Cuiabá - MT, 10-04-2020 às 02:10

Vestido de Lady Di deixa de ser vendido em leilão

Peça foi usada pela princesa em dança icônica com John Travolta em evento na Casa Branca, nos Estados Unidos

Lady Di | Creditos: Reprodução do Instagram @lady.diana._ / AFP

Imortalizada como ícone da moda, Lady Di lançou muitas tendências com looks que continuam servindo de inspiração para muitos estilistas. Mesmo com um guarda-roupa reverenciado pelo alto escalão fashion, um de seus vestidos deixou de ser arrematado em leilão na última segunda (09).

A princesa de Gales apareceu publicamente com a peça num evento da Casa Branca, nos Estados Unidos, em 1985 num jantar oferecido em sua homenagem pelo presidente Ronald Reagan. Na ocasião, ela dançou com o ator John Travolta. Na setlist, a clássica "You Should be Dancing", do filme Os Embalos de Sábado à Noite, onde Travolta surpreendeu por seu talento como dançarino. O momento foi relembrado em entrevista a um programa australiano, segundo o intérprete, Lady Di tinha "um bom ritmo".   

O resposável pela confecção do vestido é o designer inglês Victor Edelstein. A estimativa era que a peça única fosse arrematada pelo valor de US $ 330.000 à US $ 450.000, porém não atingiu nem o preço de reserva, aproximadamente US $ 265.000.

Mesmo o vestido não sendo levado para nenhuma casa, outras roupas de Di foram compradas por preços acima da média dos indicados.

Não é a primeira vez que esse vestido ilustra um leilão. Em 2013, o mesmo foi vendido por ostentadores 1,3 milhão de reais. 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.