Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 06-12-2019 às 09:06

Dieta plant-based: benefícios para a saúde e para o meio ambiente

Com alimentos em sua forma natural, a plant-based traz inúmeros benefícios para a saúde e é um caminho certo para prevenção de doenças

Comer uma proporção maior de alimentos à base de plantas e menos proteínas animais reduz o risco de infarto, AVC, diabetes tipo 2, obesidade, pressão alta e outras doenças cardiovasculares. | Creditos: PixaBay

Nem vegana, nem vegetariana. A dieta plant-based, ou seja, baseada em plantas, é realizada pela eliminação ou apenas redução do consumo de produtos de origem animal. Durante essa dieta, alimentos processados, industrializados e refinados também são retirados das refeições - o que não acontece, necessariamente, nos cardápios veganos e vegetarianos.

Com alimentos em sua forma natural, a plant-based traz inúmeros benefícios para a saúde e é um caminho certo para prevenção de doenças. De acordo com uma análise publicada pelo Journal of American Heart Association, foi comprovado que comer uma proporção maior de alimentos à base de plantas e menos proteínas animais reduz o risco de infarto, AVC, diabetes tipo 2, obesidade, pressão alta e outras doenças cardiovasculares.

Por conta desses benefícios, foi criado o movimento “Segunda Sem Carne”, apoiado por 44 países, que incentiva as pessoas a deixarem de consumir carnes pelo menos uma vez na semana. Realizar as refeições sem qualquer proteína animal esporadicamente traz benefícios não apenas para saúde, mas também para o planeta, animais e sociedade. Segundo um estudo publicado na Revista Nature, diminuir o consumo de carne também é uma forma de contribuir com a redução da emissão de gás carbônico (CO2), responsável por acelerar o aquecimento global. Ao ficar um dia na semana sem carne, por exemplo, a pessoa deixaria de emitir 14 kg de CO2, equivalente ao que é gasto em 100 quilômetros rodados em um carro comum. Contudo, a principal beneficiada pela mudança alimentar é a água, devido ao uso intensivo na cadeia de produção dos animais que irão para o abate. Ao deixar de consumir carne uma vez na semana, são poupados cerca de 3,4 mil litros de água, o que corresponde a uma média de 40 banhos.  

Diante de tantos pontos positivos, o principal e mais básico é a criatividade. Geralmente, a carne é o ponto principal na escolha de uma refeição, porém, com a plant-based é possível ousar e inovar nas variações e combinações de alimentos, consumindo assim mais fibras, nutrientes e minerais. A proteína, presente na carne, pode ser encontrada em alimentos como feijão, castanhas, cogumelos, lentilha e grão de bico. Já o ferro, também presente na carne, está em folhas verde-escuras e leguminosas e pode ser melhor absorvido se ingerido junto com fontes de vitamina C, como acerola, tangerina, couve e brócolis. 

Cada corpo se adequa de forma e velocidade diferentes às mudanças. Por isso, é importante respeitar seus limites e ter o acompanhamento de um médico e um nutricionista, para absorver todos os benefícios que a dieta plant-based pode te proporcionar.

 

* Dr. Fabiano Lago é endocrinologista do SPA Estância do Lago

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.