Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 19-10-2019 às 22:54

A admirável Lucinda Nogueira Persona

Prosa e poesia combinam com Biologia, com toda a sua Histologia e a Embriologia?  Pergunta similar talvez tenha sido muito freqüente na vida da poeta e ficcionista Lucinda Nogueira Persona.

Lucinda Nogueira Persona, uma das principais referências da literatura mato-grossense, nasceu em Arapongas-PR e vive em Cuiabá-MT desde 1965 | Creditos: Divulgação acervo pessoal

O aguardado livro de Lucinda Nogueira Persona, "O Passo do Instante",  será apresentado aos leitores e apreciadores de poesia no lançamento que será realizado no dia 14 de junho, 19 horas, no Sesc Arsenal, em Cuiabá. Antes de falar de sua sétima produção literária no gênero poesia, que foi  editado pela Entrelinhas, em comemoração aos 25 anos da editora, cabe falar  sobre a vida, além das letras. Desde os nove anos de idade  a escrita literária  lhe deu as mãos, mas foi a Biologia a sua formação acadêmica,  a exercendo profissionalmente como docente.  Quem sabe ao observar o comportamento dos organismos vivos, ela tenha adquirido  um grau ainda mais elevado de sensibilidade, tão presente na sua delicada forma de viver e escrever.

Mulher singular, e plural em seu lirismo,  reservada, de sorriso tímido e geralmente contido, no canto dos seus lábios.  Quando se desvela notívaga, a  cultivar verdadeiras pérolas para suas composições, preciosidades tiradas  de coisas simples, como da relação dia e noite, ou fragmentando-se em si própria, por imenso gosto de ser cotidiano, mergulhado em sopa escaldante, no leito de acaso, num tempo comum, entre uma noite e outra, aguardando o passo do instante.

 Lucinda fez sua estréia, como se fosse uma veterana da literatura, seu livro Por imenso gosto (MassaoOhno, 1995) conquistou o Prêmio especial no Concurso Cecília Meireles (1997) da União Brasileira dos Escritores -UBE. A seguir vieram: Ser cotidiano (7Letras, 1998); Sopa escaldante (7Letras, 2001) – Prêmio Cecília Meireles (2002) da UBE; Leito de Acaso (7Letras, 2004). Tempo comum (7Letras, 2009). Entre uma noite e outra (Entrelinhas Editora, 2014). Recentemente,O passo do instante (Entrelinhas Editora, 2019), obra que se encontra em lançamento.

Um dos grandes destaques de sua carreira ocorreu em 1997, quando recebeu o Prêmio Cecilia Meireles, na Academia Brasileira de Letras.Um momento significativo para a própria Literatura de Mato Grosso.

Na literatura infanto-juvenil é autora de:Ele era de outro mundo (Tempo Presente, 1997) e A cidade sem sol (Razão Cultural, 2000).Participou das antologias: Na margem esquerda do rio: contos de fim de século (São Paulo: Via Lettera, 2002); Fragmentos da alma mato-grossense, (Cuiabá: Entrelinhas, 2003).

Seus primeiros escritos poéticos foram colocados no papel aos nove, dez e onze anos de idade, não parando mais desde então. Foi em Cuiabá que Lucinda  concebeu prosas e poesias, além de outros escritos que vieram à luz em outras publicações, que foram importantes para sua consagração como uma das mais brilhantes poetas de Mato Grosso. Aliás, seu próprio nome, pode explicar a razão dela ter sido conduzida para uma terra ensolarada. Lucinda é um nome calcado nos elementos lux, “a luminosa”, por extensão “a que ajuda a dar a luz”. A capital mato-grossense não foi a cidade em que ela nasceu, e nem escolheu por sua decisão pessoal, mas foi a que ela  abraçou retribuindo seu abraço.

Veja a poeta falando de seu livro "Entre uma noite e outra"

http://www.youtube.com/watch?v=lSGy5da0LeA

Veja a matéria da TV Centro América (Afiliada Globo), em matéria sobre "Entre uma noite e outra"

http://g1.globo.com/mato-grosso/bom-dia-mt/videos/v/escritora-lucinda-persona-lanca-livro-de-poesias/4029479/

 

Arapongas sua terra natal

Lucinda nasceu em Arapongas, Paraná, na Fazenda Gaúcha, onde passou os quatro primeiros anos da infância, vivendo depois, até a adolescência, em Marialva, no mesmo norte paranaense, aí realizando os estudos fundamentais e os do primeiro ciclo, respectivamente no Grupo Escolar de Marialva e Ginásio Estadual Dr. Felipe Silveira Bittencourt.  O frio,tão presente nas cidades do Paraná,  ela não só vivenciou, como o  traz em suas memórias, e ela deixou registrado no site, "Como eu escrevo"  relembrando um fato de uma manhã, da sua infância em sua casa: “havia gelo derretendo no peitoril e uma luz perfeita derramada sobre a placidez de nosso quintal”.

