Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 06-07-2020 às 00:53

Revestimentos valorizados pela iluminação: confira as dicas sobre o tema

Na última semana, um dos maiores eventos de acabamentos da América Latina movimentou São Paulo com inúmeras novidades. Mais do que eleger um revestimento lindo, é essencial acertar na iluminação que poderá realçar cores, texturas, acabamentos, formatos e

Projeto do escritório Dantas & Passos Arquitetura (esq.); Projeto de Henrique Freneda (dir.), em ambos a iluminação deu um toque especial aos revestimentos | Creditos: Emerson Rodrigues

Destaque importante: com a luz correta, detalhes podem ser realçados e até mesmo texturas ganham uma nova cara, tudo isso se a iluminação for escolhida e posicionada da maneira adequada. Em revestimentos 3D, por exemplo, com focos voltados para a parede, efeito conhecido com wall washing, os detalhes podem ser percebidos de maneira mais evidente e esteticamente agradável.

Cores & tons: uma regra simples pode ser utilizada, segundo os especialistas da Yamamura. Revestimentos de colorações quentes (amarelo, laranja, ou a própria madeira) são mais valorizados com luzes de temperatura de cor branco quente (2400k a 3000k) e trazem o aconchego necessário.

Já no caso oposto, quando há revestimentos de tonalidades mais frias, como paredes muito brancas ou mármores claros, opte pela temperatura de cor branco frio (5000K a 6500K), que é responsável por realçar cores como azul, verde e o cinza, por exemplo. Já em caso de revestimentos como porcelanatos e papéis de parede, com muitos desenhos e estampas, a iluminação seguirá de acordo com a tonalidade, o acabamento e a textura.

Revestimentos brilhantes: nesses materiais, tenha cautela a respeito da intensidade de luz ou da quantidade de peças colocadas sobre os revestimentos. Quanto mais claros, lisos e brilhantes os acabamentos, mais luz será refletida. Logo, convém avaliar o tipo e a quantidade de lâmpadas conforme o espaço. No caso de dúvidas, os vendedores especialistas da Yamamura, que ficam nas unidades, também podem auxiliar.

Peças recomendadas: apesar do tipo de luminária não interferir tanto no destaque dos revestimentos, sancas e luminárias de foco são opções curingas sempre recomendadas, pois se tratam de luzes que trabalham primordialmente para realçar superfícies. Pendentes também são bem-vindos porque valorizam detalhes especiais tanto do revestimento como da decoração, compondo uma atmosfera bem leve.

Cuidado em cada ambiente: em espaços de relaxamento, como salas de TV, jantar e de estar, as luzes indiretas funcionam bem e enriquecem o décor. Então, busque por arandelas com temperaturas de cor branco quente (2400K a 3000K). Já para espaços que exijam mais atenção, a exemplo de home office ou cantos de leitura, os spots voltados para o piso ou parede são as opções mais indicadas.

Dica final: o melhor modelo vai variar de caso a caso, conforme o tipo de revestimento e a peça de iluminação. Também deve ser considerado o efeito da luz (direto ou indireto), luz de foco ou geral, além de temperatura de cor, acabamento do produto e Índice de Reprodução de Cor (IRC). A gama de opções é vasta e, para cada caso e uso do espaço, um determinado modelo vai funcionar melhor do que outro.

 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.