Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 13-07-2020 às 00:50

Médica-Veterinária dá dicas para entender o comportamento do pet

Aprender a interpretar a linguagem corporal e os sons que o pet emite ajuda a melhorar o relacionamento do tutor com o animal de estimação

| Creditos: Imagem: Freepik.com

Os pets se comunicam conosco o tempo todo e conseguir compreender o que querem transmitir é uma maneira de se relacionar melhor com eles, além de aperfeiçoar a capacidade do tutor em responder melhor às suas necessidades. Dessa forma, o pet viverá mais feliz e construirá uma relação ainda mais forte com seu tutor. Sabendo da importância do tema, a Médica-Veterinária Natália Lopes, Gerente de Comunicação Científica da Royal Canin Brasil, separou algumas dicas práticas. Confira!

 

Compreendendo o gato

 

Geralmente, os gatos entendem apenas algumas palavras-chave, entretanto, eles são muito sensíveis a atitudes e tons de voz e são capazes de sentir emoções, chegando a conseguir antecipar o que o tutor fará em seguida. Preste atenção, e verá que seu gato está comunicando algo em resposta.

 

  • Observe a posição da cabeça e orelhas do seu gato

Orelhas eretas, voltadas para “fora” e olhos mais estreitos, por exemplo, sugerem que ele está bravo. Por outro lado, se as orelhas estão voltadas para frente e os olhos semicerrados, é um sinal de felicidade.

 

  • Os bigodes dos felinos também são expressivos e sensitivos

Eles os utilizam para se expressar e para explorar os ambientes. Portanto, nunca corte os bigodes do gato.

 

  • A linguagem corporal pode ser reveladora.

Se o gato esfrega a cabeça ou a cauda nas pernas do tutor, significa um sinal de afeição. Quando ele rola no chão na presença do tutor, sugere submissão e como eles estão se sentindo à vontade ali. Já quando o gato chicoteia o rabo, é uma indicação de agitação ou inquietação. Ao contrário dos cães, não é um sinal de felicidade.

 

  • Os principais sons que eles emitem também são maneiras de comunicação.

Ao ronronar para seu tutor, o gato demonstra que está feliz e satisfeito. Porém, é importante notar caso ele ronrone sozinho, pois pode ser uma tentativa de aliviar estresse. Já quando o felino rosnar ou sibilar, ele quer intimidar alguém e está se sentindo ameaçado.

O som mais comum é o miado, que pode significar uma variedade de sinais, como um pedido, uma reclamação e outras coisas.

 

Compreendendo o cão

 

Os cães também utilizam da linguagem corporal para se comunicarem e prestar atenção na postura e na posição do cachorro é o ponto chave para compreendê-los.

 

  • Você provavelmente já sabe que quando o cão balança seu rabo ele está feliz. Junto dessa característica, podemos observar outras posturas que nos dizem que o cão está aberto ao contato. Ele manterá as orelhas relaxadas, a cauda estará em uma altura mediana, ele piscará seus olhos e a boca poderá estar aberta.

 

  • Sua postura também estará mais aberta quando o cão quiser brincar.

Suas pupilas dilatam, as orelhas ficam mais eretas, a língua fica para fora e a cauda mais alta e balançando com mais intensidade. Já quando o cão estiver deitado de costas e com o rabo entre as pernas, isso significa que ele está adotando uma posição de submissão.

 

  • Eles também nos dão sinais de que não devemos nos aproximar.

Por outro lado, se eles se abaixam com as orelhas muito próximas a cabeça e deixam a cauda entre as pernas, é um claro sinal de que estão assustados ou estressados. 

Ou quando eles se inclinam para frente, colocam os dentes a mostra, orelhas estão voltadas para frente e percebemos um certo arrepio em suas costas, eles assumem posturas mais agressivas. Assim como quando assumem um comportamento de defesa, sua postura é mais evasiva, as orelhas ficam voltadas para trás, a cauda fica entre as pernas e os dentes ficam visíveis.

 

  • O modo como seu cão late deve ser observado.

Latidos com um som mais regular, que parecem “gagos”, significam a vontade de brincar. Já latidos longos que soam mais tristes podem ser sinal de tédio. Enquanto um rosnado ou um uivo chamam a atenção pelo cão estar se sentindo ameaçado.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.