Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 14-08-2020 às 10:13

Autonomia e independência das crianças durante o isolamento

Permitir que as crianças se envolvam na rotina da casa os faz se sentirem úteis

Os pais podem destinar atividades como, por exemplo, recolher os brinquedos após brincar e auxiliar em arrumar a mesa na hora das refeições. | Creditos: PixaBay

As crianças podem aproveitar o período de isolamento, provocado pela pandemia da Covid-19, para desenvolver a autonomia e a independência. Geralmente, os pais buscam fazer as coisas pelos filhos. Porém, com a nova rotina, alguns ficam sem tempo, porque precisam trabalhar redobrado de casa. Com isso, as crianças acabam tendo que se virar. No entanto, isso é bom para o desenvolvimento delas.

Vale ressaltar que as crianças gostam de se sentir úteis. É bom que elas ajudem nas tarefas domésticas e, assim, ocupem o tempo. Os pais podem destinar atividades como, por exemplo, arrumar a cama, terem a responsabilidade de colocar água para o bichinho de estimação, recolher os brinquedos após brincar e auxiliar em arrumar a mesa na hora das refeições. No fim de semana, pode-se incentivar a autonomia com os pais deixando os filhos escolherem o filme que a família vai assistir.

Outra dica é reforçar a higienização de maneira lúdica e mais leve com músicas que incentivem esse hábito. O personagem do ratinho do Castelo-Rá-Tim-Bum usa a canção “Banho é bom” para reforçar a importância do banho e de lavar o corpo todo. Aproveite e cante com as crianças a música durante o banho ou no momento de lavar as mãos.

Sobre os estudos, muitas escolas estão disponibilizando vídeos e aulas online. Crianças, por volta de 9 anos, conseguem acompanhar sozinhas. Nas menores, os pais podem conversar com a escola sobre conteúdos para que elas aprendam brincando ou cantando. Assim, fica um pouco mais fácil delas se manterem atentas e interessadas. Tente também entender as dificuldades dos filhos e incentive-os a não desistir. Entenda que cada um tem seu tempo.

 

* Luciana Brites CEO do Instituto NeuroSaber, é autora de livros sobre educação e transtornos de aprendizagem, palestrante, especialista em Educação Especial na área de Deficiência Mental e Psicopedagogia Clínica e Institucional pela UniFil Londrina e em Psicomotricidade pelo Instituto Superior de Educação ISPE-GAE São Paulo, além de ser Mestranda em Distúrbios do Desenvolvimento pelo Mackenzie e coordenadora do Núcleo Abenepi em Londrina.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.