Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 22-08-2019 às 20:53

Escola de Música da Rocinha e suas histórias

Elogiada por nomes como o pianista e maestro João Carlos Martins e o cantor e compositor Geraldo Azevedo, a Escola de Música da Rocinha - EMR, que “acredita no poder da arte e da cultura como ferramentas de transformação social”, completa 25 anos

Sempre com inscrições abertas para todos os cursos gratuitos. Quando não tem vaga imediata há uma lista de espera. | Creditos: PixaBay

São muitas histórias... Tudo começou no dia 7 de junho de 1994 quando aconteceu a primeira aula de musicalização, para um grupo de 14 crianças, numa sala cedida pela Igreja Metodista da Rocinha. A iniciativa foi do professor de música Hans Ulrich Koch, alemão que na época residia no Rio de Janeiro e lecionava numa escola da zona sul da cidade. Indignado com a situação das crianças que moravam em favelas, Hans usou recursos próprios para contratar um professor e trabalhou incansavelmente para manter o funcionamento da Escola.

Com o passar do tempo o número de alunos e de professores foi aumentando, novos cursos foram incorporados, como os de violão, cavaquinho, percussão e teclado. Outros parceiros, após a Igreja Metodista, acolheram o projeto, como a Escola de Samba Acadêmicos da Rocinha e a Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem.

Muitos jovens se beneficiaram com a oportunidade de acesso ao ensino da Música, alguns se profissionalizando como músicos, como instrutores ou como professores. Tendo a Prática de Conjunto como um fio condutor da proposta pedagógica, alguns grupos atuaram no circuito cultural fazendo shows e gravando CDs. Dois deles, a “BanDaCapo” e o “Chorando à Toa” chegaram a fazer turnê no exterior. O “Coro Infantojuvenil” também gravou um CD, em 2001, e imprimiu sua voz em discos de grandes artistas brasileiros, como Joanna, Vanessa da Mata, João Bosco, Branco Mello e o saudoso e querido Luiz Melodia. Ao vivo, o grupo participou do show de Roberto Carlos, na Praia de Copacabana, e do show de Roger Waters, no Engenhão, cantando Another Brick in the wall, experiências inesquecíveis.

Em meio a tantas conquistas e ao reconhecimento de diversos segmentos da sociedade pela qualidade de seu trabalho, em 2015 a Escola de Música da Rocinha (EMR) alcançou um de seus maiores objetivos: montar uma orquestra. O projeto Orquestra de Câmara da Rocinha envolve cerca de 150 alunos em cursos de violino, viola, violoncelo, contrabaixo, flauta, clarinete, trompete, trombone, trompa, flauta doce e harpa. O grupo já realizou mais de 30 apresentações e seu núcleo principal vai se apresentar no Rio Montreux Festival, que homenageia os 25 anos da EMR, e no Festival Internacional de Música de Londrina. É muita emoção.

Funcionando desde 2004 no prédio do Centro Municipal de Cidadania Rinaldo De Lamare, em espaço cedido pela Prefeitura, a Escola de Música da Rocinha mantém cerca de 20 cursos para aproximadamente 300 alunos na faixa de 6 a 25 anos. A maior concentração está na faixa de 10 a 16 anos. Recentemente se tornou Ponto de Cultura e abriu dois novos polos, um na parte alta da Rocinha e outro em Rio das Pedras.

 

Sobre os grupos da Escola de Música da Rocinha:

Coro Infantojuvenil

Regente: Valéria Correia. Desde 1995 a Escola de Música da Rocinha mantém a atividade de Canto Coral para crianças, adolescentes e jovens. O grupo trabalha com repertório variado que engloba tanto a música popular quanto a erudita e a de tradição oral.


Orquestra de Câmara da Rocinha

Regente: Rodrigo Belchior. A Orquestra de Câmara da Rocinha iniciou suas atividades em agosto de 2015. No repertório, músicas populares e folclóricas como “O Rancho da Goiabada” (João Bosco), “Xote de Copacabana” (Jackson do Pandeiro), “Cidade Maravilhosa” (André Filho), “Cantigas” (Villa-Lobos) e “Que Saudade da Guanabara” (Moacyr Luz).

 

Sopros do Morro

Coordenador: Luiz Claudio Muca. Desde 2018 é formado por alunos de instrumentos de sopros, cordas e percussão.

 

Roça Nova

Coordenador: Alexandre Luiz. Desde 2018 é formado por alunos de instrumentos de cordas. O “Sopros de Morro” e o “Roça Nova” são práticas de conjunto na Escola de Música da Rocinha.

 

Chorando à Toa

Criado no início do ano de 2004 a formação atual do grupo, que volta aos palcos após uma parada, reúne seis jovens já profissionais formados na Escola de Música da Rocinha.  Paulo Victor (violão sete cordas), Carlos Mendes (cavaquinho e voz), Renato Alves (bandolim, cavaquinho e voz), Nicolas Teodósio (flauta transversa e sax tenor), Kalleb Gonçalves (sax alto e soprano) e Diego Domingos (pandeiro).

 

Inscrições para novas turmas na EMR

Sempre com inscrições abertas para todos os cursos gratuitos. Quando não tem vaga imediata há uma lista de espera.

Informações no site

Endereço: Av. Niemeyer, 776 - São Conrado, Rio de Janeiro - RJ, 22450-221

Telefone: (21) 3322-6358

 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.