Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 20-07-2019 às 09:58

Café Controverso: debate indicadores e resultados socioculturais

Idealizado pelo Espaço do Conhecimento UFMG e patrocinado pelo Instituto Unimed-BH, evento abordará a importância do acompanhamento de resultados na gestão de projetos socioculturais

"Transformação social e cultura: como podemos avaliar e medir nossas ações?", é o tema da edição do próximo Café Controverso. | Creditos: Divulgação

As edições do Café Controverso patrocinadas pelo Instituto Unimed-BH iniciam a temporada 2019 com uma nova proposta. O evento é mensalmente realizado pelo Espaço do Conhecimento UFMG e, no ano passado, teve como foco a saúde física. Agora, ele passa a ser o Café Controverso: Edição Especial Viver Bem. Com a mudança, especialistas vão discutir assuntos relacionados a uma visão mais ampla da saúde, abordando transformação social, qualidade de vida e bem-estar.

A primeira edição terá como tema Transformação social e cultura: como podemos avaliar e medir nossas ações?, chamando atenção para a importância da avaliação dos impactos dos projetos socioculturais para a comunidade e a cidade. O bate-papo acontece no sábado, 27 de abril, de 10h às 12h, no Espaço do Conhecimento  UFMG. Os dois convidados atuam na área de sustentabilidade e de projetos culturais e apresentarão reflexões e cases sobre suas experiências no setor.

Um dos debatedores é o consultor Rafael Tello, fundador e diretor da NhK Sustentabilidade, empresa de consultoria na área de sustentabilidade e professor associado da Fundação Dom Cabral. Economista pela UFMG, Rafael tem especialização em Negócios Internacionais pela Fundação Dom Cabral e MBA em Gestão da Sustentabilidade pela Leuphana Universität, na Alemanha. No evento, ele mostrará sob o ponto de vista conceitual a importância dos indicadores na avaliação do potencial de transformação social de uma comunidade e como isso pode contribuir na análise das empresas apoiadoras e executoras.

“É importante medir como o recurso está se convertendo em transformação social. A ideia é mostrar como construir essa matriz e como ela se desdobrará em sistemas de gestão. Só dessa forma as entidades patrocinadoras e executoras do projeto terão mais conhecimento sobre os impactos”, afirma.

A outra convidada é Clarice de Assis Libânio, graduada em Ciências Sociais, com habilitação em Antropologia, pela UFMG. Autora do Guia Cultural das Vilas e Favelas de Belo Horizonte, também é coordenadora-executiva da ONG Favela é Isso Aí. Em sua participação no Café Controverso, Clarice falará da experiência à frente da organização, que apoia outras associações que atuam com projetos sociais e culturais em Belo Horizonte. Ela apresentará, ainda, cases de acompanhamento e monitoramento de resultados de diversas organizações socioculturais desenvolvidos durante cursos e seminários promovidos pela ONG.

 

Serviço:

Café Controverso: Edição Viver Bem

Tema: Transformação social e cultura: como podemos avaliar e medir nossas ações?

Quando: Sábado, 27 de abril, às 10h

Onde: Espaço do Conhecimento UFMG – Praça da Liberdade, 700, Funcionários, BH.

Entrada: gratuita

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.