Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 25-03-2019 às 15:48

Arlinda Pessoa Morbeck, a primeira poetisa de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul

A Mostra Cultural: 300 Mulheres - Letras, História e Equidade, projeto da Academia Mato-grossense de Letras, coordenado pela juíza Amini Haddad, membro da cadeira 39 da AML, traz a história de Arlinda Pessoa Morbeck

| Creditos: Divulgação/arquivo Projeto 300 Mulheres

Nascida em 04 de abril de 1889, na cidade de Salvador (BA). Aos 17 anos, colou grau no Instituto Normal da Bahia tendo sido logo, após, nomeada para lecionar na Terceira Escola do distrito da Penha na capital Baiana. Em 10 de junho de 1911, casou-se com o engenheiro José Morbeck, que viria depois a se projetar marcantemente no cenário político de Mato Grosso.

Fixou residência em Cuiabá onde permaneceu até 1915, quando se mudou com seu marido para a fazenda Patagônia próxima ao município de Barra do Garças-MT. Neste local, já com seus seis filhos, relatou o nascimento de cada um deles no livro "Heróis das Selvas". Escreveu também o livro "Os Domingos da Fazenda Patagônia".

Lecionou nas escolas urbanas em Alto Araguaia/MT, em 1924 e, posteriormente, em outras escolas em diversas cidades, tendo em vista as transferências de cargo do marido. Exerceu o magistério até o ano de 1942, em São Paulo, quando teve que se afastar por problemas de saúde.

Hilda Magalhães (2001, p. 80), aponta que a poetisa Arlinda, muito embora não frequentasse as rodas literárias da Capital, representa uma importante voz feminina de produção no início do século XX, uma vez que através dos seus versos, expõe as desilusões, dúvidas, temores, angústias e a condição de uma mulher que se vê refém de sua própria história.

Walker (2013, p. 78) relata que nos poucos anos vividos pela poetisa em Cuiabá, esta ajudou a construir, junto com as figuras femininas representativas do período, o espaço da mulher nas letras mato-grossenses.  Nadaf (2004, p. 13) observa que no “(...) contexto literário de Mato Grosso do período, há que se ressaltar a presença de Arlinda Pessoa Morbeck [...] ainda que ela não tenha escrito em A Violeta (...)”. Arlinda deixou vasta produção literária, registrada em 18 volumes, porém tão somente “Poesias”, foi editada artesanalmente, na coleção Obras raras – volume 6 – Vozes Femininas.

Foi considerada, pela UFMT, em pesquisa coordenada, em 2008, por Hilda Magalhães, a primeira poetisa de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Ademais, foi considerada, também, a primeira professora do Alto Araguaia.

Em 14 de abril de 2009, foi assinada pelo então prefeito de Alto Araguaia, Alcides Batista Filho, a Lei nº 2.487/2009, que institui no Calendário Cívico de Alto Araguaia-MT, como data comemorativa em homenagem ao aniversário da Poetisa Arlinda Pessoa Morbeck. Faleceu em 13 de julho de 1960, em São Paulo.

SOBRE O PROJETO

A mostra,   "300 Mulheres: Letras, História e Equidade",   que será realizada no dia 14/03, a partir das 18h, na Casa Barão de Melgaço- Cuiabá/MT, é uma  iniciativa da Academia Matogrossense de Letras.O  pioneiro projeto, foi desenvolvido por Dra. Amini Haddad, Membro da AML (cadeira 39), Juíza de Direito e Professora da UFMT, Dimensiona   amostras DE VÁRIAS CRIAÇÕES DE MULHERES: A arte, shows com grandes vozes femininas, apresentações culturais, amostras de pesquisas científicas da atualidade, inclusive lançamento de livros, na  produção  de nossas valorosas mulheres, farão parte do evento.

Ao mesmo tempo, o projeto dá visibilidade pública às mulheres que auxiliaram no desenvolvimento da nossa capital, nesses 300 anos de existência. São mulheres que atuaram nas mais diversas áreas e foram referências/inspiração, por seus exemplos de vida, em benefício da comunidade. Muitas delas alçaram voos altíssimos em representação nacional e internacional. "Um momento ímpar, para um rico diálogo público, entre o passado e o presente, na expressão de vida das mulheres".

Poderão ser apreciadas no evento  as mais diversas produções decorrentes da criatividade feminina (música, estilos, produções em livros, revistas, artesanatos e várias surpresas especialmente catalogadas para essa data especial (no mês comemorativo do Dia Internacional da mulher e nos trabalhos concernentes às vésperas dos 300 anos de Cuiabá-MT.

 

PARCERIA

Prefeitura Municipal de Cuiabá

APOIOS
1.Governo do Estado 
2.Tribunal de Justiça 
3. Fundação Escola Superior do Ministério Público,MP-MT
4. BPW Cuiabá-MT 
5. Portal Rosa Choque 
6. La Marc interiores
7. UNEMAT
8. UFMT

9. Núcleo de Estudos Científicos sobre as Vulnerabilidades - Faculdade de Direito da UFMT

 

Prefeitura Municipal de Cuiabá

APOIOS
1.Governo do Estado 
2.Tribunal de Justiça 
3. Fundação Escola Superior do Ministério Público,MP-MT
4. BPW Cuiabá-MT 
5. Portal Rosa Choque 
6. La Marc interiores
7. UNEMAT
8. UFMT

9. Núcleo de Estudos Científicos sobre as Vulnerabilidades - Faculdade de Direito da UFMT

 

 

  • :

CLARO. Larissa Aparecida Santos. A voz de Arlinda Morbeck na poesia de Mato Grosso. Disponível em: <http://www1.ufmt.br/ufmt/unidade/userfiles/publicacoes/3af0d80943e18e649034af7a5f79d7e1.pdf

 

MORBECK FILHO, Milton Pessoa. Biografia da Profª Arlinda Pessoa Morbeck. Disponível em: <http://escolaarlindapessoamorbeck.blogspot.com/2009/10/biografia-da-prof-arlinda-pessoa.html>.

 

NADAF, Yasmin Jamil. Presença de mulher: ensaios. Rio de Janeiro: Lidador, 2004.

 

WALKER, Marli Terezinha. Ruptura e Continuidade em três Séculos de Poesia Feminina em Mato Grosso. Brasília: UNB, 2013. Disponível em:

Dados de Pesquisa levantados por Amini Haddad Campos (Coordenadora do Evento 300 Mulheres – Letras, História e Equidade, em conjunto com a sua Equipe de Gabinete: Ariane Ribeiro Lima, Isabela Curvo Mello Carlini, Paulo Roberto Rocha da Silva Jr.), em iniciativa voluntária e em ação não remunerada.

 

 

 

 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.