Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 21-03-2019 às 22:17

Milão ganha memorial sobre o sistema hidráulico da cidade

Uma das mais antigas estações de bombeamento do Aqueduto de Milão virou a 1ª instalação focada no abastecimento de água, sua história, proteção e valores

| Creditos: Dario Tettamanzi/CASACOR

A empresa MM, que administra o Serviço de Água de Milão desde 2003, transformou sua antiga locação em um grande memorial sobre a água da cidade. Uma das mais antigas estações de bombeamento do Aqueduto de Milão – projetada no final do século XIX, pelo engenheiro Franco Minorini e posta em operação em 1906 – tornou-se a primeira instalação inteiramente focada no abastecimento público de água, sua história, proteção e valores.

A MM abriu o sistema hidráulico ao público com a Milan Waterworks. Cheia de história, ela fornece uma visão geral do trabalho dedicado de milhares de profissionais, que se familiarizam com o recurso mais importante do planeta, um local multifuncional e repleto de experiências. Um lugar aberto para conhecer o sistema hidráulico da cidade, desfrutar de workshops interativos, participar de debates e cursos de formação, ler e ser informado sobre a qualidade da água que sai das torneiras da cidade.

O conceito foi desenhado por FUD e DEGW, ambas as marcas do Lombardini22 Group. Como resultado, a união de dois eixos principais: a arquitetura do sistema hidráulico e o próprio elemento água. Isso gerou uma imagem líquida, transparente, milanesa, tecnológica e conectada. Um conceito em que os estados de água – sólido, líquido, gasoso – são visualizados em gráficos e se transformam em três padrões distintos. Cada um representa um aspecto da nova instalação: Arquitetura, Aqueduto, Digital. A reunião entre arquitetura e água gerou o novo esquema de cores, que combina vários tons de azul com os vermelhos dos tijolos, a característica mais marcante da fachada do antigo sistema hidráulico.

A experiência do visitante da instalação Milan Waterworks é composta por cinco áreas com um layout imersivo e flexível, adaptado a diferentes necessidades e tipos de visitas (culturais, informativas, interativas, educativas, etc.). A Recepção recebe os hóspedes e os apresenta às instalações. É um local de transição da solidez (a arquitetura da fachada) para a liquidez (o salão principal abrigando a sala de bombas). A Biblioteca é um espaço de reunião projetado para equipes de trabalho, hospedagem de reuniões para pequenos grupos/turmas, e observação dos livros à venda ou disponíveis para empréstimo.

O Hall Principal é o centro da antiga instalação: é onde é possível “sentir e ver” o abastecimento de água de Milão à medida que passa. Na antiga sala de bombas de água, os visores 3D permitem que os visitantes conheçam como o sistema hidráulico operou originalmente. A arquitetura existente é aprimorada por acessórios de design, enquanto projeções gigantes na parede central exibem imagens submersas. Uma galeria leva a um espaço com diversos tipos de conteúdos: históricos, fotográficos, em papel e também digitais.

A Área Multiuso recebe eventos, reuniões municipais, conferências, shows e workshops, graças à flexibilidade com a qual essa área foi projetada, podendo reproduzir cenários totalmente diferentes de acordo com a ocasião. As paredes são cobertas por gráficos que determinam a qualidade da água e análises de seus valores e características. Uma nova área no mezanino abrigará instalações e exposições temporárias, na qual a transparência proporcionará vistas perfeitas da área abaixo dela e da sala de bombas.

A área de Realidade Virtual do espaço é a mais gasosa (digital) do novo sistema hidráulico, cuja tecnologia surpreende os visitantes, que se envolvem totalmente em uma experiência virtual. A Milan Waterworks é a interpretação dos designers do que seria uma instalação hidráulica moderna, enraizada na cultura e na vida cotidiana de todos os habitantes da cidade. Um lugar bonito, prático e envolvente que também desperta a consciência das pessoas e as informa, prontas para contribuir para futuros desenvolvimentos.

 

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.