(Na foto, Lucinda em pé ao lado  da sua irmã Darcy. Na outra foto a sua  mãe Maria de Souza Nogueira)

Em 1965, com a família e por razões profissionais do pai, radicou-se em Cuiabá–MT, onde concluiu o segundo ciclo no Colégio Estadual de Mato Grosso. O companheiro de toda uma vida, e seu grande incentivador Walter Persona a levou ao altar em 1970. 

Graduou-se em Biologia pela UFMT. Foi professora em Escolas de I e II graus nos inícios da década de setenta. Já professora da Universidade Federal de Mato Grosso, transferiu-se para o Rio de Janeiro onde fez Mestrado em Histologia e Embriologia pela UFRJ. Realizou estágios profissionais na Universidade do Chile.

Exerceu o magistério na Universidade Federal de Mato Grosso até se aposentar. Também foi professora da Universidade de Cuiabá, nos cursos da área da saúde, de 1999 a 2014. Atuou ainda como membro do Conselho Editorial da Editora da Universidade Federal de Mato Grosso (biênio 97/99).

Em 1980, um marco para a carreira de Lucinda, como bióloga. Ela fez estágio na Universidade do Chile.

Simultaneamente às atividades profissionais, desenvolveu a escrita literária, intensificada nos anos noventa, colaborando com jornais e revistas mato-grossenses escrevendo resenhas, crônicas e contos. Em 1988 obteve o Prêmio Literário Fundação Cultural de Mato Grosso na categoria autor mato-grossense, com um livro de poesia. Em 1993 foi premiada pela Fundação de Cultura e Turismo de Mato Grosso, com o primeiro lugar em crônicas.

 

Além dos seus livros

Publicações da autora constam também da Revista Poesia Sempre – Ano 9, n. 14 (ago. 2001). Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, Departamento Nacional do Livro, 2001.

Lado 7 – n. 4 (out. 2012). Rio de Janeiro: 7Letras, 2012.

Roteiro da poesia brasileira: Anos 90/ [Seleção e prefácio Paulo Ferraz; direção Edla van Steen]. – São Paulo: Global, 2011.

Revista Brasileira – Ano V, n. 87 (abr. mai. jun. 2016). Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2016.

Revista comemorativa dos 95 anos da Academia Mato-grossense de Letras (1921-2016). Cuiabá-MT: Carlini&Caniato Editorial, 2016.

Em 2014, ingressou na Academia Mato-grossense de Letras, ocupando a cadeira n. 04, cujo patrono é o Pe. José Manoel de Siqueira e ocupantes anteriores foram: Dom Aquino Corrêa, Pe. Raimundo Conceição Pombo Moreira da Cruz e Pe. Firmo Pinto Duarte Filho.

Familiares de Lucinda prestigiam a posse da imortal. Os irmãos Wilson, Olanir, Darcy, Iolanda e José ficaram muito orgulhosos da nova imortal.

            A escrita (poesia e prosa) de Lucinda Persona tem sido objeto de estudos especializados, entre teses, dissertações, monografias e ensaios.Falar do cotidiano é a tônica de seu trabalho poético, a partir de uma profunda comunhão com a realidade circundante e de uma absoluta receptividade à abundância do comum.

Recentemente Lucinda foi uma das poetisas escolhidas para representar o painel da literatura no vídeo documentário, parte que teve como facilitadora a jornalista e escritora, Sueli Batista e foi alusivo aos 300 anos em 100 minutos, da Secretaria Extraordinária dos 300 anos. O vídeo que Lucinda gravou sobre o movimento da poesia na capital mato-grossense da qual faz parte, é um registro histórico e cultural, que conta com 18 paineis, com 90 depoimentos, e que presta uma homenagem para a Cidade de Cuiabá, pelo seu tricentenário, dirigido por Dario Scherner e  realizado pela empresa Marketeria. Ao todo A poeta também foi homenageada na  Mostra Cultural: 300 Mulheres - Letras, História e Equidade, projeto da Academia Mato-grossense de Letras, coordenado pela juíza Amini Haddad.

