Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 04-08-2020 às 09:31

Casos de acne solar aumentam em 20% no verão

Especialista na área, dermatologista Juliana Chieppe discorre sobre a doença, incluindo tratamento e prevenção

Segundo relatório, a alta na procura por consultórios de dermatologistas também é marca registrada desse período. | Creditos: Divulgação

Com a chegada do verão e consequente aumento das temperaturas, a incidência de doenças de pele como brotoeja, micose, queimadura, câncer de pele e acne solar pode aumentar em até 20%, de acordo com o levantamento da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo.

Segundo relatório, a alta na procura por consultórios de dermatologistas também é marca registrada desse período. Profissional da área, a dermatologista Juliana Chieppe, sócia da Sá e Chieppe Dermatologia e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SDB), explica que os casos de acne solar são principais vilões das peles no verão.

“Acne solar é o surgimento ou a piora da acne após exposição ao sol. Essa doença (acne), que já afeta cerca de 16 milhões de mulheres brasileiras é potencializada com a chegada da estação mais quente do ano. A exposição e calor em excesso estimula as glândulas sebáceas, fazendo com que a pele fique mais oleosa e, consequentemente, cause uma piora da acne”, explica a profissional. 

De acordo com Dra. Juliana, a aparência da acne solar consiste em lesões menos inflamatórias, pequenas e que secam mais rápido que as demais. “A acne solar tem uma história de exposição prévia e excessiva, ou contínua, ao sol. Os sinais começam a aparecer poucos dias após a exposição, principalmente no rosto, tronco, colo e nas costas, que são locais com maior produção de sebo”, informa. 

A especialista também atribui uma incidência maior da acne solar em peles oleosas, devido à alta tendência da produção de sebo nesse tipo de pele. 

 

Tratamento e prevenção

Semelhante ao tratamento da acne tradicional, o uso de sabonetes e géis específicos também são prescritos em casos de acne solar, pois tem o efeito redutor e controlador na oleosidade da pele. “Apesar do tratamento ser o indicado para acnes em geral, se as lesões forem em grande quantidade e mais inflamatórias, pode ser necessário associar antibiótico oral”, instrui Dra. Juliana, que é também membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica.

A dermatologista também ressalta a importância da prevenção, evitando a proliferação da acne solar com medidas simples. “Além de evitar a exposição excessiva aos raios solares, principalmente nos horários impróprios, é importante também lavar o rosto com sabonete adequado duas vezes ao dia, não dormir com maquiagem e usar protetor solar com textura leve, oil free ou em gel-creme”, finaliza. 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.