Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 22-09-2019 às 06:01

Neila Barreto é a nova imortal da AML

Um novo capítulo da história de Neila Barreto começa a ser escrito. A Mestre em história e jornalista foi eleita para a Academia Mato-Grossense de Letras-AML.

Neila Barreto, jornalista e mestre em história ocupará a cadeira 19 na AML | Creditos: Divulgação

Significativa produção editorial, educação superior, expertise profissional,  determinação, competência, motivação e incentivo da família para que não desistisse, contribuíram para a condução de Neila Maria de Souza Barreto a uma das mais almejadas conquistas, ser “imortal” da Academia Mato-Grossense de Letras-AML, instituição que em 2021 comemora seu centenário. Ela foi a mais votada na eleição ocorrida na manhã de dia 31 de agosto, para a Cadeira 19, que já foram ocupadas por Vera Iolanda Randazzo (última) e José Barnabé de Mesquita (primeiro). Ela concorreu com André Araújo Molina, pós-Doutorando em Direito do Trabalho junto à Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP).

O embrião para se alcançar o sucesso, idealizado por Neila Barreto foi o primeiro curso superior que ela abraçou, Letras. Ocupar uma cadeira na A ML,  “é ter a oportunidade de cultivar a língua, a literatura, seus personagens. É principiar num grande aprendizado bebendo das memórias de muitos que estiveram e, estão hoje lá. É a possibilidade de produzir obras de valor histórico e literário”. Para quem enfrentou três pleitos para chegar ao resultado almejado, a eleita percorrer uma longa trajetória, que envolveu muitos estudos e obras. “Agora a ideia é somar e prosseguir em novos caminhos”, salientou.

A obra Sarita, de Neila Barreto, registra singularidades e contextualiza a história de vida dessa mulher, filha de imigrantes sírios que ousou quebrar paradigmas em seu tempo e em um território marcado por espaços muito restritos para a atuação feminina, e tornou-se uma das maiores expressões da política mato-grossense

Neila disse que não seguiu só na sua caminhada, a família sempre a incentivou. “Acompanhou sempre as minhas derrotas e sofreu junto comigo agora todos é só sorriso em comemoração. Neila, mesmo longe do asterismo das estrelas, deu a luz  para três Marias, que já são inspiradas pelas letras. “Tenho uma filha, a mais velha, Maria Carolina, uma arquiteta que já produzir pequenos textos em forma de poesia. As três gostam de ler, tanto Maria Cláudia, quanto Maria Rita, a do meio e a caçula. Meu marido, Luiz Ernesto da Silva Barreto é o meu grande incentivador”, disse, apontando que entra para a AML com um objetivo  que vai além, a “ tarefa de tornar as obras do Padre Ernesto Camillo Barreto mais visíveis, bem como, a sua trajetória de padre educador, jornalista, político e escritor.

            Este ano foi de muitos reconhecimentos para Neila Barreto, e dois deles ocorreram na própria Academia Mato-Grossense de Letras, em dois eventos considerados de grande relevância, e ambos o marco foi o mês que se comemora o Dia Internacional da Mulher. No dia 8 de março a Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais-BPW Cuiabá a inseriu na homenagem feita para 13 mulheres na Cerimônia das Velas, evento que teve parceria da AML, coordenado por Sueli Batista, fundadora da organização e membro da cadeira 34 da AML; e no dia 12, ela teve sua biografia no evento “300 Mulheres - Letras, História e Equidade”, projeto da Academia Mato-grossense de Letras, coordenado pela juíza Amini Haddad, membro da cadeira 39 da  AML.  

 Sobre a eleita

Neila Barreto é cuiabana, descende de tradicional família mato-grossense. É dedicada profissional, que muito contribuiu para a preservação da história e cultura local.  Seu nome já está vinculado à Casa Barão de Melgaço através de sua atuação como membro do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso- IHGMT, desde dezembro de 2017, tendo como Patrono Padre Ernesto Camilo Barreto. Tomou posse no dia 26 de julho de 2018, com 1.ª Secretária da instituição, contribuindo com seu trabalho para o centenário da instituição ao lado da presidente Elizabeth Madureira.