 

            O Passo do Instante

Marcos Pasche, crítico literário , professor de Literatura Brasileira da Universidade Federal do Rio de Janeiro e Raquel Naveira, escritora, crítica literária e professora universitária,  apresentam o novo livro de Lucinda Persona. A obra tem a capa ilustrada pela obra Pepalantus, desenho digital da artista plástica Regina Pena, que também ilustrou a capa do seu livro anterior, “Entre uma noite e outra”.

Lucinda  dedica o livro ao  filho Walter Gustavo “que em sua vida curta foi a própria encarnação do instante”. E abre as páginas do seu livro com uma pergunta que vai direto ao mais profundo do coração e da alma: “Quem poderá deter o instante que não para de morrer?”, da poetisa portuguesa Sophia de Mello BreynerAndresen. Prepara, assim, o espírito do leitor para o que virá: os poemas apresentados em duas partes, “Sobrevivências” e “Celebrações”.

Passo é uma partícula de caminhada; instante, uma faísca de tempo. De um livro que em seu nome estampa esses termos, pode-se esperar a captação de lampejos existenciais. [...] Que por início, então, a jornada da leitura se inicie e desperte vigor e encantamento”, convida o crítico literário Marcos Pasche.

É o sétimo livro de poesia da escritora, com o qual rende tributo sobretudo ao tempo. Sem perder contato com o simples, maximizando o mínimo e acercando-se cada vez mais dos elementos cotidianos, a poeta permeia o diário viver de todos nós, ora com rajadas de alegrias, ora com olímpicas tristezas. Nada fica de lado, nem o que foi luz, nem o que foi sombra.

Assim, do ponto de vista das imagens principais, “O passo do instante” passa pelos caminhos da realidade e das impermanências no torvelinho do tempo, registra inquietações e momentos marcantes que pulsam num espaço essencial absolutamente propenso à perspectiva do poema, conforme sugere o “eu” lírico. Na obra, tornam-se flagrantes o contexto e o vínculo com um universo onde elementos cotidianos estão em rotação.

Ao ter a escrita como um dos modos de sobrevivência e celebração (sinalizados através das epígrafes de Clarice Lispector e Walt Whitman), a autora fala das coisas que nos cercam: paisagens (urbanas ou não), certas atmosferas, noturnos, memórias, amores. E fala também do fazer poético em si, deixando entrever que é fascinante entregar a palavra à poesia, mas ao mesmo tempo é um defrontar-se com difícil causa, algo que é dimensionado já nos primeiros versos.

Alguns poemas do livro

Só quem está vivo

vagueia pelas horas e pode atravessar

sem dar um passo sequer

a paisagem que vem de dentro.

............................................................

 

Há infinitos poentes

            e este tempo

impiedosamente curto

para existir e escrever

a cada instante

sobressaltos vários.

............................................................

 

 

ROSÁRIO

 

E temos nossas vidas

Nas proporções reais

(instantes poucos, ligeiros)

 

Algumas vezes para mais

Algumas vezes para menos

 

Vamos e voltamos

sobre os mesmos passos

como se não houvesse saída

no vaivém da rotina

 

Pelo rosário do tempo

o dia de um

no corpo do outro

também é passageiro.

.............................................

 

SERVIÇO

 

Lançamento: do livro de poesias O passo do instante, de Lucinda Persona.

Editora: Entrelinhas.

Valor do investimento: R$ 40 (no lançamento)

104 páginas; capa ilustrada pela artista plástica Regina Pena

Quando: 14 de junho (sexta-feira) de 2019, a partir das 19 horas.

Local: Sesc Arsenal (salão da Choperia) – Rua 13 de junho, s/n, Porto, Cuiabá-MT

           Nas fotos, Lucinda visita a cidade em que nasceu e viveu parte da primeira infância. Arapongas-PR. Mostra a entrada da Fazenda Gaucha e posa no marco Trópico de Capricórnio, que passa pelo local em que nasceu. 

Leia também sobre Lucinda Persona nos sites:

Como eu escrevo

https://comoeuescrevo.com/lucinda-persona/

https://comoeuescrevo.com/lucinda-persona/

Templo Cultural Delfos

http://www.elfikurten.com.br/2016/01/lucinda-persona.html

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.