Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 16-06-2019 às 14:36

Raiva pode matar seu animal

Dr Italo Oliveira, do Centro Veterinário Seres - Grupo Petz, aponta a vacina antirrábica como a maneira mais eficaz de prevenir a doença

A forma mais eficaz de evitar a raiva é com a vacina antirrábica. Então uma dica importante é manter a caderneta de vacinação do seu pet atualizada. Aliás, ele já foi vacinado este ano? | Creditos: PixaBay

Um caso de raiva humana abalou a pequena cidade de Gravatal, em Santa Catarina. Uma mulher de 58 anos foi mordida por um gato e contaminada pelo vírus da doença. Havia 38 anos que o estado do sul do país não registrava casos de raiva humana. Logo após a confirmação do diagnóstico, a Vigilância Epidemiológica começou uma campanha na região para imunização de cães e gatos.

A vacinação é a medida mais eficaz de prevenção da raiva em mamíferos e, consequentemente, também a maneira mais adequada de se evitar a raiva humana. Muita gente associa a raiva à doença de cachorro e gato, mas o vírus pode acometer ainda coelhos, cavalos, bois, morcegos e também o homem.

“Animais infectados podem transmitir a doença para humanos e humanos infectados podem transmitir a doença para os animais, inclusive para outros humanos”, explica o Dr Ítalo Cassio Silva de Oliveira, médico do Centro Veterinário Seres, do Grupo Petz.

A transmissão do vírus para o homem se dá pela saliva de animais infectados que podem lamber, morder e provocar ferimentos.   Machucados provocados por um animais contaminados devem ser imediatamente limpos com água e sabão e a pessoa tem de procurar uma unidade de saúde para receber a vacina antirrábica o mais rápido possível.

“Em humanos os sintomas da raiva podem aparecer em 20 e até 45 dias depois da contaminação. Mas existem casos do vírus ficar encapsulado, sem ser reconhecido pelo sistema imunológico, durante anos”, explica o veterinário do Seres.

Quando ocorre contaminação, a batalha pela vida quase sempre é perdida. “Os pacientes podem apresentar alterações comportamentais, salivação, vocalização, agressividade, convulsões e coma seguido de óbito. O vírus causador da doença ataca o sistema nervoso central e provoca encefalite, uma inflação no encéfalo. A evolução da doença é tão rápida que na maioria das vezes não há tempo para conclusão do diagnóstico.

 

Como evitar a Raiva

A forma mais eficaz de evitar a raiva é com a vacina antirrábica. Então uma dica importante é manter a caderneta de vacinação do seu pet atualizada. Aliás, ele já foi vacinado este ano?

Desde 1954, a lei 2.858 determina a vacinação anual de pets.

E sabia que você, tutor, pode até ser multado se não vacinar seu bicho de estimação? “Diferentemente da conduta em relação aos pets, os tutores não precisam tomar a vacina. No caso dos humanos, a vacina antirrábica é recomendada apenas para os profissionais que trabalham diretamente expostos a riscos de contaminação por mordedura de animais e para os profissionais da área da saúde. As vacinas para humanos são administradas em postos de saúde.

 

Morcegos

Quando surgem casos de raiva bovina ou equina geralmente a suspeita de transmissão do vírus recai sobre os morcegos hematófagos, que se alimentam de sangue de animais vertebrados.

“É preciso ficar claro que nem todo morcego hematófago transmite raiva. O risco só existe se o animal estiver contaminado com o vírus. E por serem de hábito noturno e de ambiente de mata, sua entrada em áreas urbanas sempre é transitória”, ressalva Dr Ítalo.

Como os morcegos têm hábitos noturnos, quando adoecem, geralmente são encontrados caídos em terrenos e quintais. Evite contato se o animal estiver vivo ou morto e avise o Centro de Controle de Zoonoses de sua cidade. Cuidado também para que cães e gatos não se aproximem.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.