Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 25-03-2019 às 15:50

Grupo Flor Ribeirinha faz balanço da turnê realizada na China  

O grupo Flor Ribeirinha de São Gonçalo Beira Rio, retornou da China, após a turnê de um mês, de janeiro a fevereiro

| Creditos: Divulgação Assessoria de Imprensa

O Flor Ribeirinha viajou a convite da Federação Brasileira de Arte Popular-FEBRAP, em parceria com a Folk Word Company, que ofereceu  todo o apoio e logística durante a permanência em Xi'an, a famosa cidade dos Guerreiros de Terracota. O grupo representou o Brasil no Qujian Spring Festival, que celebrou o Ano Novo chinês.

Conforme o diretor artístico e coreógrafo do Flor Ribeirinha, Avinner Augusto, o Brasil fez parte de um espetáculo chamado "Culturas do Mundo" onde participaram também as delegações da Rússia, Itália, Georgia, África, Kingston, Georgia, Sérvia e Macedônia. Juntos, formaram um espetáculo de 40 minutos, mas cada um apresentando a sua cultura. "Foram apresentações durante os três períodos com grandes artistas. Além do Brasil com toda a sua diversidade e côres vibrantes, o grupo da Georgia também chamou muita atenção, pela forma expressiva nos movimentos coreográficos e com música bem percussiva. No festival, ficamos encantados com todos os grupos" disse avinner.  

O grupo Flor Ribeirinha  apresentou o espetáculo Mato Grosso Dançando o Brasil, que homenageia as danças das regiões brasileiras Norte, Nordeste, Sudeste e Centro Oeste, com foco  no siriri cuiabano enraizado na comunidade de São Gonçalo Beira Rio, que encantou o povo chinês. O coreógrafo ressaltou que a recepção do chineses foi uma maiores emoções durante o festival. "Nos aplaudiam muito e queriam sempre tirar fotos com os dançarinos. Eles são muito calorosos e carinhosos. Isto ficará gravado em nossa memória e em nosso coração. Foi muito gratificante, além das nossas expectativas", garantiu.

O diretor Executivo da Associação Cultural Flor Ribeirinha, Jeferson Guimarães Rosa, lembra que o convite para estar na China, uma das maiores potencias culturais e econômicas do mundo, é o reconhecimento do trabalho do grupo que tem 25 anos de história e que vem rompendo fronteiras para mostrar a cultura regional.

A Coréia do Sul, Turquia, assim como a Rússia e a França marcaram a trajetória do grupo. Estar na China, foi uma oportunidade única. para o Festival, foi oferecida toda a sua tecnologia em iluminação, sonorização e palco. Uma estrutura fantástica. Uma das mais fascinantes que já vimos", observou.

A presidente e fundadora do Grupo Flor Ribeirinha, Domingas Leonor da Silva frisou que mesmo diante das dificuldades enfrentadas, ela nunca deixou de lutar pela preservação da cultura Matogrossense. "Nos esforçamos muito para que os nossos valores culturais sejam  conhecidos lá fora, no Brasil e em outros Países. Estou muito feliz por ter mostrado a beleza e a força da nossa cultura na China" disse ela emocionada.    

 

 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.