Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 20-07-2019 às 09:25

Adolescentes com depressão: familiares precisam apoiar

“Apoiar a pessoa depressiva, auxiliar a encontrar caminhos e um novo propósito trará uma porta de saída para esse quadro de depressão”, diz especialista

A depressão é uma doença que precisa de cuidados especiais e acolhimento, e a famíliatem um papel muito importante dentro desse cenário. | Creditos: Getty Images / Divulgação

A depressão é uma doença que precisa de cuidados especiais e acolhimento, e a famíliatem um papel muito importante dentro desse cenário. Segundo estimativa da Associação Brasileira de Psicanálise, cerca de 10% dosadolescentes brasileiros sofrem da doença. Jápara a Organização Mundial da Saúde (OMS),no mundo todo, 20% dos jovens nessa faixaetária sofrem com a doença. “O paciente depressivo, carrega com ele uma enorme frustração, tristeza, angústia, um processo intenso de não encontrar a saída para a dor emocional que está vivendo. Um quadro de desânimo e falta de propósito, onde tudo em volta parece não fazer sentido”, explica at erapeuta e orientadora transpessoal Wanessa Moreira.

De acordo a especialista, é muito comum encontrar famílias sofrendo com esse quadro de ter umapessoa querida em depressão, seja pelo motivo de não saber como ajudar, ou ainda, pela demora muitas vezes de se diagnosticar de fato a depressão e a demora de responder ao tratamento em muitos casos.“A cobrança excessiva, a falta de entendimento dentro da família, a falta de diálogo e de respeito das escolhas de cada um, pode, inclusive, gerar um quadro depressivo em uma pessoa que não está bem, está triste e frustrada e já não sente que tem espaço dentro dessa família”, destaca Wanessa.

Para a orientadora pessoal, que também é master mentoring em coaching corpo e mente, cadaindivíduo percebe a sua realidade de uma maneira muito particular, por isso é necessário respeitar a dor, o sofrimento e o ponto de vista de cada um, pois colocar regras dentro da família sem conversar ecompreender como cada um percebe esse direcionamento, pode levar um grande sofrimento para apessoa, incluindo a depressão.

“Ouvimos desde sempre o quanto é importante ter coragem para vencer na vida, mas não aprendemoscomo de fato executar essa ação a nosso favor. Aprendemos o quanto viver a vida é difícil, e que precisamos sobreviver durante a vida. Mas não aprendemos a viver, e viver traz liberdade, movimento, dificuldades e alegrias. Viver não é nos estacionar em dores profundas com a sensação de não ter saídapara esse lugar, viver não é se afogar em dor. Nós não trazemos na nossa bagagem emocional um repertório com novas ações para se viver uma nova vida”, esclarece a especialista.

A dificuldade de executar as mudanças para viver um novo significado, provoca a insatisfação e o aprisionamento, um cansaço de estar patinando nas mesmas dores e nas mesmas histórias. “Essas histórias tem uma relação direta com aexperiência do histórico familiar de cada pessoa. Já estácomprovado cientificamente que o DNA carrega as nossas informações das histórias que vivemos, e essas informações são passadas geneticamente para as gerações seguintes. Dessamaneira, recebemos dos nossos familiares as informações das histórias que eles viveram, independentemente de termos conhecido ou não os nossos antepassados, de sabermos ou não dessas histórias, e esse é o repertório que trazemos na bagagem da nossa vida”, diz Wanessa.

Ainda, segundo a especialista, “por termos esse histórico conhecido, acabamos “presos” nessas histórias como uma zonade conforto conhecida, mesmo que inconscientemente eacabamos sendo levados ao movimento de repetir parte dessas histórias por se tratarem de rotas conhecidas de padrões ecomportamentos”. Por isso, a terapeuta pessoal argumenta que é necessário ampliar o repertório, conhecer novas histórias, realizar pequenas mudanças para ampliar o leque de ações e materializar mudanças que trazem um novo significado para avida.

Sendo assim, Wanessa Moreira orienta que uma ação em conjunto da família, de acolhimento, amor, de procurar conhecimento e auxiliar a caminhada da pessoa ou adolescente que está depressivo dentro desse cenário familiar, é fundamental para transformar esse quadro e essa história. “Apoiar a pessoadepressiva, auxiliar a encontrar caminhos e um novo propósito trará uma porta de saída para esse quadro de depressão. É importante dentro da família que todos se sintam parte e pertencentes dahistória, sem exclusões ou comparações, preservando a individualidade e a busca de cada membro dafamília com amor e entendimento”, finaliza.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.