Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 23-08-2019 às 04:45

Perfomance em Londres investiga conexões da febre amarela no Brasil

A brasileira Vivian Coccuri apresenta em galeria inglesa uma "alucinação histórica" sobre o retorno da febre amarela no Brasil

Vivian Coccuri | Creditos: Kochi-Muziris Biennale/CASACOR

A galeria londrina Serpentine vai receber uma nova performance de Vivian Caccuricomo parte do festival The Shape of a Circle in the Mind of a Fish with Plants. A artista paulistana compôs uma apresentação que relaciona historicamente as intersecções entre a febre amarela, a cana-de-açúcar, os mosquitos e a música do Brasil clássica e contemporânea.

Chamada “O Xarope do Novo Mundo & A Mão da Febre”, a palestra-performance se baseou no último surto de febre amarela que tomou conta da América do Sul entre 2017 e 2018. A doença está profundamente conectada às plantações de açúcar que criaram um ambiente ideal para a proliferação do Aedes Aegypti, mosquito trazido pelos navios negreiros europeus para as Américas.

Estudos científicos sobre o tema são pano de fundo para o debate sobre as ligações entre a cana-de-açúcar, a febre amarela, o Catolicismo e a forma pela qual as interações coloniais foram refletidas na música. “É quase irônico que a febre amarela tenha ‘escolhido’ voltar nesta insanidade política que vivemos no Brasil. Esta é uma das razões pelas quais a forma principal da performance é a de uma alucinação histórica”, diz Caccuri.

A artista faz uso de uma peça composta por ela mesma em um grande órgão catedrático, desenhos, imagens históricas, vídeos, sons e sua própria voz para contar essa história semi-ficcional. Vivian é conhecida por executar trabalhos em que cria relações entre a música, espaço público, arquiteturas reais e virtuais, o corpo e a performatividade por meio de objetos, instalações e performances.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.