Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 22-09-2019 às 23:14

Lançamento de livro marca 25 anos de pesquisa médica

Doutora otorrinolaringologista publicou a segunda edição do título “Quem disse que Zumbido não tem cura?”; livro resulta de 25 anos de atuação clínica e pesquisa científica

Profa. Dra. Tanit Ganz Sanchez: Otorrinolaringologista com doutorado e livre-docência pela USP, Fundadora e Diretora do Instituto Ganz Sanchez, criadora da Campanha Nacional de Alerta ao Zumbido (Novembro Laranja) e do Grupo de Apoio Nacional a pessoas co | Creditos: Banco de Noticias

Quem disse que zumbido não tem cura?”

Esta é a pergunta que a primeira pesquisadora sobre zumbido do país, a professora doutora otorrinolaringologista, Dra.Tanit Ganz Sanchez, faz em seu livro sobre o assunto, que é também o mote de seus estudos e pesquisas há 25 anos.

‘Quem disse que zumbido não tem cura?’ é um livro que desafia a ideia predominante de que o zumbido deve ser aceito como ‘normal’ e acostumar-se com ele. Escrito de forma fácil e acessível, apresentando os resultados das inúmeras pesquisas realizadas pela especialista, além das constatações durante o atendimento a milhares pacientes com zumbido.

Nessa obra o leitor vai encontrar informações úteis sobre o zumbido, suas principais causas, os motivos que predispõem ao sintoma e as várias formas de tratamento que podem ser ministradas de acordo com cada caso, além de depoimentos de pacientes sobre o sofrimento com o sintoma e sua cura.

A primeira edição do livro foi lançada em 2006 e de lá para cá, a inquietude,  a paixão e a persistência  da Dra. Tanit sobre o ZUMBIDO trouxe muitos avanços para  que, em 2019, a autora possa lançar uma edição atualizada apresentando resultados expressivos sobre a cura total ou parcial do Zumbido, conforme descrito abaixo.

A segunda edição do livro “Quem disse que zumbido não tem cura?”, marca a comemoração de 25 anos de dedicação da especialista ao estudo sobre o Zumbido - sintoma que afeta mais de 28 milhões de brasileiros. Outra comemoração, tão importante quanto, é o aniversario de 10 anos do Instituto Ganz Sanchez – primeiro centro latino-americano dedicado a pesquisa e tratamento da “quadrilha do ouvido” – Zumbido, Misofonia, Hiperacusia e perda de audição.

 

Sobre a pesquisa:

Qual seria sua resposta para a pergunta: ‘Você acredita na cura do zumbido?’

Dra. Tanit responde: Lançamos a primeira edição do livro ‘Quem disse que zumbido não tem cura?’ em 2006 porque já havia motivos para acreditar nisso naquela época, pelas histórias dos pacientes. Convencer as pessoas de que há outro caminho melhor a ser tomado é tão difícil como remar contra a maré: demora e cansa.

Aos poucos fomos colecionando evidências e decidimos orientar uma tese de mestrado pela USP sobre cura do zumbido, que foi finalizada em 29-10-2018.

A pesquisa envolveu uma coletânea de casos de cura do zumbido, tratados por diferentes profissionais. Por causa de prazo, ela foi analisada com os primeiros 63 casos, mas ainda está em andamento.

 

Sobre a especialista

Profa. Dra. Tanit Ganz Sanchez: Otorrinolaringologista com doutorado e livre-docência pela USP, Fundadora e Diretora do Instituto Ganz Sanchez, criadora da Campanha Nacional de Alerta ao Zumbido (Novembro Laranja) e do Grupo de Apoio Nacional a pessoas com Zumbido. Assumiu a missão de desvendar os mistérios do zumbido e é pioneira nas pesquisas no Brasil, sendo reconhecida por sua didática, objetividade e compartilhamento aberto de ideias. É especialista em Zumbido, Hiperacusia, Misofonia e Distúrbios do Sono.

 

Serviço:

Livro: “Quem disse que Zumbido não tem cura?”

Disponível no site  

Preço: R$ 50,00

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.