Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 23-04-2019 às 00:11

Terapeuta fala sobre a importância de se comunicar bem

De acordo com a especialista, é muito importante ser claro, objetivo e gentil ao se comunicar, sem ter medo, sem achar o que o outro pensa, sem deduzir

A terapeuta argumenta que por isso é tão importante ao falar ser direto e gentil sobre o assunto que está sendo abordado. | Creditos: Scords/ Flickr/ Creative Commons

A dificuldade para a comunicação, demaneira geral, sempre geradiscussões entre amigos e familiares,além de treinamentos para equipes deempresas. E com o atual avanço datecnologia e consequente aumento navelocidade das informações, essadificuldade “com certeza aumentou muito”, afirma a terapeuta pessoal Wanessa Moreira, que também é master mentoring em coaching corpo e mente.

“O que eu falo ou escrevo, nemsempre é o que o outro entende, e damesma maneira, o que vem do outro não será exatamente o que eu vou compreender!”, diz Wanessa.

De acordo com a especialista em relações humanas, isso acontece porque cada pessoa funciona como se estivesseem um mundo completamente individual. “Estamos inseridos todos no mesmo mundo e pertencemos a ele, mas dentrodesse mundo temos o mundo de cada um”, explica.

Mas o que será que acontece nesses mundos individuais? Para Wanessa, cada indivíduo tem uma história de vida, tema sua história familiar, o que recebeu como valores, cultura e verdades, e cada um ainda tem a interpretação de tudo o que recebeu na sua fase de crescimento e desenvolvimento. “Somos mais de sete bilhões de modelos diferentes depessoas, e cada um é completamente diferente um do outro!”, justifica.

Para facilitar esse entendimento, a terapeuta pessoal convida o leitor para imaginar um diálogo de uma pessoa A e umapessoa B. “A ‘pessoa A’, ao falar, traz o significado para aquela fala baseada nas memórias e experiencias que ela tem com aquele conteúdo, e tem a convicção que assim será recebido pela ‘pessoa B’. A ‘pessoa B’, por sua vez, ao escutar a fala da ‘pessoa A’ vai interpretar com toda a sua experiência de vida, memória e valores que tem sobre esseassunto, e assim seguirão o fluxo dessa conversa. Cada uma delas decodificando as falas com a sua experiência devida e de mundo!”, esclarece.

A terapeuta argumenta que por isso é tão importante ao falar ser direto e gentil sobre o assunto que está sendo abordado. “Pois o que é subentendido talvez não seja compreendido pelo outro, e dessa maneira também podemos perceber que o óbvio para cada um de nós, muitas vezes só pode ser óbvio para nós mesmos e não para o outro”,afirma.

Wanessa diz conversar com muitas pessoas, que na maioria das vezes relatam que ficam tentando compreender o que a outra pessoa estápensando sobre um determinado fato. “Acabamos perdendo muito tempo e energia com isso, afinal, se temos os mundos individuais, como vamos saber de fato o que o outro pensa sobre o que aconteceu? A únicamaneira de saber é perguntando diretamente e mesmo assim não garantimos que a resposta dada será a mesma do momento do ocorrido, porque muitas vezes mudamos a maneira como observamos um fato com o passar do tempo”, pondera a especialista.

Dessa forma, de acordo com a terapeuta pessoal, é muito importante ser claro, objetivo e gentil ao se comunicar, sem ter medo, sem achar o que o outro pensa, sem deduzir. “Seguindo essas etapas, tenho certeza que uma boa parte do estresse e tempo que se gasta com isso será bemmelhor direcionado. O ato de se comunicar ficará mais leve, para nãoarrastar situações dentro da sua mente e do seu fluxo de pensamentos”, recomenda.

Wanessa explica que cada vez que uma pessoa fica pensando em conversas passadas e tentando avaliar, compreender e julgar os fatos, ela se distancia do presente e coloca a atenção no passado, deixando de viver de fato o momento atual. “Lembre-se: a vida acontece no presente, então procure estar com a sua atenção voltada para o momento que você está vivendo, pois fica mais leve viver assim e lidar com tudo o que acontece a nossa volta!”, finalizaa especialista em orientação pessoal.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.