Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 19-05-2019 às 03:18

Arquiteto japonês Arata Isozaki é o vencedor do Pritzker 2019

O júri do prêmio disse que Isozaki foi reconhecido internacionalmente com a maior honra da arquitetura devido à sua abordagem original e visionária

Arata Isozaki, vencedor do “Nobel da Arquitetura". | Creditos: Reprodução/CASACOR

O arquiteto japonês Arata Isozaki é o vencedor do Prêmio Pritzker 2019, o “Nobel da Arquitetura”, anunciado ontem, terça-feira (05/03). O júri do prêmio disse que Isozaki, de 87 anos, foi reconhecido internacionalmente com a maior honra da arquitetura devido a sua abordagem original e visionária. “Possuindo um conhecimento profundo da história e da teoria da arquitetura, e abraçando a vanguarda, ele nunca simplesmente reproduziu o status quo”, foi a declaração do corpo de jurados.

A carreira do arquiteto abrange mais de seis décadas e mais de 100 edifícios concluídos pela Ásia, Europa, América do Norte, Oriente Médio e Austrália. Seus principais trabalhos incluem o Ceramic Park Mino e o Art Tower Mito no Japão, o Pala Alpitour e o Allianz Tower na Itália, o Centro de Convenções Nacional do Qatar e o Shanghai Symphony Hall, na China.

Entre seus projetos mais conhecidos está o ginásio esportivo Palau Sant Jordi, em Barcelona, na Espanha, que foi idealizado para os Jogos Olímpicos de 1992. O teto abobadado da arena para 17.000 pessoas faz referência às técnicas catalãs de construção de abóbadas, enquanto a sua forma inclinada foi inspirada nos templos budistas. Materiais locais, incluindo tijolos, azulejos, zinco e travertino, foram usados como acabamentos.

O Museu de Arte Contemporânea de Los Angeles, a primeira construção internacional do arquiteto, atraiu elogios específicos dos organizadores do Prêmio Pritzker. O prédio vermelho de arenito indiano segue a noção de escala de Isozaki através de uma montagem de volumes, ao mesmo tempo em que inclui a proporção áurea e a teoria yin yang, evocando a natureza complementar das relações ocidentais e orientais. Os primeiros sucessos arquitetônicos de Isozaki ocorreram na era seguinte à ocupação aliada do Japão, quando o país tentou se reconstruir das ruínas da Segunda Guerra Mundial.

O Prêmio Pritzker 2019 consolida a Ásia na arquitetura internacional. Embora o Pritzker Prize tenha sido tradicionalmente visto como centrado no Ocidente, Isozaki é o sétimo arquiteto asiático a receber o prêmio nos últimos 10 anos. O Japão já produziu oito laureados, incluindo os recentes vencedores Tadao Ando e Shigeru Ban. A conquista de Isozaki coloca o Japão ao lado dos Estados Unidos, que – ao incluir o norte-americano canadense Frank Gehry – também produziu oito ganhadores do Pritzker.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.