Jornal Rosa Choque
Publicidade

Cuiabá - MT, 26-03-2019 às 20:39

Conheça histórias de amor pela vida

Os filhos foram uma das maiores motivações de Telma Cristina Saraiva para superar o período de tratamento

| Creditos: Divulgação

“Vale a pena viver, vale a pena lutar pela vida”, essas são as palavras deforça de Telma Cristina Saraiva, de44 anos. O sorriso permanente esconde a difícil trajetória de uma mulher que enfrentou um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e luta contra o quarto tumor.

A luta contra o câncer começou em 2014, quando recebeu o primeiro diagnóstico de tumor na mama esquerda. Durante 1 ano e 2 meses, Telma lutou até receber o diagnóstico de cura. 24 horasdepois, descobriu que tinha um tumor, também, na mama direita. Lá se foram mais 11 meses detratamento. Em 2016, veio o terceiro diagnóstico: câncer no intestino. E agora, há um ano, Telma enfrenta o câncer no reto.

Superação, com certeza, foi a marca registrada de Telma durante esses anos. Além de enfrentar o tratamento contra os tumores, teve que lidar com o triste fato de perder a mãe, em 2014, o pai, em 2015 e, recentemente, ter se divorciado.

Desempregada e vivendo de doações para comprar seus medicamentos, ela buscou nos filhos a força para continuar sua batalha. “Eu não posso morrer de forma alguma, porque meus filhos precisam de mim”, conta emocionada.

Durante todo esse processo, Telma encontrou um acolhimento especial na ONG Vencedoras Unidas. Ela descobriu a instituição por meio de uma paciente que faz tratamento no mesmo hospital. A ONG foi criada em 2016 com o objetivo de ajudar mulheres acometidas pelo câncer, em sua maioria de mama. Desde então, realiza encontros e o trabalho deacolhimento dessas mulheres.

Atualmente, possui dois grupos com mais de 300 integrantes no Brasil e na Suíça. “Elas me abraçaram! A ONG veio de uma maneira especial para mim”, afirma Tela.

Sua história emocionou tantas pessoas que, no começo desse ano, Telma recebeu o título deMiss Superação, no 1º concurso de Miss e Mister Bariátrica do Distrito Federal. Com todos esses anos de luta pela vida, o câncer trouxe lições de vida para Telma.

“Eu não tinha amor próprio e aprendi a ter amor próprio, aprendi a acreditar mais nas pessoas, aprendi principalmente acreditar em mim. Acreditar que vale a pena viver, que a vida é bela. É pegar os momentos difíceis e aprender com eles e assim, os momentos fáceis vão ser deliciosos para se viver”, conclui.

Deixe seu comentário!

O Jornal Rosa Choque não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Todos os campos marcados com é de preencimento obrigatório.