Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 06-06-2020 às 16:54

Assédios de CEO da Fox é abordado em novo filme

"O Escândalo" coloca em cheque os bastidores do poderoso conglomerado de comunicação norte-americano conhecido pela sua postura conservadora.

Atrizes de "O Escândalo" | Creditos: Divulgação

Há filmes que pagam um preço por defender uma causa. É exatamente esse o caso de “O Escândalo”, obra dirigida por Jay Roach que enfoca o caso verídico de mulheres jornalistas que acusam de assédio Roger Ailes, CEO da Fox News, poderoso conglomerado de comunicação norte-americano conhecido pela sua postura conservadora.

Duas das personagens, Gretchen Carlson (Nicole Kidman) e Megyn Kelly (Charlize Theron) são reais. Existe uma terceira, Kayla Pospisil, em carismática interpretação de Margot Robbie, inventada, mas que soma diversos aspectos do universo da ingenuidade e da sedução, como ser jovem, religiosa, ambiciosa, lésbica e vítima de abuso pelo magnata.

O processo contra Ailes, ocorrido em 2016, é tratado, talvez, de maneira maniqueísta, mas é, claro, impossível não se revoltar com a maneira como as mulheres, principalmente as mais belas dentro do padrão americano, não passam de objetos sexuais para boa parte do mundo da mídia, principalmente da televisão.

A obsessão do todo-poderoso por rostos e pernas inclui favores sexuais, como é triste constatar. Porém, talvez o filme perca um pouco de sua força justamente por focar apenas a questão por esse aspecto, fundamental é claro, mas que poderia ser melhor associado a outros fatores desrespeitosos do cotidiano que envolvem as mulheres no mercado de trabalho.

Oscar D’Ambrosio é jornalista pela USP, mestre em Artes Visuais pela Unesp, graduado em Letras (Português e Inglês) e doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e Gerente de Comunicação e Marketing da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.