuração de resultados, cultura organizacional e processos diários. Entretanto, a pergunta que fica em quem realiza esse diagnóstico é: o que fazer então, para desenvolver a maturidade empresarial?

Para que seja evoluído o patamar de maturidade do negócio, se faz necessário seguir alguns passos importantes:

  1. Gerenciar riscos: O fator primordial para uma empresa que quer evoluir a maturidade é que ela tenha os seus riscos monitorados e planos de ação preventivos para evitar que esses riscos se materializem. Os planos de gerenciamento de riscos devem abranger todas as características da empresa. Para isso, equipes multidisciplinares precisam participar ativamente para elaborar o plano e desenvolver as ações necessárias.

 

  1. Visão estratégica a curto, médio e longo prazo: Uma empresa que deseja ter uma maturidade elevada precisa saber o que quer a curto, médio e longo prazo. Isso porque é muito importante que todos na companhia saibam qual decisão tomar em ocorrências adversas, pensando no que o negócio espera para o futuro. Uma empresa que deseja ser referência em responsabilidade social não pode, no momento de crise, realizar cortes em atividades desenvolvidas com a comunidade, por exemplo. Essa visão ajuda a companhia a direcionar suas ações para o futuro. Com isso, problemas que impactam diretamente nos resultados são evitados.

 

  1. Contratar é a parte mais importante do negócio: Empresa madura contrata pessoas que estão na mesma sintonia que ela. O fator contratação é uma base que precisa ser muito sólida. Os custos de uma contratação mal feita são muito altos e o tempo perdido gera impactos imensuráveis. As companhias que desejam ser mais maduras em sua gestão, precisam contratar pessoas com valores ligados aos dela. Com isso, ambos podem seguir no mesmo caminho sem maiores complexidades.

 

  1. As pessoas devem se sentir acompanhadas: A relação empresa versus funcionário nunca precisou ser tão próxima como nos dias de hoje. As empresas mais maduras fazem o funcionário sentir-se em casa, mesmo no trabalho. A maturidade impacta essa relação em cheio, situação em que os colaboradores se sentem lesados o tempo todo em companhias imaturas, visto que o relacionamento não tem confiança de nenhum dos lados. Para equilibrar essa atividade, pesquisas, programas de sugestões, atividades para aproximar a empresa, comissões mistas entre colaboradores e empresa devem ser atividades costumeiras. Com isso, o relacionamento se equilibra e as pessoas sentem-se mais confortáveis ao realizar o trabalho.

 

Como pudemos ver, a maturidade está mais intrínseca ao processo de gestão empresarial do que imaginamos. Pequenas questões demonstram o quanto uma empresa pode perder por não estar preparada. Os graus de maturidade são alvo de pesquisa há muito tempo, porém, ainda não estão disseminados o bastante para tornar-se um plano de gestão padronizado nas companhias.

As empresas que são maduras, suportam crises com mais seriedade e menos dor. Com isso, as fases do luto passam mais rapidamente, permitindo que os ciclos de inovação sejam possíveis de realizar de forma mais rápida e uma retomada após um momento difícil é antecipada em relação à concorrência.

Maturidade empresarial é muito mais de que uma forma de gerir. É um diferencial de mercado, em que tudo aquilo que você realiza de forma organizada e segura tem todas as chances de ser mais competitivo, sem necessidade de sacrifícios extremos.

 

Sobre o especialista:

Luiz Otávio Goi Jr. tem formação na área ambiental, especialista em educação, sistemas de gestão integrados e MBA em Gestão empresarial. Tem expressiva vivência em gestão no ramo da indústria, no qual soma mais de 14 anos de experiência nos ramos automobilístico, energia e bens de consumo. Atualmente, é executivo em sistemas de gestão em indústria de grande porte, autor do livro “Administrando sistemas, gerindo processos e engajando pessoas” e publica artigos periódicos voltados a sistemas de gestão em revistas e páginas técnicas na área.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.