Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 21-09-2020 às 08:12

Aprendizados do Delivery: Re Cruz fala sobre o mercado de alimentação

Tudo nesse momento é incerto, por isso toda escolha deve ser feita com cautela. É preciso focar no controle dos gastos e custos, mas também analisar suas vendas para entender o comportamento do cliente e como você pode melhorar

Re Cruz, empresária, idealizadora da plataforma Foodness | Creditos: André Ligeiro

Re Cruz empreende desde os 16 anos. Curiosa e apaixonada pelas diferentes culturas do mundo, já sabia quando pequena que queria estudar muito, viajar aos montes, experimentar um pouco de tudo, comer bem. Não deu outra: estudou hotelaria, gastronomia e logo estava fora do Brasil. Em 2008 desembarcou em Paris para estudar na Lenôtre, a convite do chef Phelippe Gobet, uma importante escola que lhe conferiu repertório cultural, gastronômico e fôlego importantes para abrir seu segundo segundo negócio, o restaurante e buffet de comfort food Amici.

O negócio lhe rendeu louros: foi indicada como chef revelação, ganhou prêmio da revista Época São Paulo, assinou o cardápio de vôos nacionais da TAM, executou cattering dos principais eventos de moda, entretenimento, corporativos e afetivos do país, faturou muito, perdeu muito, aprendeu bastante. Com a bagagem reunida, as lições aprendidas durante longos nove anos e já com o negócio revisto e rebatizado de Re Cruz To Go, descobriu sua verdadeira vocação: compartilhar experiência, criar laços, construir histórias, comunicar idéias. 

Nascia em 2019 o Foodness, plataforma de gestão de negócios da alimentação e novas mídias, que tem como propósito reunir a partir de diferentes produtos e entregas empreendedores, especialistas, alunos, formadores de opinião e interessados em abrir um negócio no setor. E é neste mês de maio que Renata apresenta para o mercado o seu novo e tão esperado projeto, a série de cursos online que reunirá os players do cenário nacional, amigos e colegas próximos, com o intuito de fazer o que acredita ser a sua missão de vida: disseminar informação e ideias. Ela segue empreendendo.

 

Foodness

“O Foodness existe para as pessoas não precisarem passar pelo que eu passei”. Foi a partir da experiência bem sucedida do seu próprio restaurante e buffet - que com uma gestão despreparada, levou um case promissor à quase falência - que a empresária paulistana Re Cruz desenhou o Foodness: plataforma multimídia de gestão de negócios da alimentação e novas mídias, que tem como missão oferecer conteúdo e ferramentas testados na pratica, para empreendedores do ramo gastronômico.

"O Foodness nasceu para ajudar as pessoas. Somos uma plataforma de conteúdo de gestão através do prisma de quem empreende, põe a mão na massa. Sempre esteve nos meus planos trazer profissionais do mercado para cada um falar daquilo que mais entende, mais domina e mais gosta”, explica Re, que reitera ainda que a iniciativa não é nem tem a pretensão de ser uma escola

O guarda-chuva do negócio inclui consultoria, mentoria, podcast e cursos online, no formato de master classes, que reunirão os principais players quando o assunto é comida, gestão e comunicação. O Foodness é uma plataforma, nas palavras da sua idealizadora, feita para chefs e empresários que entendem que a gastronomia é muito mais do que o glamour, “é sobre sangue, suor e boletos”, enfatiza o lema do negócio

O Instagram @somosfoodness é hoje um importante canal de comunicação e trocas das informações fomentadas pelo Foodness. É a partir da mídia que a idealizadora tem apresentado semanalmente as séries de conteúdos “Dicionário Gastronômico” e “Fala que eu te Escuto”, nos quais Re Cruz desmistifica, traduz e esclarece duvidas de empresários, curiosos e empreendedores a carca do mercado da alimentação.

São promovidas lives e podcast com importantes nomes do mercado nacional e internacional, já passaram pelo “balcão” da Renata nomes como André Mifano, Bel Coelho, Paula Labaki e Benny Novak, Ricardo Garrido, Rogério Betti, Renata Vazetto e Rosa Moraes.


Pandemia e mercado

Com os salões fechados, todos tivemos que nos adaptar à nova realidade. Montar uma operação de um delivery é desafiador e a essa altura já entendemos que é muito mais complexo do que colocar a comida em uma caixa. A operação é complexa, exige novos processos e análise contínua para ajustes e adaptações.

No início houve um crescimento no número de pedidos do delivery, como esperado. Um estudo feito pela Corebiz, empresa de inteligência para marcas do varejo, mostrou que a receita das compras por delivery no segmento alimentício cresceu 77% entre os dias 1º a 18 de março. Porém, o mercado já notou uma queda expressiva nas vendas, talvez já justificada por uma redução de gastos da parte dos clientes.

Tudo nesse momento é incerto, por isso toda escolha deve ser feita com cautela. É preciso focar no controle dos gastos e custos, mas também analisar suas vendas para entender o comportamento do cliente e como você pode melhorar.

Qual o prato mais vendido? Em dia você mais vende? Em qual menos vende? Posso reduzir o cardápio? Quais os meus produtos com mais margem? Posso criar combos? Como me relacionar com o meu cliente?

As respostas de todas essas perguntas viram informações que te ajudam na tomada de decisão. E decisões devem ser feitas com base em dados e análises. É preciso também estar atento ao mercado e em todas as movimentações.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.