Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 14-12-2019 às 12:14

Novo diurético para cães e gatos

Indicado para cães e gatos, o novo produto possui quatro apresentações compatíveis com os diferentes portes de animais, facilitando desse modo a indicação por parte dos veterinários e a administração por parte dos tutores

| Creditos: PixaBay

Cada vez mais comprometida no desenvolvimento e na inovação de produtos que possam auxiliar no tratamento de cães e gatos, a Vetnil, uma das maiores empresas brasileiras do setor veterinário, anuncia um produto diferenciado no mercado, o Furolisin®, um diurético à base de furosemida com ação principal no segmento ascendente da alça de Henle.

Segundo Carla Coiro, Coordenadora de Desenvolvimento de Produtos Pet da Vetnil, a furosemida atua inibindo o transporte de sódio e água, assim como a reabsorção de sódio e cloreto na porção ascendente da alça, levando também a perda de potássio. “É um medicamento valioso em situações de emergência, pois tem rápido início de ação e curta duração. Além disso, possui propriedades vasodilatadoras, aumentando a perfusão renal e diminuindo a pré-carga cardíaca”.

O Furolisin® surge no mercado como uma opção e uma ferramenta muito importante dentro da rotina clínica, já que até o momento não existia um diurético oral a base de furosemida para cães e gatos na indústria pet. “Além disso, a Vetnil optou por disponibilizar quatro apresentações diferentes, dentre elas, comprimidos contendo 10 mg, 20 mg, 40 mg ou 80 mg de furosemida, visando atender as várias faixas de peso existentes, ou seja, animais de pequeno, médio e grande porte”, explica Carla.

“Outro ponto de destaque é que o Furolisin® conta com embalagens finais do produto na forma de cartucho com 1 blíster contendo 10 comprimidos e display com 12 blísters contendo 10 comprimidos. Essa segunda opção, conhecida também como embalagem hospitalar é bastante interessante nos casos em que há a necessidade do uso crônico da furosemida, ou seja, em situações que requeiram uma utilização mais prolongada, como ocorre em animais cardiopatas”, ressalta Carla.

É importante ainda ressaltar que todo medicamento exige cuidados de conservação e administração para não perder a sua eficácia e não deve ser usado em animais sem a devida orientação do médico veterinário.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.