Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 12-08-2020 às 19:31

Crise vaginal: condição pós-parto pode atrapalhar sexo

Se o problema se prolongar, a crise vaginal, também conhecida como atrofia vaginal, pode atrapalhar a vida sexual do casal.

Os sintomas geralmente são leves e melhoram com o o tempo, mas em casos mais graves pode até causar incômodo em situações cotidianas, como sentar, usar calças e ao urinar | Creditos: Canva

No puerpério, período de cerca de 40 dias após o nascimento do bebê,  o corpo da mulher passa por alterações físicas e hormonais, que podem impactar tanto na vida sexual quanto na saúde emocional. 

Pouco conhecida, a crise vaginal é uma condição que pode surgir no período pós-parto, por conta do aumento dos níveis de prolactina (hormônio responsável pela produção de leite) e queda dos níveis de estrogênio. Em algumas mulheres, essa queda acentuada de estrogênio provoca uma atrofia genital importante. Trata-se do afinamento da mucosa, diminuição da elasticidade e do fluxo sanguíneo vaginal, ressecamento, coceira, irritação e ardor.

Os sintomas geralmente são leves e melhoram com o o tempo, mas em casos mais graves pode até causar incômodo em situações cotidianas, como sentar, usar calças e ao urinar (sensação de dor ou queimação). Se o problema se prolongar, a crise vaginal, também conhecida como atrofia vaginal, pode atrapalhar a vida sexual do casal.

De acordo com Nathalie Raibolt, ginecologista, especialista em sexualidade humana, o aumento de prolactina, hormônio responsável pela produção de leite, inibe a produção de progesterona e de estrogênio. “Além de sentir o órgão sexual mais seco, a mulher sente uma queda na libido, que por outro lado acaba sendo intensificada pelo cansaço e mudanças na rotina. O ideal é que o assunto seja conversado abertamente com o parceiro”, ressalta a especialista. A falta de libido é normal durante a fase de amamentação, mas se os sintomas se prolongarem ou começarem a afetar o relacionamento do casal, o ideal é procurar orientação médica. "A mulher costuma ter muitas dúvidas quanto ao que acontece com o próprio corpo no pós-parto. Mas, como está muito focada no bebê, acaba não dando atenção aos seus próprios sintomas. O importante é saber: nada que cause dor ou sofrimento deve ser considerado normal", afirma Nathalie. 

Vale destacar que a Crise Vaginal, assim como a maioria das condições femininas que afetam a saúde sexual, têm tratamento. O tratamento geralmente é simples: aplicação local de estrogênio. Portanto, se você acabou de ter filhos e têm dúvidas sobre as mudanças que estão acontecendo no seu corpo, converse com a sua ginecologista! E busque orientação! Sofrer e sentir dor, não é normal! E não é só o bebê que precisa de cuidados especiais nos primeiros meses da vida dele, a mãe também merece atenção especial!

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.