Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 19-08-2019 às 05:56

Zinco auxilia a desenvolver inteligência

O mineral é essencial para o corpo humano ativar as funções usadas no processo de aprendizagem

A deficiência de zinco foi identificada pela primeira vez na década de 1960 e é considerada uma das mais prevalentes, sendo que mais de 17% da população mundial possui risco de ingestão inadequada do mineral. | Creditos: PixaBay

O zinco é um mineral que foi reconhecido como nutriente essencial para a saúde de plantas e animais na década de 1930. Ele está presente em todo o corpo, em quantidades relativamente pequenas (1,5 a 2,5g), distribuído entre órgãos, tecidos, fluidos e secreções. A maior parte do zinco está concentrada nos ossos e músculos, e apenas 3,5mg está no sangue. 

É parte fundamental de um grande número de reações metabólicas, auxiliando no funcionamento de mais de 300 enzimas. Uma de suas funções principais é garantir o bom funcionamento do sistema imunológico, exercendo papel anti-inflamatório e fortalecendo a ação de antioxidantes contra os radicais livres. Ele tem papel fundamental ao longo do crescimento e desenvolvimento, participando do desenvolvimento fetal, da síntese de proteínas, da produção, armazenamento e liberação da insulina pelo pâncreas, de reações de coagulação, do funcionamento da tireoide e também influencia o desenvolvimento cerebral e a estruturação do comportamento e a aprendizagem dos seres humanos. 

A deficiência de zinco foi identificada pela primeira vez na década de 1960 e é considerada uma das mais prevalentes, sendo que mais de 17% da população mundial possui risco de ingestão inadequada do mineral. Ela ocorre principalmente em países em desenvolvimento, tendo como causa principal a ingestão inadequada através de uma alimentação deficiente neste nutriente. Alguns grupos populacionais necessitam de maior atenção quanto a ingestão de zinco, como crianças em fase de crescimento, gestantes e lactantes, porque suas necessidades aumentadas colaboram para o maior risco de deficiências, além de idosos. A deficiência deste mineral pode afetar gravemente crianças e adolescentes, retardando o crescimento e desenvolvimento do corpo e comprometendo o sistema imunológico, aumentando o risco de infecções, diarreias e pneumonia, podendo resultar em maior taxa de mortalidade. Os sintomas da deficiência de zinco incluem anorexia, alterações no paladar e diarreia, que comprometem a ingestão de alimentos e aumentam a perda de nutrientes, podendo agravar carências nutricionais. Deficiências crônicas afetam o sistema nervoso, atrasando o desenvolvimento motor e cognitivo e também podem afetar a tireoide e impactar na taxa metabólica. 

A atenção à ingestão de alimentos ricos em zinco é uma importante forma de percepção do risco de deficiências. Uma série de alimentos podem ser considerados como fontes de zinco, como alimentos ricos em proteína, como carnes e frutos do mar, e grãos integrais. A maior parte do zinco presente nos grãos está no gérmen e no farelo. Grãos refinados podem conter até 80% menos zinco do que sua versão integral.  

O conteúdo de zinco nos vegetais pode variar muito, dependendo do teor deste nutriente presente no solo em que foram cultivados. Solos fertilizados com zinco tendem a produzir plantas com maior teor de zinco em suas porções comestíveis. Dessa forma, a fertilização pode ser uma importante estratégia para a prevenção das deficiências de zinco na população, somando-se às recomendações de ingestão de alimentos fonte deste mineral. 

Enfim, há uma relação direta entre a biodisponibilidade do nutriente e a necessidade de sua adição através da adubação das culturas. Com esse intuito, a iniciativa Nutrientes Para a Vida (NPV), segmento brasileiro do programa americano Nutrients for Life, ressalta sobre os benefícios do uso dos fertilizantes na qualidade e na segurança dos alimentos para consumo.  

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.