Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 25-04-2019 às 03:50

MEI precisa pensar na aposentadoria agora

Muitos profissionais estão migrando para a modalidade MEI, o que esse fato incide no futuro da aposentaria do brasileiro?

Especialista alerta que é preciso que todos os MEIs saiba deste impacto de se tornar pessoa Jurídica e que, acima de tudo, a questão da terceirização não tira nenhum direito. | Creditos: PixaBay

Caso você seja Microempreendedor Individual - MEI,  é melhor já repensar alguns detalhes sobre a sua aposentadoria a partir de agora ...

A nova tendência de mercado é se tornar MEI e são inúmeros profissionais que estão deixando seus empregos para virar Pessoa Jurídica. E é aí que entra a questão da aposentadoria, uma vez que as mudanças propostas pelo novo Governo na previdência social trarão diversos reflexos no futuro.  

 

Explicando rapidinho

O MEI tem um limitador para se aposentar correspondente ao valor de um salário mínimo. 

A solução é criar uma cultura de educação financeira forte pensando que após  os 65 anos não será possível conseguir sobreviver apenas com o salário mínimo, principalmente quem é MEI.


Segunda  renda

Para  Clodoaldo Barbosa, diretor-executivo da RH NOSSA, a reforma da previdência vai forçar o começo desta educação financeira para os MEIs. Essa massa trabalhadora terá que buscar uma previdência privada pois, agora só será possível se aposentar por idade (62 para mulheres e 65 para homens):

"Muitos pensam que esta proposta é algo recente, que ainda vai ser validado por ser algo novo. Mas muitos estudos apontam que esta é a média de idade de aposentadoria real dos brasileiros. Como que você vai contribuir em média 40 anos com o INSS para se aposentar? Nem sempre será possível" questiona o especialista. 

Clodoaldo alerta que é preciso que todos os MEIs saiba deste impacto de se tornar pessoa Jurídica e que, acima de tudo, a questão da terceirização não tira nenhum direito:

"Existem adequações no formato de contrato entre empregador e empregado, que é forte em outros países e já está começando no nosso país. E esses trabalhos contribuem na aposentadoria, não tem nenhuma perda de direito. Acontece que uma parcela de quem é MEI não está pensando na aposentadoria. Quem está com trinta anos hoje, por exemplo, não se preocupa muito com o futuro, mas quando estiverem na faixa dos seus 50 anos e perceberem que não conseguirão sobreviver apenas com o salário mínimo, terão dor de cabeça" alerta.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.