Dentre os destaques da sua carreira, vale ressaltar que  Neila Barreto é mestre em História pela Universidade Federal de MT (UFMT-2005), na linha de pesquisa sobre Territórios e Cidades. Especialista em: Ciências Políticas pelas Faculdades Unidas de Várzea Grande-MT (UNIVAG-1998); Metodologia do Ensino Superior, pela Faculdade de Educação de Fátima do Sul (MS); Didática do Ensino Superior, pela Faculdade de Filosofia, Ciências, Letras de Presidente Venceslau (SP). Graduada em Jornalismo pelo Instituto Várzea-grandense de Educação (1995) e em Letras pela Universidade Federal de Mato Grosso (1978). Ex-professora do governo do Estado do Mato Grosso. Ex-professora do Instituto Várzea-grandense de Educação - IVE-VG-MT. Tem experiência nas áreas do magistério, pesquisas, com ênfase em História, Memória, Memorial, Genealogia e Biografias, privilegiando principalmente nos seguintes temas: água, história das instituições, de vidas, de cidades.

Foi jornalista da Sanemat e Sanecap - Cia de Água de Mato Grosso e de Cuiabá. Docente e pesquisadora do curso de Administração à Distância da Universidade Federal de Mato Grosso IUFMT. Orientadora do Curso de Pós-graduação em Administração Pública da UFMT, polo de Sorriso. Professora da Fundetec-MT do curso de Turismo e Habilidades para o curso para o jovem, em Várzea Grande-MT. Diretora de Projetos de Turismo, em Cuiabá. Seu interesse atual se volta para a questão da água, do turismo, educação história e memória. Publicou livros e artigos, além de coordenar vídeos-documentários.

Dentre suas publicações que legitimam sua produção Intelectual: Água de Beber. 1. ed. Cuiabá: Carlini& Carniato; Cinquenta Anos do TCE-MT - Coautoria com PERARO, Maria Adenir; ROCHA, Maria Aparecida Barros. Cinquenta Anos de História do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso- 1953-2003. 1. Editora Tanta Tinta- Carlini & Caniato; Cinquenta + 10 ANOS- de História do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso - 1953-2013. 1. ed. Cuiabá: Tanta Tinta - Carlini&Caniato; Bicas, Fontes e Chafarizes – Caixa d´Água Velha e a água de beber – 1790-1886, 2015 e a ultima publicação Sarita Baracat de Arruda: Vida e Trajetória Política –Editora Entrelinhas. 

            Neila Barreto tem vários capítulos de livros publicados e textos em jornais de notícias/revistas, além de uma gama de produtos tecnológicos. A exemplo:  Memoriais e Museus – Vídeos; Memorial da Água Eng. José Luiz de Borges Garcia. 2008; Projeto Histórico Pedagógico do Museu do Morro da Caixa d’Água Velha. 2007; Projeto Histórico Pedagógico do Memorial Rosário Congro do TCE-MT. 2005. Além disso vários tipos de produções técnicas, destacando-se que criou o Memorial da Água “Eng. José Luiz de Borges Garcia” – 2007 e  coordenou vídeo referente ao Museu do Morro da Caixa d´Água Velha em conjunto com a TV Brasil – 2014; História da Barra do Pari – 2006. Constam ainda seus trabalhos em pesquisas, dentre as quais: A História - Revista do SIPROTAF. 2004 (REVISTA); A História do Abastecimento de Água – Uma viagem através da sua torneira – Cartilha – Sanecap – Fapemat – GE – 2007; Genealogia da Família Branco de Barros – 2013 e a História - Almanaque Cuiabano – editorial. 2016-2018.

Encontra-se no prelo a obra: Gente que fez, Gente que faz Cuiabá, referente a sua pesquisa das famílias pioneiras de Cuiabá, editado pela Entrelinhas.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.