Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 25-04-2019 às 08:14

Adiles Ramos Tocantins - Dona Pequenina

A Mostra Cultural: 300 Mulheres - Letras, História e Equidade, projeto da Academia Mato-grossense de Letras, coordenado pela juíza Amini Haddad, membro da cadeira 39 da AML, traz a história de Adiles Ramos Tocantins- Dona Pequena.

Foi uma das primeiras professoras a alfabetizar adultos no “Grupo Escolar Presidente Marques” | Creditos: Reprodução da foto por Francisco Chagas

     Nascida 08 de julho de 1907, em Cuiabá. Filha de Francisco Ramos da Silva e Maria Luiza Dubout e Silva. Formou-se normalista no Palácio da Instrução, na Praça da República, nesta capital. Em seguida, mudou-se para Rosário Oeste para, em companhia de sua mãe, dedicar-se a função de professora, sem nunca deixar de visitar e auxiliar nas atividades culturais de sua terra natal. (Foto do Palácio da Instrução - arquivo/Adelaide de Almeida Orro,) 

     Foi Diretora e Delegada de Ensino de toda região norte do Estado. Foi uma das primeiras professoras a alfabetizar adultos no “Grupo Escolar Presidente Marques”, lecionando inclusive à luz de vela e lampião, tendo em vista não existir energia elétrica. (Na foto Dona Pequenina com seu filho  Adilcio Ramos Tocantins, falecido em 2018).

     Exerceu o magistério durante 31 anos e, mesmo após a sua aposentadoria, tornou a ser diretora da instituição. Nos meados de 1958, com o falecimento de sua genitora, herdou parte do patrimônio, passando a atuar como empresária no ramo hoteleiro e comercial, na rua Coronel Botelho.

     Foi atuante e influente nas decisões políticas do município de Rosário Oeste por ter adquirido muitos afilhados e amigos no decorrer dos anos, proveniente de trabalhos prestados ao município e principalmente dos trabalhos beneficentes prestados à comunidade, tanto na capital como também em Rosário Oeste, por sua genitora.

     Por essas razões, conquistou a simpatia e o respeito do povo rosariense e de grandes personalidades da política mato-grossense como: Filinto Muller, Júlio Strubing Muller, Gastão Muller, Fernando Corrêa da Costa, Dom Francisco de Aquino Corrêa, Cel. Pedro Celestino Corrêa da Costa, João Ponce de Arruda, Joaquim Augusto Costa Marques, João Vilasboas, Pedro Pedrossian, José Garcia Neto, Mário Spinelli e finalmente Júlio José de Campos que eram recebidos em visita a sua residência.

     Em seu hotel hospedavam-se pessoas relevantes na sociedade rosariense como os primeiros juízes, promotores, advogados e também fazendeiros, seringalistas, viajantes e comerciantes que levavam e traziam notícias das metrópoles. Estiveram, em sua residência, vultos ilustres da história do Brasil e do mundo como Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon, o presidente Theodore Roosevelt e o famoso antropólogo Claude Lévi Strauss. Este último, inclusive deixou registrado, em seu famoso livro “TRISTES TRÓPICOS”, um relato sobre a pequena cidade de Rosário oeste naqueles idos de 1938, quando fez registrar, em livro, a culinária de luxo que lhe serviram na pousada de Adiles (Claude Levi Strauss, tristes trópicos, pág. 283), o que demonstra a excelência dos serviços prestados na sua administração, na qualidade de empresária.

     Dentre suas características, destacou-se como uma mulher de personalidade forte, determinada, guerreira, autêntica, intelectual e dinâmica, que prezava muito pelos bons costumes e tinha imensa satisfação em fazer o que mais gostava na vida que era transmitir seus conhecimentos ao próximo.

     Apreciava, nos raros momentos de lazer, ouvir os gênios da música como: Strauss, Bach, mas também as marchinhas antigas dos nossos carnavais, os boleros de Orlando Silva, Francisco Alves e os tangos de Carlos Gardel. Foi uma das fundadoras do Clube Social de Rosário Oeste e esteve presente nos grandes acontecimentos da cidade, como também em Cuiabá. Faleceu em 03 de março de 1979.

 

Fonte:

LÉVI STRAUSS, Claude. Tristes Trópicos. São Paulo: Companhia das Letras. 1996.

Dados catalogados: Cuiabá-MT de Antigamente.Arquivos Públicos.

ROOSEVELT, Theodore. Through the Brazilian Wilderness. In: Project Gutenberg's Through the Brazilian Wilderness, by Theodore Roosevelt. Acesso 20 de janeiro de 2019. Disponível em: <http://www.gutenberg.org/cache/epub/11746/pg11746-images.html>.

HISTÓRIA DE NOBRES. Dados catalogados pelo Município. Acesso em 20 de janeiro de 2019. Disponível em: <https://www.ecobooking.com.br/mapas/Brasil/mt/Nobres/Historia_Nobres_FUNBIO.pdf>.

Dados Oficiais. Associação Matogrossense de Municípios. Informativos da visita de Theodore Roosevelt, em 1913, na referida região onde estava localizada a Pousada. Acesso em 20 de janeiro de 2019. Disponível em https://diariomunicipal.org/mt/amm/publicacoes/321938/.  

FRANCISCO CHAGAS/Cuiabá de Antigamente

PARCERIA

Prefeitura Municipal de Cuiabá

APOIOS
1.Governo do Estado 
2.Tribunal de Justiça 
3. Fundação Escola Superior do Ministério Público,MP-MT
4. BPW Cuiabá-MT 
5. Portal Rosa Choque 
6. La Marc interiores
7. UNEMAT
8. UFMT

9. Núcleo de Estudos Científicos sobre as Vulnerabilidades - Faculdade de Direito da UFMT

SOBRE O PROJETO

A mostra,   "300 Mulheres: Letras, História e Equidade",   que será realizada no dia 14/03, a partir das 18h, na Casa Barão de Melgaço- Cuiabá/MT, é uma  iniciativa da Academia Matogrossense de Letra.O  pioneiro projeto, foi desenvolvido por Dra. Amini Haddad, Membro da AML (cadeira 39), Juíza de Direito e Professora da UFMT, Dimensiona   amostras DE VÁRIAS CRIAÇÕES DE MULHERES: A arte, shows com grandes vozes femininas, apresentações culturais, amostras de pesquisas científicas da atualidade, inclusive lançamento de livros, na  produção  de nossas valorosas mulheres, farão parte do evento.

Ao mesmo tempo, o projeto dá visibilidade pública às mulheres que auxiliaram no desenvolvimento da nossa capital, nesses 300 anos de existência. São mulheres que atuaram nas mais diversas áreas e foram referências/inspiração, por seus exemplos de vida, em benefício da comunidade. Muitas delas alçaram voos altíssimos em representação nacional e internacional. "Um momento ímpar, para um rico diálogo público, entre o passado e o presente, na expressão de vida das mulheres".

Ao mesmo tempo, poderão ser apreciadas as mais diversas produções decorrentes da criatividade feminina (música, estilos, produções em livros, revistas, artesanatos e várias surpresas especialmente catalogadas para essa data especial (no mês comemorativo do Dia Internacional da mulher e nos trabalhos concernentes às vésperas dos 300 anos de Cuiabá-MT.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.