Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 25-08-2019 às 23:49

Disputa para a Cadeira 37 da AML é histórica, afirma presidente

Oito candidatos concorrem dia 20 de julho a uma vaga na Academia Mato-Grossense de Letras. Uma disputa histórica.

Dentre os oito candidatos, três são mulheres | Creditos:

A Academia Mato-Grossense de Letras realizará, no próximo dia 20, uma das eleições mais concorridas da sua história quase centenária. Nunca tantos candidatos se dispuseram a disputa por uma única vaga. Vários intelectuais procuraram a direção da entidade fazendo consultas e demostrando interesse em conhecer o processo eleitoral acadêmico e, ao final, oito candidatos se inscreveram. O Presidente, professor Sebastião Carlos Gomes de Carvalho, comemora com entusiasmo, pois, segundo ele, “não apenas a quantidade mas particularmente a alta qualificação dos candidatos demonstra a presença e o respeito que a nossa quase centenária instituição vem mantendo perante a sociedade e a intelectualidade mato-grossense”.

A Cadeira a ser preenchida é a 37, cujo Patrono é o jornalista Antônio Vieira de Almeida, nascido em Cuiabá em1873 e falecido no Rio de Janeiro em 1916, e cujo último ocupante foi o advogado e cineasta Bernardo Elias Lahdo.

São candidatos [aqui colocados em ordem alfabética]:André Araújo Molina, cuiabano, magistrado e professor da Escola Superior da Magistratura Trabalhista de MT. É Doutor em Filosofia do Direito pela PUC/SP. Publicou, entre outros, “Teoria dos Princípios Trabalhistas” e“Os Direitos Fundamentais na Pós Modernidade”. Antônio Hernani Pedroso Calhao, cuiabano, graduado em Direito e Economia, é Advogado e professor Assistente na Universidade Presbiteriana Mackenzie – SP. eno Conselho Nacional de Justiça. É Doutor em Direito pela PUC/SP. epós Doutor em Direito na Universidade de Coimbra – Portugal. É membro da Academia Paulista de Letras Jurídicas. Publicou, dentre outros: “Direitos Humanos e Poder Judiciário: a humanidade como narrativa central em questão” e“O zunzun do rio” [contos]. Antônio Veloso Peleja Junior, goiano, magistrado em Cuiabá e professor na UFMT. É Doutor em Direito Processual Civil pela PUC/SP. Publicou, entre outros, “Inovações no Direito Eleitoral” e “Sentenças Aditivas e Jurisdição Constitucional”. Helena Maria Bezerra Ramos, cuiabana, Desembargadora. Publicou: “100 anos da família Bezerra em Mato Grosso” e “Contrato de Arrendamento Rural: Teoria e Prática”. João Elóy de Souza Neves, de Chapada dos Guimarães, médico e músico. É membro do Instituto Histórico e Geográfico de MT. Publicou, entre outros: “João Eloy por inteiro” e “Broto d’Água”[poesias]. Autor de várias composições musicais. Lindinalva Correia Rodrigues, deCampo Grande /MS.Promotora de Justiça em Cuiabá. Realizou o Mestrado em Direitos Humanos e Fundamentais, na UFMT. Publicou, entre outros: “Constituição, democracia e desenvolvimento, com direitos humanos e justiça”, “Direitos Humanos das Mulheres”. Martim Affonso Santa Lucci, cuiabano, engenheiro civil. Realizou Mestrado em Transportes, no Instituto Militar de Engenharia, no RJ. Publicou: “Um italiano em Corumbá” e “Tarifação Ferroviária”. Neila Maria Souza Barreto, cuiabana, graduada em Letras e Jornalismo. Professora. Realizou Mestrado em História – UFMT.Pertence ao Instituto Histórico e Geográfico de MT. Publicou, entre outros: “Sarita Baracat – Vida e Trajetória Política”. Tem ainda vários artigos em revistas e jornais, abordando temas históricos de Cuiabá.

         “Como se vê - diz o presidente Sebastião Carlos - “são pessoas do mais alto gabarito que, qualquer que seja o resultado, representará uma significativa conquista para a AML que, em 1921, completará cem anos, de uma existência rica e produtiva e que honra a tradição cultural e educacional de nosso Estado”.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.