Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 20-09-2019 às 22:37

O que é esporão do calcâneo?

A condição ocorre quando a região posterior óssea do calcanhar, em que o tendão de Aquiles é localizado, aumenta de volume, causando dor e deformidade.

O uso de tênis sobre essa região coloca pressão sobre o tecido na parte de trás do calcanhar, causando inflamação e dor. | Creditos: PixaBay

Muita gente acha que esporão só dá na sola do pé, mas hoje vamos falar sobre o esporão que ocorre na parte de trás do calcanhar conhecido como “esporão dorsal do calcâneo”. A síndrome de Haglund é uma deformidade do calcanhar (osso do pé). A condição ocorre quando a região posterior óssea do calcanhar, em que o tendão de Aquiles é localizado, aumenta de volume, causando dor e deformidade.

O uso de tênis sobre essa região coloca pressão sobre o tecido na parte de trás do calcanhar, causando inflamação e dor. Eventualmente, pode cursar com tendinite do Aquiles e bursite do retropé, por isso o nome de síndrome de Haglund. Bursite é a inflamação de uma bolsa de fluido que separa o tendão do osso. Quando o calcanhar se torna inflamado, pode levar à calcificação do osso do calcanhar (esporão). Isso faz com que a deformidade se torne ainda mais proeminente e aumente a dor. Haglund pode se desenvolver em qualquer pessoa. No entanto, é mais comum em atletas que usam tênis com pouca absorção de impacto e que fazem sobrecarga.

 

Causas

A síndrome de Haglund é o resultado da pressão frequente do seu calcâneo contra os tênis rígidos e apertados na parte posterior. Pode ser causada também pelo excesso de impacto e sobrecarga no retropé. Algumas pessoas também por encurtamento do Aquiles. Existem diferentes níveis de risco para desenvolver Haglund, pois depende da forma do osso do calcanhar.

 

Sintomas

Saliência muito visível na parte de trás do calcanhar; Dor intensa na área onde o tendão de Aquiles se insere no calcanhar; Inchaço na parte de trás do calcanhar; Vermelhidão perto do tecido inflamado do calcâneo.

 

Diagnóstico

Haglund pode ser difícil de diagnosticar porque os sintomas são semelhantes a outros problemas de pé, como a artrite e tendinite do calcâneo. Por vezes, os médicos podem diagnosticar a doença pelo aparecimento da saliência óssea do calcanhar. Se houver suspeita de Haglund, um raio-X do osso do calcanhar ajudará o médico a determinar se há um osso do calcanhar é proeminente (esporão) associado com a doença. Em alguns casos, exames complementares de partes moles são solicitados para analisar o comprometimento dos mesmos. Os exames também podem ajudar o médico direcionar a confecção de órteses para aliviar a dor no calcanhar. Palmilhas podem ser feitas para estabilizar o pé e também diminuir a pressão.

 

Tratamento

O tratamento para Haglund geralmente se concentra em aliviar a dor com métodos fisioterapêuticos, analgésicos e cicatrizantes (magnetoterapia, laser, US, etc) medicamentos, acupuntura, e tirar a pressão do osso do calcanhar.

Opções não cirúrgicas incluem: O uso de sapatos de salto-aberto, como tamancos; Gelo de 20 a 30 minutos por dia para reduzir o inchaço; Iontoforese, o qual utiliza uma corrente elétrica fraca para ajudar a drogas anti-inflamatórias penetram na pele.

A cirurgia também pode ser utilizada para tratar esta condição se métodos menos invasivos falharem. Durante a cirurgia, o médico irá remover o excesso de osso do calcanhar. Isso reduz a pressão sobre a bolsa e tecido mole. Hoje usamos técnica percutânea (minimamente invasiva).

 

Como prevenir

Você pode reduzir o risco de Haglund por cuidar bem de seus pés. Os melhores atos para isso são: Evitar sapatos com saltos duros apertados; Usar sapatos abertos na parte posterior; Usar meias acolchoadas com solas antiderrapantes; Realizar exercícios de alongamento e fortalecimento para evitar a compressão do tendão de Aquiles; Evitar correr em superfícies duras ou montanhas se estiver com dor.

 

Sobre a especialista

Ana Paula Simões é Professora Instrutora da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e Mestre em Medicina, Ortopedia e Traumatologia e Especialista em Medicina e Cirurgia do Pé e Tornozelo pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. É Membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia; da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé, da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Traumatologia do Esporte; e da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte. 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.