Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 19-02-2019 às 11:51

Ela vende produtos para mulheres que tiveram câncer de mama

Graça Bomfim é a fundadora da Monnali, que vende roupas íntimas, próteses, cremes e produtos para tratamento oncológico

Graça Bomfim é a fundadora da Monnali. | Creditos: Sebrae-SP

Até 2022, o Brasil terá cerca de 17,7 milhões de pequenos negócios e mais de um milhão de novos empreendimentos devem surgir por ano, segundo pesquisa do Sebrae. A tendência é que grande parte dessas novas empresas esteja voltada para o mercado de nicho, menos concorrido e com um público mais específico. Um dos segmentos que se destaca é o de negócios de moda voltados para a autoestima e a inclusão.

Além disso, atuar em uma área em que há identificação pessoal com o negócio pode ser uma vantagem. É essa a realidade da empreendedora Graça Bomfim.

Ela fundou, em agosto de 2018, o ateliê de lingerie Monnali, especializado em atender mulheres mastectomizadas (que passaram por remoção de mama) ou que estão em tratamento contra o câncer. A criação do ateliê foi inspirada pelo caso da cunhada de Graça, que passou por uma mastectomia.

Para tocar o negócio ela recebe a ajuda da irmã, Monica Bomfim. As peças são produzidas por confecção própria e a empresária atende em média 50 clientes por mês. Todos recebem orientação sobre quais produtos se adequam melhor às suas necessidades. “Nossas peças são todas estruturadas e sem aro para não machucar as mamas e têm um espaço para o uso da prótese externa”, explica Graça. As peças vão desde o tamanho 40 até o 54 e podem ser usadas por qualquer mulher, mesmo que não seja mastectomizada. É possível encontrar produtos a partir de R$ 150.

A Monnali trabalha também com cremes e produtos para tratamento oncológico, moda praia com fator solar 50 e próteses de silicone que podem ser utilizadas tanto no dia a dia como na praia ou piscina. Para próteses usadas com biquínis e maiôs, a cliente pode nadar e fazer qualquer movimento sem que se perceba a presença delas. O envolvimento da empreendedora com seu ramo de atuação não se limita apenas à venda de produtos.

Ela também lidera dois projetos que têm por objetivo ajudar as mulheres a seguir em frente após o enfrentamento da doença: o Projeto Empreender Melhor (PEM) e o Projeto Câncer Vida em Trabalho. O PEM, fundado em 2016, visa ajudar os empreendedores que precisam divulgar seu negócio e fazer networking.

Já o Projeto Câncer e Vida foca as mulheres que passaram ou estão passando por tratamento oncológico e sofrem preconceito no mercado de trabalho. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), estimam-se quase 60 mil casos novos de câncer de mama no Brasil para cada ano do biênio 2018-2019.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.