Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 22-07-2019 às 12:41

Qual é a habilidade mais desejada no mercado?

“Criatividade, inovação, empreendedorismo, pensamento crítico e resolução de problemas são habilidades esperadas para o futuro”, afirma especialista

Se formos avaliar os profissionais que nos cercam atualmente, veremos que a habilidade mais importante no seu desenvolvimento contínuo é o de aprender a aprender. | Creditos: PixaBay

Há alguns dias atrás, perguntei a um menino de 11 anos de idade o objetivo de irmos àescola. Prontamente, ele me respondeu: “Para passar de ano!” De imediato, lembrei dopedagogo e educador catalão Antoni Zabala que diz, criticamente, que “A escola virou um jogo, cuja a meta é passar de fase.” Na verdade, devermos ir à escola para aprender eisso deveria ser óbvio para aquele diretamente interessado, o aluno!

Se formos avaliar os profissionais que nos cercam atualmente, veremos que a habilidade mais importante no seu desenvolvimento contínuo é o de aprender a aprender. Nós educadores temos que capitanear a mudança para que o aluno enxergue o motivo real deestar na escola.

O mundo em que vivemos em 2018 é bem diferente daquele de 50 anos atrás. Os bancosoferecem gerentes digitais, a medicina descobriu cura para doenças que sequer existiam naquele tempo, os celulares mudaram nossa forma de comunicação com aplicativos cada vez mais complexos, mas que facilitam nossas vidas e o professor se tornou o moderador da aprendizagem. Ou seja, comoensinar? Quais serão as necessidades futuras dos alunos que se encontram hoje em nossas salas de aula?

Segundo estudo do Instituto para o Futuro (IFTF), 85% das profissões que existirão em 2030 ainda não foram criadas. Assim, édifícil precisarmos quais serão as necessidades profissionais que os nossos alunos terão em 2040 ou 2050. Uma coisa, contudo, écerta, a inteligência artificial e a robótica poderão substituir os humanos em “[...] tarefas de “rotina”, aquelas baseadas em regrasexplícitas que podem ser articuladas, mas não aquelas “não-rotineiras”, que envolvem alguma inteligência que nós não sabemos como sistematizar.” (Susskind, D O Futuro das Profissões).

Assim sendo, para fazer frente a desafios futuros e viabilizar a adequação do aluno a mudanças que certamente ocorrerão nesteséculo, precisamos potencializar o que temos de mais humano: as habilidades de comunicação – negociação e argumentação -, coisas como criatividade, pensamento crítico, capacidade de trabalhar em equipe, de responder a desafios, de pensar de forma inovadora, desenvolvendo flexibilidade e empatia, aquilo que uma máquina não tem e, quiçá, nunca terá.

No centro do desenvolvimento das habilidades que capacitarão o aluno como cidadão do século XXI, temos a comunicação. Por meio do aprendizado integrado de uma língua, como o inglês, poderemos viabilizar o aprender a aprender, a mobilidadeprofissional, a capacidade de alinhamento com as mudanças e inovações. O uso de mais uma língua para acelerar odesenvolvimento de habilidades ou competência socioemocionais é de suprema importância atualmente.

O ensino bilíngue é hoje uma realidade que veio para ficar. Muito já foi dito e feito por meio do ensino bilíngue, mas não podemosparar já que abordagens pedagógicas surgem a cada ano. Para desenvolver ainda mais a capacidade de trabalho em equipe dosestudantes, programas bilíngues como o da International School, amplia o uso da abordagem Project-Based Learning, PBL, em tradução livre, Aprendizagem Baseada em Projetos.

Tal abordagem visa desenvolver habilidades como criatividade, inovação, empreendedorismo, pensamento crítico e resolução deproblemas, entre outras, por meio do uso da língua inglesa. A abordagem PBL segue uma tendência muito atual na Europa e visa intensificar o protagonismo do estudante no processo de aprendizagem. O PBL aguça a curiosidade e criatividade do alunogerando um claro propósito para a aprendizagem de diferentes áreas do conhecimento por meio do inglês. Isso motiva oestudante a investigar o desafio inicial e a propor soluções variadas que enriquecem o processo ensino-aprendizagem. Comoresultado, teremos um estudante que irá desenvolver sua autonomia tornando-se responsável pelo processo deaprendizagem.

A tecnologia educacional também empresta ao programa bilíngue soluções pedagógicas que irão, sem dúvida, fomentar oaprendizado dos alunos com alto nível motivacional. Por meio de plataformas gamificadas e desafios de games educacionais, oaluno terá que pensar soluções e desafios do presente do século XXI para desenvolvermos os cidadãos - mulheres e homens -,éticos, solidários, inovadores e conscientes que irão comandar o mundo que temos a nosso redor.

Atualmente, esses cidadãos estão sentados em nossas salas de aula. Temos que prepará-los para o futuro com o desenvolvimentode competências. Precisamos fazer com que aquele menino de 11 anos entenda que o motivo de irmos à escola é para garantir sua capacidade de aprender a ser, a conviver, a fazer e aprender a aprender sempre que for necessário.

 

* Virginia Garcia é educadora e gestora pedagógico-acadêmica. Atualmente, é a Diretora de Publishing R & D da International School, empresa focada em soluções de ensino bilíngue, sendo responsável pela pesquisa, desenvolvimento de materiais didáticos impressos e digitais, assim como também pela área de Formação de Professores e Inovação Editorial e Tecnológica.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.