Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 15-09-2019 às 09:23

Planos de saúde preparam pacote de mudanças

Projeto denominado "Mundo Novo" deve mudar legislação atual voltada aos planos de saúde

A Associação Paulista de Medicina, especialmente sua Diretoria de Defesa Profissional, segue atenta à situação do exercício profissional e da qualidade do atendimento da população brasileira. | Creditos: PixaBay

Reajustes por faixa etária facilitados, derrubada dos prazos máximos deespera e desidratação da Agência Nacional de Saúde Suplementar, que veria suas atribuições tornarem-se responsabilidade do Conselho de Saúde Suplementar (Consu), um colegiado político composto por ministro e funcionários demissíveis. 

São esses alguns dos elementos de um projeto chamado “Mundo Novo”, conforme publicação do jornalista Elio Gaspari, na Folha de S. Paulo do último 14 de julho. 

O articulista informa que este documento está sendo gestado por um consórcio de grandes operadoras de planos de saúde e que seu intuito é mudar as leis que hoje regem este mercado. Com 89 artigos, o projeto deverá ser encaminhado ao Ministério da Saúde e à Câmara dos Deputados.  

Gaspari escreve: “Irá para o Consu a prerrogativa de decidir os reajustes deplanos individuais e familiares, baseando-se em notas técnicas das operadoras (artigos 85 e 46) e não nos critérios da ANS. Cria a girafa do reajuste extraordinário, quando as contas das operadoras estiverem desequilibradas”. 

Também informa que, neste texto, o Conselho terá a prerrogativa de definir o rol de procedimentos e o poder de mediação entre consumidores e operadoras. Outro ponto levantado por ele é o artigo que define que só haverá punições, para as operadoras, de infrações de natureza coletiva.  

Hoje, se uma pessoa quebrar a perna e não for atendida, a operadora é multada. Nesse novo sistema, a multa só existiria se, como exemplifica o jornalista, a operadora deixar de atender a cem clientes com pernas quebradas. 

A Associação Paulista de Medicina, especialmente sua Diretoria de Defesa Profissional, segue atenta à situação do exercício profissional e da qualidade do atendimento da população brasileira na saúde suplementar e pronta para intervir da melhor maneira possível caso as intenções sejam confirmadas.  

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.